Lição 06 - A Fonte de Toda Boa Dádiva

Texto Áureo: "Bendito Deus e Pai, [...] o qual  nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo" Efésios 1.3

Texto Bíblico Básico: Números 6.24-27; Deuteronômio 11.26-28; 
Tiago 1.16-18,22,23


AS BÊNÇÃOS DE DEUS
Há um Salmo na Bíblia que nos dá um dos mais preciosos ensinamentos para a nossa vida: “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem. Se o Senhor não guardar a cidade, debalde vigiam as sentinelas” (Sl 126,1).
Não é por acaso que o título desse salmo é “A fonte de todo bem”, isto é, a bênção de Deus. Muitas vezes, nosso trabalho não produz o que esperamos e nossas obras não dão o fruto que planejamos, porque confiamos apenas em nós mesmos e nos esquecemos de pedir a Bênção Daquele que é o Senhor de tudo e de todos, e que “tem o mundo em Suas mãos”. Tantas vezes Deus permite que nossos projetos fracassem para que aprendamos que sem a Sua Bênção nada podemos fazer.É próprio daquele que é humilde pedir a Bênção de Deus para sua vida e atividades. Da mesma forma, é próprio daquele que é orgulhoso e auto-suficiente contar apenas consigo mesmo e esquecer-se da graça de Deus. Muitos, após inúmeros sofrimentos e insucessos, acabam, pela própria graça de Deus, encontrando a face do Senhor entre os acontecimentos da vida. Outros, lamentavelmente, persistem em não querer ver a face daquele que tudo criou.
 Ser humilde é reconhecer que “toda dádiva boa e todo dom perfeito vem de cima: desce do Pai das luzes” (Tg 1,17) e que, portanto, não temos motivo algum para orgulho, vaidade e auto-suficiência. Da mesma forma, ser humilde é não se desesperar com a própria fraqueza, miséria ou impotência, uma vez que se reconhece que toda a força vem da bênção de Deus. O livro dos Provérbios ensina que “Deus despreza os soberbos mas concede a graça aos humildes” (Pr 3,34). Ele não ouve a oração do soberbo e, consequentemente, não lhe dá a Sua bênção. Por outro lado, Deus ama aquele que reconhece a própria fraqueza, e lhe dá a Sua graça.
Somente quando reconhecemos nossa pequenez é que podemos experimentar em nós o poder de  Deus. Foi o que o Senhor disse a Paulo: “Basta-te minha graça, porque é na fraqueza que se revela totalmente a minha força” (II Cor 12,9). Foi essa grande verdade, fruto da humildade, que levou o Apóstolo a exclamar: “Portanto, prefiro gloriar-me das minhas fraquezas, para que habite em mim  a força de Cristo” (II Cor 12,9b).
Vivemos grande parte da vida preocupados com nossas responsabilidades como pais, como profissionais, etc. Quando nos sentimos abalados e amedrontados com nossas tarefas diárias, não será porque contamos apenas com nós mesmos, esquecendo-nos da bênção de Deus? Nossos fardos são por demais pesados para que os carreguemos sozinhos. É preciso deixarmos que Deus os carregue para nós. De que forma? Confiando-Lhe nossas obras, entregando-Lhe nossas preocupações, confessando-Lhe nossa fraqueza e pedindo-Lhe Sua bênção para tudo o que fizermos.
Além disso, a melhor maneira de sermos copiosamente abençoados por Deus é fazendo a Sua santa vontade, realizando todas as coisas para Ele e por amor a Ele. É exatamente o que Paulo ensinou quando disse: “Tudo o que fizerdes, fazei-o de bom coração, como para o Senhor e não para os homens, certos de que recebereis, como recompensa, a herança das mãos do Senhor” (Cl 3,23-24). Esta é a melhor maneira de atrair sobre nós a bênção de Deus: trabalhar para Ele, qualquer que seja a atividade que exercemos. Não importa qual seja o nosso trabalho, pequeno ou grande; tudo deve ser bem feito, e, com muito amor, oferecido ao Senhor como nossa agradável oferta de cada dia.
É POSSÍVEL LIMITAR A AÇÃO DE DEUS NA NOSSA VIDA?



Quando falamos sobre obediência, estamos pontuando o principal condicionamento para que sejamos vitoriosos em todas as áreas de nossa vida. Deus prometeu a Josué, que ele faria o seu povo herdar a terra. Mas para isso, foi necessário que ele fosse um homem fiel e obediente a Palavra do Senhor. Josué precisava conquistar. Para conquistar é preciso primeiro obedecer. Este é um grande desafio para as pessoas. Um princípio criado por Deus para que caminhemos debaixo de Sua benção. O Senhor Jesus deu o exemplo maior de obediência e abnegação, se tornando homem, servo. Para cumprir um propósito de conquista do Pai (Fl. 2:3-16). Através da obediência o Senhor Jesus teve um resultado extraordinário de conquista: vidas salvas, que antes estavam caminhando para a morte eterna, para o inferno, por causa do pecado. A obediência trás a unção de conquista (Is. 1:19). Quem não é obediente não prospera, não cresce, não avança, fica estagnado espiritualmente. Tudo para. A soberba entra. Pois a desobediência é alimento para os espíritos malignos atuarem.

Onde entra a desobediência, principalmente contra a Palavra de Deus, entra a maldição (Gn. 3:17-19). Adão trouxe o aprisionamento do homem à maldição, quando desobedeceu ao Senhor (Rm. 3:12-14). Todos que procuram caminhar em direção à desobediência se perdem no caminho. Não há ninguém que tenha conseguido êxito em desobediência (Dt. 28:15-20). As maldições da lei alcançam àqueles que caminham em desobediência. Por esta razão, devemos estar dispostos a obedecer. Obedecer a Deus e a Sua Palavra. Obedecer aos líderes e suas orientações, sempre que estiverem na Palavra. Obedecer aos pais, enfim, todas as autoridades. Se quisermos receber as bênçãos que Jesus conquistou na cruz por nós, precisamos nos dispor para obedecer (Gl. 3:13-14). Todos devem estar debaixo da cobertura de um líder que tenha uma visão de Deus bem definida. Que traga a unção da obediência, que saiba ouvir e obedecer ao Espírito Santo. Não significa um aprisionamento. Deus estabeleceu para o homem o livre arbítrio. As pessoas identificam a vontade soberana de Deus e a vontade permissiva. Sabem muitas vezes o que tem que fazer, qual é a vontade soberana de Deus (pois essa fala no espírito) e escolhem ir para a direção que o Senhor tem para eles. Outros, no entanto, se aprisionam, (mesmo ouvindo a voz de Deus no espírito), decidem ficar nos seus próprios projetos, na vontade permissiva de Deus, se contrapondo a obedecer ao projeto soberano do Senhor em suas vidas. Sempre que alguém mergulha na obediência do que Deus fala no espírito, o sucesso está à porta. Pois Deus só respalda, aqueles que sabem ouvir à Sua voz e a obedecem.

A ação do Espírito Santo levou homens como Paulo, Estevão, Pedro, a serem obedientes até a morte. Há um decreto de vitória para os que andam segundo a Palavra. Não na desobediência da sua carne, olhando as circunstâncias, não mediante a sua religiosidade ou tradicionalismo. Mas segundo o poder de Deus que em nós habita. Somos levados a níveis de conquista em diversas áreas da vida: emocional, financeira, material, física, espiritual, quando somos “batizados” com a obediência. Se você é fiel a Deus em suas ofertas e dízimos, não há como a benção não te alcançar. Se você se santifica, ora, jejua, permite que seu caráter seja transformado, já é mais que vencedor. É herdeiro das bênçãos conquistadas no Calvário! Cristo em nós é a esperança da Glória! 

Quando a Igreja caminha sem se importar com que os homens irão achar ou falar, quando estamos olhando para o alvo da soberana vocação que está em Cristo Jesus, avançamos, avançamos e avançamos! Não importa o que falem de você meu irmão, o que importa é você adorar e servir ao Pai, buscando e amando os perdidos. Se os religiosos preferem obedecer aos homens que a Deus, como em Atos Pedro afirmou, deixe-os e prossiga em obediência ao que o Espírito tem dito à Igreja (At. 4:14-22). Deixa o ABCD da religião, da tradição, da hipocrisia. Entra hoje no OBDC do Pai! Muda a sua história meu amado (a). Seja imerso no Rio de misericórdia e no chuveiro de graça. Deus te prepara para um nível novo do Seu sobrenatural. Obedeça. Faça discípulos, pregue a Palavra, cure os enfermos, expulse os demônios, limpe os leprosos, ressuscite os mortos, de graça receba e de graça dê. Esta é a ordem de Jesus. Nunca deixe de agradar ao Pai com a sua obediência. Seja um vencedor!

FONTE DE PESQUISA
http://www.atosdois.com.br/

IMAGENS ILUSTRATIVAS

Google

Comentários

  1. A paz do Senhor.
    O salmo acima é o Salmo 127.1 e não o Salmo126.1.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta