Galera de Cristo 10 - Vida Próspera com Deus

"Já fui jovem, e agora sou velho, mas nunca vi o justo desamparado nem a sua descendência mendigando pão"- Salmo 37.25

Hora da Verdade: Salmo 37.3-5,7,16,18,29; 65.9,10,13



PAPO SÉRIO

PORQUE CERTAS COISAS ACONTECEM?


"Pois eu invejava os arrogantes, ao ver a prosperidade dos perversos" Salmo 73:3. Este salmo de Asafe representa em grande parte o sentimento dos  cristãos nos dias atuais. Com o evangelho tão influenciado pelos princípios de capitalismo e prosperidade terrena deste mundo atual, muitos direcionam sua fé na avaliação da conquista das coisas terrenas e quando o resultado é negativo a comparação com o ímpio se torna  quase inevitável.
O salmista afirma que sua fé em Deus chegou a ser abalada, a ponto de:
1- sentir inveja dos ímpios;
2- considerar inútil a sua vida de santidade;
3- concluir que os resultados da vida com Deus, são injustos;
Em meio a esta guerra de conceitos entre o certo e errado, Asafe foi conduzido por Deus à Sua presença e então refletiu sobre o fim dos ímpios. Em resumo, assim como a vida terrena e todas as conquistas ligadas a ela, os ímpios são como “sonhos”, logo, passam. Sua vida é temporal, suas conquistas são passageiras. Não somos diferentes do salmista. Por vezes estamos até como embrutecidos diante de Deus, inconformados com nossas perdas, incapazes de compreender as coisas sob a ótica bíblica. Valorizamos as conquistas temporais dos ímpios e esquecemos que a nossa é eterna, e por isso de valor muito mais elevado. Que possamos descansar no fato de que é bom estar com Deus, independente se as circunstâncias não são as melhores. Saber que estamos junto Dele e que temos a sua proteção e orientação é o maior bem que o homem pode ter.

AS ATITUDES DOS IMPIOS

 ímpio põe a si próprio no centro do universo, não tem interesse pelo bem-estar das outras pessoas, pensa mais em si mesmo e muito pouco nos outros. Alimenta o desejo egoísta por poder e riquezas, intenção esta que o leva a desconsiderar valores morais, dignidade e bondade humana. Sem misericórdia, é capaz de oprimir quem não pode se defender. Este estilo de vida preza pelo amor ao dinheiro e tudo que ele pode comprar, faz o mundo estar repleto de situações opressivas. Quando uma pessoa assume o controle de sua vida, acreditando ser autosuficiente, não precisar seguir a orientação do Senhor, a vida desta pessoa perde o propósito e a bênção divina. Mesmo que conquiste uma posição financeira privilegiada, viverá carregando sua existência como um fardo pesado para sua alma.
Salomão, o homem mais rico de sua geração, procurou o sentido da vida sem o Criador no centro do coração humano, apresentou os aspectos da filosofia onde prevalece o pensamento que não leva em consideração a importância de reverenciar a Deus. Ele empreendeu uma busca inútil para encontrar a felicidade neste mundo. Percebemos que o acúmulo de bens e riquezas que Salomão possuiu não o tornaram um homem feliz. Ao final da procura, ele concluiu que a felicidade não reside em coisas materiais, que buscá-la neste mundo é uma vaidade. O termo vaidade pode ser entendido como correr atrás do vento, que é uma atividade totalmente sem sentido. Em Eclesiastes capítulo 4, Salomão observa o sentimento da avareza como pano de fundo de algumas opressões que predominavam no dia a dia contra trabalhadores. Ele percebeu que o esforço para conquistar condições de vida melhores causava desilusão; também, que algumas pessoas com objetivo de levar vantagem e enriquecer rapidamente provocavam o mal-estar de seus vizinhos. Ponderou que a pessoa obsessiva para ser superior aos demais pode se fartar daquilo que quer, porém, junto com seu aparente sucesso encontrará infelicidade interior e frustração. É melhor ter um pouco menos e desfrutar de uma consciência limpa (versículo 6).
A injustiça está em curso desde a queda de Adão e há de permanecer até o retorno de Cristo. A vida não é sempre fácil para os crentes. E por este motivo alguns cristãos podem estar embaraçados com a filosofia humanista. Às vezes pode passar o pensamento na cabeça do cristão que ele poderia ser mais feliz se tivesse algumas coisas que outras pessoas têm. No entanto, a experiência de Salomão demonstra que as coisas materiais não podem tornar a pessoa feliz, embora provoque alguma felicidade parcial e passageira. Não devemos nos concentrar apenas nas dificuldades. Deus é misericordioso e faz o sol nascer e a chuva cair sobre todos. Portanto, lutas e oportunidades da vida estão perante  justos e ímpios, bons e maus. Enquanto estivermos neste corpo de sangue e carne, estaremos tão sujeito às intempéries quanto ao céu de brigadeiro. Isto é: ao clima inóspito e também ao clima agradável, ao infortúnio e do mesmo modo ao sucesso, à doença e igualmente à saúde (Eclesiastes 9.2; Mateus 5.45).

Por que os ímpios prosperam e os justos sofrem? Quando o cristão está confuso devido passar por circunstâncias complicadas, pode encontrar consolo e fortaleza na oração, na comunhão com os irmãos, nos ensinamentos contidos na Bíblia Sagrada. Na oração, se aproxima de Deus em primeiro lugar. Na união fraterna Deus o vê e ordena que seja abençoado (Salmo 133). Através do contato com a Palavra o Espírito Santo ensina os propósitos de Deus para sua vida. Uma das bênçãos de se conhecer a Cristo é que, mesmo quando não encontramos facilmente as respostas, temos o poder para superar o problema e prosseguir com o Senhor. As filosofias deste mundo não são capazes de nos fazer realmente prósperos e felizes e nem nos dar a vida eterna. Ser próspero pela perspectiva bíblica não significa apenas estar acima da linha da pobreza, assim como ser salvo em Cristo é muito mais do que ser liberto da condenação ao inferno. Ser próspero e salvo é, entre muitas outras coisas, entender a vida através do ponto de vista de Deus e viver neste mundo, que despreza ao Senhor, triunfando segundo a vontade e graça divinas. Enquanto o cristão estiver neste mundo estará sujeito a sentir dor e experimentar sofrimento, mas deve considerar e esperar também que um dia estará livre das lágrimas e dores para sempre ao receber um corpo totalmente incorruptível, imortal, glorificado (Romanos 8,18-23; 1 Coríntios 15.52; Apocalipse 21.4).

A VERDADEIRA PROSPERIDADE

"Bem aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores; antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite. Pois será como a árvore plantada junto às correntes de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cuja folha não cai; e tudo quanto fizer prosperará."  Salmo 1: 1-3 Falar sobre prosperidade dá-se a entender que é como falar em riquezas. Contudo, ser próspero não significa ser rico. Ser próspero aos olhos de Deus é ser como alguém que produz bons frutos e os colhem em abundância. Segundo o contexto da palavra de Deus, o recebimento da verdadeira prosperidade material e espiritual vem de um resultado de obediência, reverência e temor a Deus. O ser humano que deseja ser próspero na vida, deve se submeter a uma vida regrada segundo os princípios e a vontade do Senhor. Pois é Ele quem governa todas as coisas, e é dEle que vem toda sorte de bênçãos. O desejo do nosso Deus é que seus filhos sejam prósperos. O seu interesse é que possamos possuir as boas coisas da vida. Por isso, sua palavra diz; "Se quiserdes, e ouvirdes, comereis o bem desta terra". (Isaías 1:19) Infelizmente, muitos têm um entendimento bastante distorcido do significado de prosperidade. Muitos pensam que os ricos e abastados é que são prósperos, já os pobres esses são culpados pela sua própria decadência. Claro que isso não é verdade. Pois a verdadeira prosperidade não está em bens materiais e sim em bens espirituais. Como está escrito em Mateus 6: 32, 33: "...pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas".  Deus sabe exatamente de tudo o que necessitamos, é Ele quem conhece nossos sonhos, e até nossas ambições. Contudo, também é Ele quem pode nos dar todas essas coisas, e muitas outras que nem podemos imaginar. Por outro lado, Deus conhece profundamente o íntimo do nosso coração e sabe perfeitamente nossas intenções. Por isso, os bens materiais só serão concedidos segundo a nossa fé e compromisso com Ele, e, é claro na proporção que o Senhor achar necessário para cada um de nós. A realidade vivenciada pelo ser humano é a sua constante luta para alcançar uma vida próspera. O motivo principal de não alcançá-la, é porque sempre está colocando seus problemas acima de todas as coisas e por incrível que pareça, até mesmo acima do poder de Deus. É por isso, que pessoas assim, vivem suas vidas em constantes reclamações e murmurações, e é claro que nada dá certo, e quando as coisas começam a ficar difíceis, os problemas parecem surgir um atrás do outro. É a velha e chamada independência, o maior mal que existe entre Deus e seus filhos. Estar independente de Deus é viver a vida tentando resolver por si só, e com suas próprias forças, os seus problemas, em vez de cair aos pés do Senhor e se humilhar demonstrando dependência total nEle. 





O profeta Habacuque, em seu livro demonstra várias de suas inquietações. As quais o importunava e lhes deixava indignado até com o próprio Deus. Suas perguntas confrontavam a Deus por não ouvir seus clamores e até seus gritos de socorro, isso fazia com que imaginasse que Deus o abandonou. Mas, a grande realidade foi à falta de submissão ao Senhor, a falta de uma entrega total a Ele. Foi quando no capítulo 2 de Habacuque, que ele recebe a resposta do Senhor após uma entrega total a Ele, e, assim diz as seguintes menções de Habacuque: "Pôr-me-ei na minha torre de vigia, colocar-me-ei sobre a fortaleza e vigiarei para ver o que Deus me dirá e que respostas eu terei à minha queixa. O Senhor me respondeu e disse: Escreve a visão, grava-a sobre tábuas, para que a possa ler até quem passe correndo. Pois a visão ainda está para cumprir-se no tempo determinado, mas se apressa para o fim e não falhará; se tardar, espera-o, porque, certamente, virá, não tardará". Colocar-se na torre de vigia, e lá orar e vigiar é a melhor forma para se obter respostas vindas de Deus a respeito de nossas queixas. Crer e ter fé acima dos obstáculos que a vida nos traz é garantir uma vida vitoriosa repleta de prosperidade e benção sem fim. O grande segredo para uma vida próspera nada mais é que colocar Deus em primeiro lugar em nossa vida, e não duvidar do Seu poder e nem daquilo que Ele possa nos dar!

FONTE DE PESQUISA

http://assembleiano.com.br

IMAGENS ILUSTRATIVAS

Google

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 03 - Os Dois Ícones da Igreja Primitiva

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta