Galera de Cristo 13 - Jesus, o Rei da Glória


"O Senhor é Rei para todo o sempre- Salmo 10.16a

Hora da Verdade: Salmo 24.1-10



PAPO SÉRIO

O REI ETERNO TORNOU-SE HOMEM

Quando Isaías falou da vinda de Jesus Cristo, profetizou que nEle seria revelada a glória de Deus para que toda a raça humana a visse (Is 40.5). Tanto João (Jo 1.14), como o escritor aos Hebreus (Hb 1.3) testificam que Jesus Cristo cumpriu essa profecia. A glória de Cristo era a mesma glória que Ele tinha com seu Pai antes que houvesse mundo (Jo 1.14; 17.5). A glória do seu ministério ultrapassou em muito a gloria do ministério do Antigo Testamento (II Co 3.7-11). Paulo chama Jesus de "o Senhor da Glória" (I Co 2.8), e Tiago o chama "nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da Glória" (Tg 2.1).

Repetidas vezes, o Novo Testamento refere-se ao vínculo entre Jesus Cristo e a glória de Deus (Jo 2.11; 11.40-44). Cristo transfigurou-se em meio a "uma nuvem luminosa" (Mt 17.5), onde Ele recebeu glória (II Pe 1.16-19). A hora da sua morte foi a hora da sua glorificação (Jo 12.23,24). Subiu ao céu em glória (At 1.9). Agora está exaltado em glória (Ap 5.12,13), e um dia voltará sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória (Mt.24.30).

A GLÓRIA DE DEUS NA VIDA DO CRENTE

Como a glória de Deus relaciona-se ao crente pessoalmente? Concernente à glória celestial e majestosa de Deus, é bem verdade que ninguém pode contemplar essa glória e sobreviver. Sabemos que ela existe, mas não a vemos. Deus habita em luz e glória inacessíveis, que nenhum ser humano pode vê-la face a face (I Tm 6.16).

A glória shekinah de Deus, no entanto, era conhecida do seu povo nos tempos bíblicos. No decurso da história até o presente, sabe-se que os crentes tiveram visões de Deus, semelhantes às de Isaías (Is 6) e Ezequiel (Ez 1), embora isso não fosse comum naqueles tempos e nem agora. A experiência da glória de Deus, no entanto, é algo que todos os crentes terão na consumação da salvação, quando virmos Jesus face a face. Seremos levados à presença gloriosa de Deus (Hb 2.10). Compartilharemos da glória de Cristo (Rm 8.17). receberemos uma coroa de glória (I Pe 5.4). Até mesmo o nosso corpo ressurreto terá a glória do Cristo ressurreto (I Co 15.42).

De um modo mais direto,  crente experimenta a presença espiritual de Deus. O Espírito Santo nos aproxima da presença de Deus e do Senhor Jesus (II Co 3.17). Quando o Espírito opera poderosamente na igreja, através das suas manifestações sobrenaturais (I Co 12.1-12), o crente experimenta a glória de Deus no seu meio, um sentimento da majestosa presença de Deus, semelhante ao que sentiram os pastores nos campos de Belém quando nasceu o Salvador (Lc 2.8-20).

O crente que abandona o pecado e repudia e idolatria pode ser cheio da glória de Cristo, bem como do espírito da glória (IPe 4.14); na realidade, uma das razões de Jesus vir ao mundo foi para encher de glória os crentes (Lc 2.29-32). Como salvos por Cristo Jesus, devemos viver a nossa vida inteira para a glória de Deus, a fim de que ele seja glorificado em nós (Jo 17.10; I Co 10.31).


FONTE DE PESQUISA

Bíblia de Estudo Pentecostal - Ed. CPAD

IMAGENS ILUSTRATIVAS

Google

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 03 - Os Dois Ícones da Igreja Primitiva

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta