Lição 10 - Certeza da provisão Divina

"Mas buscai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas" - Mateus 6.33


Texto Bíblico Básico - I Reis 17.8-16





 A ESCASSEZ E OS PROPÓSITOS DE DEUS

Gostaria de começar esta postagem com um testemunho pessoal de como Deus atendeu um desejo do meu coração sem eu nunca ter pedido nada a Ele - e usou a escassez para isso. Sempre trabalhei fora, longe de casa, em outra cidade; mas quando meu filho mais velho nasceu, nasceu junto uma vontade imensa de trabalhar em casa para ficar mais perto dele. Mas nem sempre as coisas acontecem da forma que imaginamos ou queremos, mas Deus tem seus planos e sua maneira de agir, basta fé e esforço da nossa parte. E assim, a escassez atingiu minha vida em seu ponto máximo há quatro anos atrás. Tudo ia bem, até a escassez da empresa onde eu trabalhava, se estender aos funcionários, incluindo eu. Com meu salário atrasado meses e meses, nosso orçamento foi apertando cada dia mais, meu marido dava conta apenas de cobrir o limite do cheque especial, cujo juros chegaram ao valor da prestação de um carro zero. Não havia saída; estávamos no deserto, com o Mar Vermelho na frente e Faraó atrás nos alcançando. Foi quando Deus abriu o Mar pra gente atravessar. A escassez nos obrigou a tomar uma atitude. Deus disse a Moisés na ocasião: "Porque clamas a mim? Diga ao povo de Israel que marche!" Foi o que fizemos. Paramos de clamar e marchamos. Deixei meu emprego e começamos  - com muita fé e coragem - um empreendimento voltado para animais de estimação.  Na nossa casa! Como eu sempre quis! Deus foi nos mostrando o caminho a seguir, abrindo o mar! Compramos todo o nosso equipamento de segunda mão (que até hoje permanecem em excelente estado sem nunca terem dado defeito), aos poucos fomos ficando conhecidos em nossa cidade e a nossa  pequena empresa ainda não viu a crise que está assolando nosso país, para honra e glória do nome de Jesus! Veio meu segundo filho este ano, e Deus me deu o privilégio de ser mãe em tempo integral, sem deixar de trabalhar, de contribuir para o nosso sustento. Hoje eu olho para trás e ainda fico maravilhada com o que Deus fez! Ainda vejo o Mar se fechando e engolindo Faraó e seu exército. Quando a Bíblia nos diz que "todas as coisas contribuem para o bem dos que amam a Deus", isso inclui a escassez também! Creia, confie!  Marche! Deus há de lhe mostrar o caminho porque Ele tem o melhor pra você!
Jó  e Abraão: carências distintas, respostas divinas similares. As pessoas em algum momento de suas vidas já passaram pela escassez. Ela não acontece apenas no campo material. A decadência profissional, as instabilidades do dia a dia, os danos, as enfermidades e o isolamento são apenas algumas das muitas faces da escassez que se abate sobre o homem. Todavia, por trás de todas as manifestações de ausências está a pior revelação desse problema: a escassez emocional e espiritual. As Escrituras nos fornecem exemplos de homens e mulheres que mergulharam em situações de necessidades extremas. Abraão e Sara experimentaram a escassez de um filho, ou como muitos preferem dizer, de um herdeiro (Gênesis 17.1-6). Tudo que eles possuíam era uma expectativa do Senhor. Porém, o patriarca decidiu confiar que a promessa se cumpriria, em vez de concentrar-se na dificuldade, e viu sua escassez se transformar em abundância.

Jó também passou por momentos de adversidades. De repente uma devastação visitou sua vida e ele perdeu tudo. Perdeu bens, perdeu filhos, perdeu saúde. E agora quem poderia lhe ajudar? Sua esposa? Seus amigos? A esperança em Deus é o melhor remédio nas horas amargas da travessia pelo ermo. Em meio a tanta dor, Jó declarou:“Ainda que Deus me mate, nele esperarei; contudo, os meus caminhos defenderei diante dele (Jó 13.15)”. Mais adiante (38.1, 4-11) percebe-se que Jó entendeu o assunto. Deus não deve explicações a ninguém. Absolutamente nada. E mesmo que Deus tentasse explicar certas coisas para o ser humano ele não entenderia, não conseguiria naquele momento compreender. A matemática do homem é totalmente diferente da de Deus. Enquanto para o homem dois mais dois são quatro, para Deus pode ser quatrocentos. E daí? Quem pode discordar e dizer que não? Vale lembrar a passagem de Isaias 55. 8-9: “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os seus caminhos, diz o SENHOR, porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos”.

Elias e a viúva de Sarepta. Ela vivia na pequena cidade portuária de Sarepta, entre Tiro e Sidon, na Fenícia. O marido havia morrido. Ela e o seu filho estavam também prestes a morrer, pois havia uma terrível seca na terra. Não tinha chovido durante muito tempo. Os depósitos de água estavam esgotados e a terra incapaz de produzir quaisquer colheitas. As reservas de alimento estavam a desaparecer e não podiam ser renovadas. As dificuldades da vida diária avolumavam-se não só para esta viúva, mas para qualquer outro habitante do país. Restava-lhe um pouco de óleo e de farinha – exatamente o necessário para preparar a refeição final para ela e para o filho. Depois de a comerem, só podiam esperar a morte. Saiu para juntar lenha e fazer a última comida. Quando chegou às portas da cidade, viu um homem com uma longa túnica atada com um cinto de couro. Não o conhecia, pois tratava-se dum estrangeiro. Era Elias, um profeta de Israel. Ele chamou-a e pediu-lhe que lhe trouxesse um pouco de água num vaso, para beber. Ela reconheceu que ele era um santo homem. Podia verificar isso pelas suas vestes. Embora não tivesse água para dispensar, ela sentiu que não podia desapontá-lo. Tinha de fazer o que ele pedia. O Deus de Elias não era o deus dela. Ela era uma pagã. Mas tinha ouvido o suficiente acerca do Deus de Israel, para sentir um profundo respeito e temor por Ele. Quando se voltou para ir a casa buscar água, ele disse: "Traze-me um bocado de pão na tua mão". Ela explicou-lhe a situação, dizendo: "Vive o Senhor teu Deus, que nem um bolo tenho, senão somente um punhado de farinha numa panela, e um pouco de azeite numa botija; e vês aqui apanhei dois cavacos e vou prepara-los para mim e para o meu filho, para que o comamos e morramos''. Esperava que a sua triste história o convencesse de que, infelizmente, não podia atender o seu pedido. Mas não foi isso que aconteceu, pois ele respondeu: "Não temas; vai, faze conforme a tua palavra. Porém, faze disso primeiro para mim um bolo pequeno, e traze-mo para fora; depois farás para ti e para o teu filho. Porque assim diz o Senhor Deus de Israel: A farinha da panela não se acabará, e o azeite da botija não faltará, até ao dia em que o Senhor dê chuva sobre a terra''. Ela nunca havia tido antes qualquer coisa que não pudesse acabar. Pessoalmente, nunca tinha tido qualquer contato com o Deus de Israel. Embora este homem falasse em nome de Deus, que garantia teria ela de que era enviado por Ele? Por ela estava pronta a arriscar-se, mas precisava de ter em consideração a vida do seu filho. O seu único filho.

Um grande ato de fé estava a ser exigido desta mulher pagã. Ela era desafiada a crer na palavra dum homem, quando não tinha qualquer prova de que fosse mesmo um servo de Deus. Como é que poderia confiar nele? Mas pressentiu uma autoridade na voz do homem. Decidiu correr o risco. E depois de ter servido a refeição ao profeta, ainda havia farinha e azeite que chegavam para ela e para o filho! Este milagre repetiu-se por muitos dias. A experiência era semelhante à contínua provisão de Deus do pão para os israelitas, no deserto (Êx. 16). Continuou a ser um desafio diário à sua fé. A reserva era sempre tão escassa que não podia pôr qualquer alimento de lado e confiar nele. Só podia confiar na promessa de Deus. Desse modo, todos os dias se requeria dela um ato de fé, fé na palavra que era falada. E diariamente ela, o filho e Elias experimentavam o milagre, pois em cada dia havia o suficiente para todos comerem. Continuou assim durante muitos dias. A sua fé encorajou-se em Deus.
        Muitos hão de convir que a escassez  espiritual é a mais dolorosa, principalmente para aqueles que um dia já sentaram à mesa do Senhor e receberam dEle a sua paz e o seu amor. É angustiante contar apenas com aquilo que o dinheiro pode resolver, mas não ter meios para extinguir o vazio da falta de Deus. É de uma graça e leveza inconfundível poder em nossas vidas viver na presença suave e doce do Espírito de Deus.

A FARTURA E OS PROPÓSITOS DE DEUS


O que aprendo com o tempo da fartura?

1- É Deus quem dá (Atos 17:25, 28) – “pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas... Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos” – é permissão de Deus.  Davi entendia que tudo que ele possuía era providência de Deus (I Crônicas 29:11-14). Toda a riqueza provém de Deus, a Ele a honra, a Ele a glória e a Ele o louvor



2- A fartura e a bênção vêm de maneira progressiva. Deus começa a multiplicar do pouco que temos. Por isso a Bíblia nos recomenda sermos fiéis no pouco (Mt 25.21).

3- A bênção de Deus é múltipla. Deus não vai só nos abençoar financeiramente, tem bênçãos emocionais, tem bênçãos físicas, tem bênçãos espirituais para nossas vidas, tem  o novo de Deus pra nós.

4- A fartura é pra ser compartilhada
Deus não nos abençoa pra sermos um miseráveis, Ele nos abençoa para abençoarmos outras pessoas. (Ne 8:10).

5- A fartura possui 2 ingredientes fundamentais para acontecer: 
O milagre de Deus e a produtividade humana
- Exemplos: Deus pode multiplicar o azeite e a farinha, mas quem pode fazer o bolo é o homem, Deus pode mandar chuva no tempo seco, mas quem planta é o homem. Seja produtivo!

6. O tempo da fartura é precedido por uma palavra profética
 Abraão: estava na tenda, amuado, sozinho – Deus o chamou para fora, mandou olhar para o céu e Ele falou que a descendência seria como as estrelas. O tempo da escassez tem limite, o tempo da fartura não tem limite – a vitória sempre vai ser maior do que a derrota

Que venha chuva sobre as nossas vidas, sobre o nosso matrimônio, sobre os nossos negócios, sobre nossos filhos, exaltemos  a Deus! 



A FARTURA E A PALAVRA PROFÉTICA


 O Salmo 37:18,19 diz: "O Senhor conhece os dias dos íntegros, e a herança deles permanecerá para sempre. Não serão envergonhados no dia do mal, e nos dias da fome se fartarão" . A promessa de DEUS hoje é que sejamos capazes não apenas de enfrentar sem medo as condições caóticas e a turbulência que estão vindo sobre o mundo, sabendo que Deus fará provisão para as nossas necessidades. Deus prometeu que, em tempo de escassez, desfrutaríamos fartura, seríamos satisfeitos. “A palavra “satisfeito” é tradução da palavra hebraica saba, que significa “encher-se até a fartura”, “estar cheio”, “ ter abundância”. Neste texto nos é dada a garantia de que Deus sabe o destino supremo dos que andam retamente diante Dele. A sua herança é eterna. Sabemos que temos uma herança eterna esperando por nós no céu. Mas Ele também está interessado em nossa existência diária agora, aqui na terra. Está interessado em nossas necessidades financeiras e nos problemas que enfrentamos. Ele sabe do que precisamos antes mesmo de lhe pedirmos e promete que no tempo da adversidade, não seriamos envergonhados. Isso quer dizer que seja lá qual for a circunstância que enfrentemos, nunca seremos derrotados, contanto que confiemos Nele. Nós não estamos isentos, nem imunes às adversidades, aos problemas e às dores, mas temos a promessa de sermos libertos de todas as tribulações - Provérbios 11:8 – "O justo é libertado da angústia; e o ímpio fica em seu lugar". Ele nos livrará do laço do caçador, Salmo 91:3 – "Porque ele te livra do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa". Ele nos libertará de toda obra maligna, II Timóteo 4:18 "E o Senhor me livrará de toda má obra, e me levará salvo para o seu reino celestial; a quem seja glória para todo o sempre". Nós temos a promessa da provisão de DEUS para os tempos de escassez, não apenas para sobreviver ou suprir necessidades:  teremos com abundância. 

FONTES DE PESQUISA

http://sermaoesbocos.blogspot.com.br
http://grupocaminhopaz.blogspot.com.br
http://prsidneyholandaiii.blogspot.com.br

IMAGENS ILUSTRATIVAS

Google

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta