Galera de Cristo 01 - Certamente Haverá um Bom Futuro Para Você


"Não inveje os pecadores em seu coração; melhor será que tema sempre ao Senhor. Se agir assim, certamente haverá um bom futuro para você, e a sua esperança não falhará" 
Provérbios 23.17,28

Hora da Verdade: Salmo 73


PAPO SÉRIO


1. O QUE PODE AMEAÇAR NOSSO FUTURO

Murmuração

Pensemos em como nos sentimos a respeito de alguém que só reclama. Independente do que se faça, nunca é o suficiente, nada está a contento. Desagradável não é Agora imaginemos como Deus se sente a respeito de quem murmura Faça chuva ou sol, frio ou calor, na abundância ou na dificuldade... Poucas vezes na Bíblia, encontramos Deus tão irado com seu povo como no relato de Números 14. O preço que pagaram foi alto. Por causa da murmuração, o povo de Israel, peregrino no deserto, foi impedido de entrar na Terra Prometida e ficou vagando durante quarenta anos até que toda aquela geração morresse e a geração seguinte tomasse posse da terra sob o comando de Josué. A murmuração desagrada a Deus, porque vem de um coração ingrato, que não confia, não reconhece, não se entrega aos cuidados Dele. A murmuração retarda a chegada das bênçãos, adia o cumprimento das promessas de Deus em nossa vida e realmente compromete o nosso futuro.

Desânimo

O desânimo é uma das armas mais eficazes que Satanás usa para tentar nos derrotar. Dificilmente alguém desanimado tem uma perspectiva positiva sobre a vida e o futuro. O desânimo mina as forças, impede de lutar, de esperar e de confiar nas promessas de Deus e em tudo o que Ele diz em Sua Palavra. Facilmente o desânimo cede lugar à murmuração, e até mesmo à rebeldia, e com isso, desagradamos ao coração de Deus.

Como vencer a murmuração e o desânimo

A Bíblia diz que "Todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus". Independente da circunstância, por mais adversa que seja, precisamos confiar que Deus está no controle de tudo. Nosso Deus é fonte abundante de vida e poder para vencermos todas as dificuldades. Ele deseja que sejamos pessoas cheias de ânimo, e responde aos atos de louvor que lhe fazem os seus filhos, encorajando-os e capacitando-os. Então, devemos exercitar a fé, louvar o Senhor,e meditar na Sua Palavra. O louvor, por exemplo é uma arma muito poderosa para vencer a murmuração e o desânimo. Ao louvar, o cristão encontra disposição para viver e crescer na fé. O louvor é o meio pelo qual nossas forças serão renovadas e a vida de Deus se manifestará através de nós. O louvor as Deus nos capacita diante das tribulações da vida. Quem verdadeiramente louva a Deus recebe fortalecimento em sua fé. Toda debilidade espiritual dá lugar ao vigor gerado pelo Espírito Santo.




"No âmago da rebeldia de Israel estava a incredulidade oriunda do seu esquecimento a fidelidade de Deus no passado, de não confiar nele como seu Senhor e da não aceitação literal das suas promessas. Observando seu modo de pensar, os israelitas não confiavam mais no Senhor em todas as circunstâncias. (1) crer em Deus importa em aceitar tudo quanto ele disser como verdade e agir de acordo com isso, confiar inteiramente nas Suas promessas, andar nos seus caminhos e amá-lo de todo o coração, e de toda a alma (Dt 10.12).  - (Bíblia de Estudo Pentecostal - Ed. CPAD)

2. O TEMOR A DEUS E A CERTEZA DE UM BOM FUTURO

O mandamento de temer ao Senhor incluiu uma variedade de aspectos do relacionamento entre o crente e Deus. É fundamental no temor a Deus reconhecer a sua santidade, justiça e retidão como complemento do seu amor e misericórdia, conhecê-lo e compreender plenamente quem Ele é. Temer ao Senhor é considerá-lo com santo temor e reverência e honrá-lo como Deus, por causa da sua excelsa glória, santidade, majestade e poder. 

O temor de Deus e muito mais do que uma doutrina bíblica; ele é diretamente aplicável à nossa vida diária, de numerosas maneiras. Se realmente tememos ao Senhor, temos uma vida de obediência aos seus mandamentos e damos sempre um "não" estridente ao pecado. Há um efeito santificante no temor a Deus. Esse temor inspira-nos a evitar o pecado e desviar-nos do mal (Pv. 3.6.7; 8.13; 16). Ele nos leva a ser cuidadosos e comedidos no que falamos, ele nos protege do colapso da nossa consciência, bem como a nossa firmeza moral. O temor do Senhor é puro e purificador; é santo e libertador no seu efeito. O temor do Senhor motiva o povo de Deus a adorá-lo de todo o seu ser. Deus promete que vai recompensar a todos os que o temem (Pv 22.4). Outras recompensas prometidas são:

  • Proteção da morte (Pv 14.26,27)
  • Provisão para as nossas necessidades diárias (Sl 34.9)
  • Uma vida longa (Pv 10.27)

3. AFINAL PORQUE TANTA TRIBULAÇÃO


Jesus não nos prometeu "um mar de rosas" nesta vida. Disse que no mundo teríamos aflições (Jo 16.33). Mesmo assim, ele nos assegurou por sua imensa bondade, bênçãos, alegria, saúde e paz. Quando vêm tristezas e angústias muitos fica decepcionados e abandonam a carreira cristã. Mas, a Bíblia nos ensina que, quando estamos no centro da vontade de Deus, as tribulações têm efeito positivo.

A palavra tribulação significa originalmente aflição, sofrimento, provação moral e adversidade. Também denota contrariedade, amargura e tormento. Entretanto, lições preciosas podemos extrair das tribulações como vemos em Romanos 5.1-5; Salmos 119.67,71 e Isaías 38.17. 

Há muitos crentes imaturos em nossas igrejas. Eles ainda não cresceram espiritualmente. Será falta de autêntico ensino O crente maduro experimentado e aprovado no teste da tribulação, não desanima facilmente, nem se irrita por qualquer motivo; não se constrange à toa, não vive pensando em deixar sua congregação (Hb. 10.25) e, muito menos, a igreja de Cristo. Caia quem cair, ele permanece firme. 
Leia atentamente Romanos 5.3-5 e observe a relação de subordinação entre as palavras paciência, experiência e esperança. Esse encadeamento foi escolhido por Paulo, o apóstolo, para nos mostrar a fórmula do aperfeiçoamento cristão. O exercício da paciência desenvolve no crente habilidades espirituais que lhe tornarão capaz de superar todos os obstáculos, em quaisquer circunstâncias, em consequência da fé que brota em seu coração. O perfeito relacionamento do homem com Deus está fundamentado na fé. 




As lutas e tribulações fazem parte da vida de modo tão evidente, quanto as bênçãos advindas de Deus. Em seu ensino realista, Jesus disse que no mundo teremos aflições, mas que devemos ter bom ânimo, pois ele venceu o mundo. As tribulações são uma escola de aperfeiçoamento do caráter cristão. O Messias conhecia de perto as lutas. Mesmo sendo santo, perfeito, imaculado, por Sua condição humana, Ele enfrentava pelejas em seu cotidiano. Jesus foi perseguido, insultado, caluniado, maltratado, preso, chicoteado, julgado e condenado à morte de cruz, a pior e mais humilhante sentença, ainda mais para alguém inocente. Então, se o Filho de Deus enfrentou tantas provas, como nós não a enfrentaremos Pense Nisso!


FONTES DE PESQUISA

  • Bíblia de Estudo Pentecosta - Ed. CPAD
  • Lições Bíblicas - 3 trimestre de 2003 - Ed. CPAD

IMAGENS

  • Google




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 03 - Os Dois Ícones da Igreja Primitiva

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta