Lição 01 - Introdução aos Livros Históricos


Texto Áureo: Todo lugar que pisar a planta do vosso pé, vo-lo tenho dado

Josué 1.3a

Texto Bíblico Básico: Deuteronômio 9.1-5



OS LIVROS HISTÓRICOS DO ANTIGO TESTAMENTO






Que tal subirmos ao cume do monte Nebo, se posse de um poderoso telescópio que nos permite ver Israel em toda a sua extensão e, além disso, assistir ao desfile de toda a sua história? Ver os muros de Jericó caindo, e Josué fazendo o povo admirar a Terra Prometida. Observar como os juízes governaram Israel, cantar com Débora e aplaudir a força de Sansão. Presenciar Samuel ungindo Saul, o primeiro rei de Israel e emocionar-se com os altos e baixos que o povo de Deus sofreu sob o domínio dos seus reis - alguns bons e outros terríveis. Acompanhar o povo escolhido em seu cativeiro na Babilônia, e retornar com Esdras e Neemias para reconstruir Jerusalém e o santo templo. E, indo além das fronteiras de Israel, contemplar a beleza da rainha Ester, livrando da morte a sua nação...


DIVISÕES DA BÍBLIA

A Bíblia divide-se em duas grandes partes: o Antigo e o Novo Testamento. Cada uma dessas partes está subdividida por assuntos. Os livros históricos do Antigo Testamento vão desde Josué a Ester, e narram desde a posse de Canaã, pelos israelitas, até quando são espalhados entre as demais nações.

Antigo Testamento:

Pentateuco: Gênesis a Deuteronômio 
Históricos: Josué a Ester
Poéticos: Jó a Cantares
Profetas Maiores: Isaías a Daniel
Profetas Menores: Oséias a Malaquias


Novo Testamento

Evangelhos: Mateus a João

Histórico:Atos
Epístolas Paulinas: Romanos a Filemom
Epístolas Gerais: Hebreus a Judas
Profético: Apocalipse


Busque na fonte: Não se contente em estudar os livros históricos somente pela revista. Leia-os na sua própria Bíblia para desfrutar de toda a emoção contida na história dos israelitas e receber, diretamente de Deus, a sua mensagem. Alguns alegam não entender a Bíblia. Esta é uma grande oportunidade para você compreendê-la, situando os personagens e acontecimentos dentro da história. Leia-os e comprove a diferença que fará. Outra coisa importante: em cada livro da Bíblia, Deus é apresentado de um modo, mesmo que seu nome não seja mencionado. Procure ver a pessoa de Jesus em cada livro histórico, e descubra aquilo que ele é e faz por você. Marta Doreto, comentarista.

O QUE VEM PELA FRENTE






JOSUÉ

Descreve a conquista de Canaã, e como Josué introduziu nela o povo. Conta como a terra foi distribuída entre as diversas famílias de Israel, e registra o discurso de despedida de Josué, abençoando o povo e incentivando a obedecer e servir ao Senhor.

Propósito. O livro de Josué foi escrito como um registro da fidelidade de Deus no cumprimento de suas promessas pactuais com Israel, concernente à terra de Canaã. As vitórias de conquista aparecem como atos liberadores da parte de Deus pró Israel sobre uma decadente cultura cananéia. A violência neste livro deve ser encarada nesta perspectiva. A arqueologia confirma que o povo cananeu era caracterizado por extrema depravação e crueldade quando Israel ocupou a Terra.
Sugestão: Monte um painel ao longo do trimestre, pode ser quadrado ou retangular, feito com material de sua preferência. Escreva nele: Panorama dos Livros Históricos do A.T. Faça um grande círculo e divida -os em doze fatias, uma para cada livro histórico. Cada divisão deve conter o nome do livro e do seu escritos e sua esfera de ação, e uma figura que ilustre a essência ou acontecimento mais importante do livro, ou ainda seu personagem principal. Nesta primeira aula, coloque apenas o quadro com o tema a partir da segunda, vã colocando as fatias do círculo, de acordo com o livro ensinado, até completar todo o panorama.

 JUÍZES

Narra a desobediência de Israel ao deixar de destruir todas as nações vizinhas, e como se afastou de Deus, copiando os pecados dessas nações. Descreve as sete ocasiões em que Israel foi oprimido pelos povos vizinhos, e como Deus levantou sempre um  juiz para s libertar. Veremos como a idolatria, a devassidão e as lutas tribais levaram Israel a enfraquecer espiritual, moral e socialmente. Nos tempos dos juízes, cada um fazia o que achava melhor (Jz. 21.25).


Propósito. O livro de Juízes fornece o relato principal da história de Israel na Terra Prometida, da morte de Josué aos tempos de Samuel. Teologicamente, revela o declínio espiritual e moral das tribos, após se estabelecerem na Terra Prometida. Esse registro deixa claro os infortúnio que sempre ocorriam a Israel quando ele se esquecia do seu concerto com o  Senhor e escolhia a senda da idolatria e da devassidão.

RUTE

Descreve como Noemi se foi de sua terra por causa da fome, e perdeu o marido e os filhos. Narra o retorno de Noemi à sua pátria, e o apego de sua nora Rute a ela (1.16,17). Vamos emocionar-nos ao ver Rute respigando no campo de Boaz e sendo bem tratada por ele; vamos seguir os passos para o resgate de Rute e das propriedades de seu falecido esposo. A história culmina com o casamento de Rute e Boaz, e o nascimento de seu filho.


Propósito. O livro de Rute foi escrito a fim de mostrar como, através do amor altruísta e do devido cumprimento da lei de Deus, uma jovem moabita, virtuosa e consagrada, veio a ser a bisavó do rei Davi de Israel. O livro também foi escrito para perpetuar uma história admirável dos tempos dos juízes a respeito de uma família piedosa, cuja fidelidade na adversidade contrasta fortemente com o generalizado declínio espiritual e moral em Israel, naqueles tempos.

AS HISTÓRIAS DE UM REINO

No passado, os dois livos de Samuel formavam um único livro, assim como os dois livros de Reis e os dois livros de Crônicas. Estes três livros, Samuel, Reis e Crônicas, constituíam uma série intitulada "Livros dos Reis", e tinham sido escritos em hebraico. Quando, mais tarde, fizeram uma tradução para o grego, perceberam que a escrita grega ocupava um espaço muito maior que a escrita hebraica, e um rolo de papiro seria pouco para conter todo o Livro de Reis ou de Crônicas. Seria um rolo, ou volume grande demais, e dificultaria a leitura. Então, cada um desses livros foi dividido em dois. É por isso que hoje temos I e II Samuel, I e II Crônicas, e assim por diante.

REIS, RAINHAS, PRÍNCIPES E PRINCESAS

Histórias de realeza fazem a gente sonhar às vezes. Para quem se entusiasma com histórias de guerra, exércitos destemidos, e conquistas grandiosas, os livros de Samuel, Reis e Crônicas são a leitura perfeita. Na verdade. os livros de Crônicas repetem a história que vai de II Samuel a II Reis, mas contando-a sob um ponto de vista diferente. Os livros de Reis, escritos por profetas, apresentam a história politica de Israel e Judá. Os de Crônicas concentram-se mais na história religiosa do reino de Judá, relatado sob um ponto de vista sacerdotal.


I SAMUEL

Conta a história do nascimento de Samuel em resposta à oração de Ana, sua mãe, e mostra tudo o que Samuel fez por Israel, como seu último juiz. Apresenta a história de Saul, primeiro rei de Israel - a sua eleição, o seu reinado e o seu fracasso. Narra a bela história de Davi, o pastorzinho que se tornou um valente guerreiro e veio a ser o maior rei de Israel (II Sm 7.8).


Propósito. I Samuel descreve um momento decisivo da historia de Israel, em que as rédeas do governo passaram do juiz para o rei. O livro relata a tensão entre a expectativa do povo quanto a um rei, e, os padrões teocráticos de Deus, pelos quais ele era o rei do seu povo. O livro mostra claramente que a desobediência de Saul a Deus e sua violação dos princípios teocráticos do seu cargo levaram Deus a rejeitá-lo e a substituí-lo como rei.







II SAMUEL

Mostra que, a princípio, Davi reinou apenas sobre uma parte do reino, porém Deus o abençoou e ele tornou-se rei de todo o povo. Há um capítulo triste na história de Davi por causa de um pecado, mas ele arrependeu-se e foi perdoado por Deus. O livro narra também a rebelião de Absalão, filho de Davi, contra o próprio pai. Fala do restabelecimento do reino, de algumas guerras contra os filisteus e da terrível praga que matou setenta mil por causa de um erro de Davi.


Propósito. II Samuel conta a história profética do aspecto teocrático da monarquia em Israel. Ilustra a fundo, com exemplos do reinado de Davi e da sua vida pessoal, as condições do concerto de Israel, conforme Moisés a definiu em Deuteronômio: a obediência ao concerto resulta em bênçãos divinas; o desprezo pela lei de Deus resulta em maldições e castigos (Dt 27-30).

I REIS

Descreve a coroação de Salomão e seu reinado cheio de sabedoria e riqueza. Também conta que Salomão desobedeceu a Deus, quando se casou com mulheres idólatras e isto causou sua ruína (I Rs 11.1-4). Mostra porque o reino de Israel foi dividido em dois. Descreve o reinado de quatro reis de Judá, e de oito reis de Israel, e conta a emocionante história do profeta Elias.


Propósito.  I e II Reis foram escritos para prover ao povo hebraico no exílio babilônico uma versão bíblica de sua historia, e assim compreenderem  porque a nação dividiu-se em 930 a.C., porque o reino do Norte, Israel, caiu em 722 a.C., e por que o reino davídico e Jerusalém caíram em 586 a.C. Os livros de Reis salientam que a divisão e o colapso de Israel e Judá foram uma consequência direta e inevitável da idolatria e da impiedade dos reis e da nação com um todo. Tendo em vista este fato, os livros abordam o sucesso ou fracasso de cada rei, de conformidade com a sua fidelidade ou infidelidade a Deus e o concerto. Esta perspectiva bíblica tinha por objetivo fazer com que os cativos repudiassem para sempre a idolatria, buscassem a Deus, e cumprissem os seus mandamentos nas gerações futuras.

II REIS

Este livro é a continuação da  história dos dois reinos, Judá e Israel. Veremos que a maioria dos rei  era má, deixando que o povo se afundasse na idolatria e imoralidade. Por isso, Deus permitiu que as dez tribos que formavam o reino de Israel, fossem levadas cativas e espelhadas em outros países. Quanto às duas tribos que formavam o reino de Judá, também foras castigadas várias vezes, mas Deus sempre as livrara, quando um bom rei surgia e encaminhava o povo ao arrependimento. Finalmente, porém, Judá também foi levada à escravidão na Babilônia


Propósito. O propósito de II Reis é o mesmo que I Reis. Em resumo: o propósito original era propiciar ao povo hebreu, especialmente os exilados na Babilônia ,uma interpretação e compreensão profética de sus historia durante a monarquia dividida, para que não se repetissem os pecados dos seus antepassados.

I E II CRONICAS

Repetem os acontecimentos de  II Samuel e I e II Reis.


Propósito. Os livros das Crônicas foram escritos parar vincular os judeus egressos do cativeiro aos seus antepassados e à sua história messiânica. Assim fazendo, eles ressaltam três coisas: (1) a importância da preservação das tradições raciais e espirituais pelos judeus (2) a importância da lei, do templo, do sacerdócio, e do seu contínuo relacionamento com Deus, muito mais importante do que a lealdade a um rei terreno; e (3) a esperança máxima de Israel na promessa divina de um descendente messiânico assentar-se no trono para sempre (I Cr 17.14).

A VOLTA PRA CASA

ESDRAS

Fazia setenta anos que os judeus tinham sido levados cativos para a Babilônia. Conforme prometera, Deus providenciou tudo para que eles voltassem (Ed 11.5). É disso que trata o livro de Esdras - da volta dos judeus da Babilônia para Israel. O livro fala das dificuldades que Zorobabel enfrentou para reconstruir o santo templo; conta sobre a viagem de Esdras, e das reformas efetuadas por ele em Jerusalém.

Propósito. Este livro foi escrito para demonstrar a providência de Deus na restauração do remanescente judaico que voltou do exílio em Babilônia. (1) Deus moveu os corações de três diferentes reis persas, para ajudarem o povo de Deus à regressarem à pátria, repovoar Jerusalém e reedificar o templo; e (2) Proveu líderes espirituais e capazes para conduzir o remanescente que retornava, a um avivamento espiritual no culto a Deus, na dedicação à Palavra divina e ao arrependimento por causa da infidelidade do povo a Deus.

NEEMIAS

Quase um século passara desde que Zorobabel voltara Jerusalém. Depois dele, viera Esdras, com o segundo grupo. Isto já fazia treze anos. O templo tinha sido reconstruído por Zorobabel e Esdras tinha levado o povo a arrepender-se de seus pecados e a mudar de vida. Mas ainda faltava muita coisa a ser feita. Restaram erros a serem corrigidos, e os muros de Jerusalém estavam em ruínas. Então, Neemias veio a Jerusalém como governador, e reconstruiu os muros, apesar de toda a oposição que enfrentou. (Ne 6.15; 7.1). Corrigiu as desigualdades econômicas entre os judeus e os levou a um concerto com Deus. Depois do cativeiro babilônico, nunca mais os judeus caíram no pecado da idolatria.

Proposito. Este livro foi escrito (1) como epílogo a história pós-exílica de Judá, iniciado no livro de Esdras, e (2) para demonstrar o que Deus fez em favor do remanescente judeu através da liderança piedosa de Neemias e Esdras durante a terceira etapa da restauração pós-exílica.

ESTER

Neste livro, curiosamente, o nome de Deus não aparece, mas podemos ver a mão de Deus movimentando cada personagem, ordenando cada acontecimento. É por isso que é chamado de "O Romance da Providência". Conta a História de Ester, a bela órfã judia, adotada por seu primo Mardoqueu. Ela ganhou o concurso de beleza e casou-se com o rei Assuero. Quando o malvado Hamã armou uma trama para destruir os judeus, Ester arriscou a vida e intercedeu o rei. Através dela, Deus livrou da morte o seu povo (2.17; 1.6).

Propósito. O livro tem  um propósito duplo: (1) foi escrito para demostrar a proteção e livramento de extermínio iminente do povo de judeu, mediante a intervenção de Deus através da rainha Ester. Embora o nome de Deus não seja mencionado especificamente, a evidência é patente de sua providência no decurso de todo o livro. (2) foi escrito também, para prover um registro e contexto histórico da festa judaica de Purim (3.6,7; 9.26-28) e, assim, manter viva para gerações futuras, a lembrança desse grande livramento do povo judeu na Pérsia.



FONTES DE PESQUISA:



  • Bíblia de Estudo Pentecostal - Ed. CPAD
  • Revista Adolescentes Vencedores - Ed. CPAD



IMAGENS ILUSTRATIVAS


  • Google




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta