Lição 06- Muito mais que palavras

"Tens visto um homem precipitado nas suas palavras? Maior esperança há de um tolo do que dele"   Provérbios 29.20


Texto Bíblico Básico: Tiago 1.19-26




AFINAL, O QUE SIGNIFICA COMUNICAR-SE?

A Bíblia trata com muita seriedade a questão da comunicação. Na epístola de Tiago, ela nos alerta sobre o poder das nossas palavras, poder esse que nós muitas vezes desconhecemos. Provérbios também está repleto de conselhos referentes ao bom e mau uso das palavras. Saber comunicar-se de modo adequado possibilita aos membros da família construir um relacionamento equilibrado e evitar conflitos desnecessários. A falta de comunicação pode levar um casamento ao fim, pois é pelo diálogo que o casal expõe o que precisa ser mudado ou melhorado na relação. Comunicar preocupações, alegrias e expectativas ajuda a família a manter-se unida, estruturada e feliz. Por meio de uma comunicação eficaz, pais e filhos podem conhecer-se melhor e, consequentemente, fortalecer a amizade, o amor, e o respeito recíproco.

Linguagem corporal. A linguagem corporal surgiu bem antes da linguagem verbal, é uma forma de comunicação não -verbal, onde o corpo fala através de gestos, expressões faciais  ou postura, e ainda hoje representa uma das mais importantes formas de comunicação do ser humano. Especialistas afirmam que aproximadamente 93% de toda a comunicação humana não é verbal. 55% da comunicação é feita sem a utilização de palavras, ou seja, está relacionada com posturas, expressões faciais e gestos. A sonoridade e vocalização (tom de voz, ritmo e velocidade de fala) também são importantes e correspondem a 38% das mensagens transmitidas. A postura dos braços, pernas, cabeça e a expressão facial podem transmitir vários sentimentos. Por exemplo: se uma pessoa não mantém contato visual enquanto outra pessoa está falando com ela, isso pode querer dizer que ela não está interessada na conversa ou na pessoa. Por outro lado, quando uma pessoa está com os braços cruzados, essa postura pode ser considerada defensiva, revelando insegurança. A distância entre o locutor e interlocutor também pode indicar tensão entre os dois.

COMUNICAÇÃO: UM MARCADOR DA QUALIDADE

Em muitas casas, lamentavelmente, reinam brigas, gritarias, agressões verbais e até mesmo físicas, entre outras coisas. Essas coisas poluem  o ambiente familiar, trazendo terríveis consequências a todos os membros da família. Mas as instruções bíblicas são claras a este respeito (Ef 4.29-32). O casal cristão deve cultivar o hábito de deixar o ambiente da casa espiritualmente preparado. Isso pode ser feito de várias maneiras: o respeito mútuo - o que inclui o dever de se ouvir a opinião de um membro da casa sem cortá-lo, ainda que não seja a melhor; a liberdade de cultivar um ambiente de alegria, sem interrupção devida ao mau humor de alguém. As conversas dos membros da família devem ser cheias de graça e estímulo à comunhão com o Senhor. Uma boa recomendação é desligar a televisão sempre que possível para que haja diálogo familiar.





Resolução de conflitos: O Senhor ensinou que, enquanto depender de nós, deveríamos procurar resolver rapidamente os conflitos em que formos envolvidos (Mt. 5.21 -26; Rm 12.18). Infelizmente os conflitos podem acontecer. O orientação bíblica, nesse caso, é não permitirmos que o dia termine sem os termos resolvido. Para fazermos o acerto é necessário o amor, humildade e vontade de acertar. É necessário um coração transformado por um processo de conversão sincero e verdadeiro. É preciso ser crente de verdade.

Saber ouvir: A palavra de Deus recomenda que sejamos tardios para falar (Tg. 1.19) O hábito de falar precipitadamente é um sinal de falta de sabedoria, Na família, niguém deve tentar descobrir o que o outro tem para dizer-lhe. precisamos aprender a esperar que a outra pessoa nos transmita a mensagem até o final para. depois, esboçarmos nossas reações e o que pensamos sobre o assunto. O ser humano tem a necessidade de ser ouvido. Isso o faz sentir-se respeitado e valorizado. No entanto,em um diálogo, o que importa é fazer com que a mensagem seja compreendida. Muitos problemas poderiam ser evitados se houvesse um pouco mais de interesse por ouvir o outro e entender o que ele fala. Quantos conflitos poderiam ser evitados e resolvidos se a mensagem transmitida durante uma conversa fosse bem interpretada.

Mentira versus verdade:  A mentira é uma das piores interferências para o casamento. Os cônjuges não devem mentir um para o outro. O diálogo entre eles deve ser franco e todo tipo de rodeio deve ser evitado. A verdade produz confiança em relação à pessoa que a professa. Por isso não é recomendável dar opiniões sobre assuntos que desconhecemos, nem contar versões que nos seja convenientes. Além disso, devemos ter firmeza em tudo que falamos para evitar a manipulação e o controle alheio, os quais ferem a individualidade do outro. O Senhor Jesus nos ensinou: "Seja o vosso falar: Sim, sim, não, não, o que passa disso é de procedência maligna". (Mt 5.37). Agindo assim, atrairemos o amor e o respeito do nosso cônjuge.

OS HOMENS, AS MULHERES E A COMUNICAÇÃO

Existem cônjuges que cuja cumplicidade é tanta, que só pelo olhar, um sabe exatamente o que o outro está sentindo ou pensando. Porém, até chegarem a esse estágio de comunicação eficaz, não verbal, eles já dialogaram muito, expondo seu coração um ao outro. Sem diálogo, portanto, não há como sensibilizar, comover ou convencer. Quem é casado precisa aprender a abrir o coração para ouvir seu cônjuge e compartilhar com ele o que pensa, sente e deseja. Isso deve ser feito com sinceridade e na hora certa. Os casais necessitam de sabedoria para construir seu relacionamento conjugal com base na verdade, no amor e também no respeito mútuo. A Palavra de Deus ensina que: "Tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós" (Mt 7.12). Por isso, Toda pessoa que deseja ser compreendida e respeitada por seu cônjuge, deve agir com ele da mesma forma  que gostaria de ser tratada.



A medida no falar. Sem dúvida, a comunicação é uma arte. Deus criou o homem e a mulher com as suas peculiaridades; e não há área em que isso fique mais evidente do que no momento da comunicação.  Toda pessoa tem a sua própria maneira de comunicar-se e precisa de liberdade e oportunidade para mostrar quem é. Todavia, é importante sabermos a medida exata do falar para não cometermos erros (Pv. 15.23). Isso se torna possível quando aprendemos o que é importante um para o outro e cedemos em alguns pontos. Se agimos assim, conseguimos promover equilíbrio no lar. Comunicar é expressar sentimentos e compartilhar idéias com transparência, honestidade e clareza. A família que não se comunica está fadada ao insucesso (Pv. 18.21). A comunicação é vital para o desenvolvimento intelectual e emocional do ser humano.


Existem mulheres tão detalhistas em suas conversas que às vezes falam demais e tornam-se cansativas. Consequentemente, quando não são ouvidas com atenção ficam frustradas. Por outro lado, a maioria dos homens não entende a necessidade que algumas mulheres tem de descrever detalhes porque eles se concentram em saber apenas a idéia geral do assunto.

Dicas para uma comunicação eficaz. Alguns costumam usar o silêncio para obter o que desejam do seu familiar. Essa maneira de agir, entretanto, pode frustrar o outro e e levá-lo a fechar-se totalmente para a comunicação. Há pessoas que culpam e criticam seus familiares o tempo todo (Rm 14.13). Em vez disso, elas deveriam edificá-los e animá-los com suas palavras, pois é assim que a Palavra de Deus nos ensina a agir (I Ts 5.11). Há pessoas também que, por não terem aprendido a dialogar quando criança. em sua família de origem ou até por serem muito tímidas, só falam o que é trivial. Elas não conseguem expor seus problemas, sentimentos e ponto de vista. Então acabam tratando assuntos importantes com trivialidade. A comunicação no lar só pode ser fortalecida se os membros da família buscarem compreender a opinião um do outro. As diferenças precisam  ser respeitadas. Ninguém deve reagir e tomar o mal por mal (Rm 12.17). O marido tem de preocupar-se com os interesses de sua esposa e vice-versa. Os pais tem que prestar atenção aos interesses de seu filhos (Fp 2.1-4). Agindo dessa forma, todos serão abençoados pelos bons frutos que uma comunicação eficaz é capaz de produzir, sempre, é claro, segundo a direção do Espírito Santo de Deus. Sem uma comunicação eficaz, surge o desinteresse e o distanciamento entre os membros da família. Os filhos crescem isolados, sentindo-se solitários e necessitando de alguém para contar seus problemas. Se os filhos não encontrarem alguém para ouvi-los em casa, com certeza procurarão em outros lugares.


A FAMÍLIA, A INTERNET E OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO


Internet. Nesta era de grandes avanços tecnológicos, a Internet tem sido um instrumento de bênçãos para muitas pessoas pois tem derrubado a barreira da distância. As redes sociais e e-mails nos possibilitam fazer contato com pessoas que moram em regiões distantes, e enviar e receber documentos em tempo recorde e ampliar nossos conhecimentos tanto no âmbito acadêmico quanto profissional. Mas, o apego excessivo e descontrolado à internet promove o isolamento e separa os familiares pois cada um passa a dedicar-se apenas àquilo que lhe interessa (Ml 4.5,6). Não existem mais conversas, nem momentos de lazer para algumas famílias; a educação das crianças está atrelada aos ensinamentos encontrados nas páginas da Internet, o que é um grande risco, já que existem muitos site perniciosos, os quais estão prontos para encher a cabeça dos nossos filhos com informações e imagens impróprias para eles. As redes sociais e o surgimento de questões relacionadas à elas preocupam muitos pais, os quais não estão sabendo lidar com as influências tecnológicas experimentadas por seus filhos e também por eles. Há também o fato de que muitas tarefas importantes não são realizadas por causa do tempo excessivo gasto diante do computador. A Internet deixa as pessoas ociosas e imobilizadas. Sua atração é tão forte, que o tempo passa sem que elas percebam.

Necessidade de limites. Os pais tem a responsabilidade de verificar como a internet tem sido usada ma sua casa. Esse meio de comunicação deve ser usufruído com cautela. Não é recomendável que os filhos passem horas trancados no quarto navegando na Internet. É preciso determinar alguns limites para eles. Existem algumas atitudes que os pais devem tomar para não enfrentarem problemas no futuro, como manter o quarto dos filhos com a porta sempre aberta, colocar os computadores em ambientes comuns a todos e bloquear os sites de conteúdo impróprio e inadequado à idades deles. A internet é um bom instrumento de comunicação. É o homem quem deturpa os objetivos pelos quais ela foi criada. Nosso papel é usá-la com sabedoria, não permitindo que a tecnologia venha corromper nosso lar e o ensinamento que recebemos da Palavra de Deus.

Televisão. Se quisermos que os nossos filhos sejam preservados  dos malefícios causados pelos meios de comunicação em massa, devemos ser exemplo no uso destes. Se assistimos a filmes e programas imorais, com que autoridade haveremos de aconselhar nossos filhos? Se temos falhado neste particular, oremos a Deus, humilhados e arrependidos, para que nos dê autocontrole e autoridade para orientarmos convenientemente nossos filhos. Os meios de comunicação também arrastam-nos a necessidades irreais e imaginárias, tornando-nos frustados quando não consumimos os bens anunciados. Cuidado! Isso pode ser fatal! Seja seletivo e crítico. Selecione os programas que podem ser vistos por você e sua família sem ferir os princípios cristãos. Isso não é fácil hoje em dia. A recomendação de Paulo: "Examinai tudo, retende o bem" (I Ts 5.21). Não aceite passivamente o que os imperadores da comunicação querem nos empurrar.

Culto doméstico. Nada deve substituir o culto doméstico. Um programa de televisão, um filme ou qualquer outro atrativo, por melhor que seja não deve ser encarado como substituto da devoção familiar. lembre-se: "Mas buscai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas" (Mt. 6.33). Enfim, que cada um de nós tenha a necessária sabedoria para manter a pureza e a santidade no lar que, segundo o ideal do Novo Testamento, tem de funcionar como verdadeira Igreja.

REFLEXÃO: "QUERO SER UM TELEVISOR"

Certa vez, uma professora pediu aos seus alunos que fizessem uma redação sobre o que gostariam de ser. Ao corrigi-las mais tarde, deparou-se com o seguinte texto:

"Professora, se eu tivesse o poder de ser alguma coisa, gostaria de ser uma televisão. Quero ocupar o seu lugar e viver como vive a TV da minha casa. Ter um lugar especial para mim, reunir minha família ao redor e ser levado a sério quando falo. Quero ser o centro das atenções e ser escutado sem interrupções nem questionamentos. Quero receber o mesmo cuidado especial que a TV recebe quando não funciona, e ter a companhia do meu pai quando ele chega em casa, mesmo que esteja cansado, e que minha mãe me procure quando estiver sozinha e aborrecida ao invés de ignorar-me. E ainda peço que meus irmãos "briguem" para estar comigo. Quero sentir que minha família deixa tudo de lado, de vez em quando para passar alguns momentos comigo. E por fim, que eu possa divertir a todos. Não quero muito, só queria ser um televisor".



Fontes de Pesquisa:


  • Revista Lições Bíblicas - Jovens e Adultos - 2º trimestre de 2004 - "Eu e a minha casa serviremos ao Senhor" - Ed. CPAD
  • Lições da Palavra de Deus - Jovens e Adultos -3º Trimestre de 2012 - "Família Cristã -Vínculos do Amor" - Ed. Central Gospel
  •  http://www.significados.com.br/linguagem-corporal


Imagens:

  • www.google.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta