Galera de Cristo 02 - O Que é Conhecer a Deus

"Conheçamos o Senhor; esforcemo-nos por conhecê-lo" - Oséias 6.3a

Hora da Verdade: Efésios 3.17-19; I João 4.12-15



PAPO SÉRIO


Mesmo sendo verdade que em parte alguma as Escrituras Sagradas procuram provar a existência de Deus mediante provas formais, reconhece-se contudo, como um fato mais que evidente a Sua existência. O fato da Bíblia não tentar provar a existência de Deus é porque em todas as partes das Escrituras compreende-se a Sua existência. Nas páginas das Escrituras, Deus aparece aos homens, Deus fala, o homem ouve a Sua voz, Deus aproxima-se dos homens, faz concerto com eles; dá -lhes mandamentos. Deus salva o seu povo; Deus castiga e corrige o Seu povo; faz-lhe promessas, abençoa-os e por isso a sua existência é mais do que provada.

Deus é, eternamente subsistente em Três Pessoas: O Pai, P Filho e O Espírito Santo, pois a Bíblia diz: "Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor" (Dt 6.4); "...batizando -os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo" (Mt 28.19); "Porque três são os que testificam no Céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um" (I Jo 5.7)

DEUS REVELOU-SE

Através da natureza (Rm 1.20). Uma vez que Deus criou o universo não nos surpreende que o próprio mundo físico revele o Criador, pois "os céus manifestam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra de suas mãos" (Sl 19.1). Contudo é bom lembrar que a natureza não revela tudo sobre Deus. por exemplo: Deus é uma Trindade, e isso não é revelado pela natureza e sim pela palavra escrita de Deus.

Através das Escrituras. Hebreus 1.1,2 fala de como, nos antigos tempos, Deus se serviu aos profetas para comunicar a Sua vontade e a Sua revelação aos homens. As pregações dos profetas constituem parte das Escrituras Sagradas, por milênios, Deus revelou -se ao homem através das suas obras, isto é, da criação como vemos acima. Porém, segundo o seu propósito, chegou o tempo em que ele desejou alcançar o homem com sua revelação maior. o que na verdade Ele o fez de forma dupla: (a) Através da Bíblia (palavra escrita); (b) Através de Jesus Cristo - a palavra ou o Verbo vivo (Jo 1.1). Deste modo, o estudo das Escrituras impõe-se como principal meio do homem vir a conhecer a Deus e a tudo que se relaciona a Ele.

TRÊS MANEIRAS DE RECEBER A REVELAÇÃO DE DEUS

Através da razão. Quando o apóstolo Paulo pregou o Evangelho, ele "disputava com eles sobre as Escrituras, expondo e demonstrando que convinha que Cristo padecesse..." (At 17.2,3). Ele empregou um processo "racional" para levar seus ouvintes à Cristo. Embora o Evangelho não proceda do raciocínio humano, é necessário apresentá-lo de modo racional, Ao mesmo tempo que o Evangelho apela ao coração, de igual modo fará à mente (Rm 1.28).

Através da fé (Hb 11.6). Pela fé cremos e confiamos em Deus, mesmo sem vê-lo pessoalmente. É assim que aceitamos que o Mundo, ou seja, a Terra; e os mundos, os demais planetas, foram por Ele criados (Hb 11.3). A fé é o instrumento pelo qual o homem crê em Deus e nas coisas a Ele relacionadas. Sem ela não é possível aceitar os ensinamentos de Deus.

Através da obediência a Deus. A obediência é uma atitude que muito agrada a Deus. Qualquer pessoa que decida fazer a vontade de Deus, entregando a sua vida a Cristo, receberá de Deus sua Graça, Sua salvação, Seu amor, Seu poder, Sua sabedoria, e Seu conhecimento (Rm 11.33-36). A obediência a Deus traz inúmeras bênçãos ao crente. Uma delas é que ela faculta conhecer mais de perto a Deus.


OS ATRIBUTOS NATURAIS DE DEUS

Atributo quer dizer: Aquilo que é próprio de alguém. São qualidades ou propriedades essenciais de uma pessoa. Os atributos de Deus indicam os vários aspectos do Seu caráter e também o que Deus é em sim mesmo, indica a natureza íntima de Deus.

Deus é espírito (Jo 4.24). Deus é Espírito com personalidade. Deus tem personalidade. Ele é uma Pessoa. Sendo Ele Espírito, não está sujeito ás limitações como os homens. As marcas de uma personalidade são: (a) vida: Só um ser vivo pode ter personalidade. A Bíblia fala do Deus vivo: "A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo..." (Sl 42.2); (b) inteligência. Deus tem inteligência, sabedoria, conhecimento, presciência; (c) Consciência de si próprio. Encontramos essa consciência acerca de Deus  em toda a Bíblia; (d) autodeterminação. O Senhor exerceu o Seu arbítrio divino e irrevogável (Jó 23.13,14).

Deus é eterno. "De eternidade em eternidade Tu és Deus" (Sl 90.2). Não teve princípio, não tem fim. Não foi criado por ninguém, é auto-existente, simplesmente é eterno.

Deus é Onisciente (Sl 139.104). Ele conhece todas as coisas. Nada se pode esconder Dele. Ele conhece os pensamentos e os sentimentos da humanidade em geral e de cada pessoa em particular. Ele conhece os segredos dos nossos corações (Sl 44.21). Conhece os nossos motivos. Na verdade só Deus tem esse atributo.

Deus é Onipresente (Sl 139.4-12). O salmista reconhecendo a onipresença de Deus, pergunta-lhe: "Para onde me irei do Teu Espírito ou para onde fugirei da tua face?" Deus está em todos os lugares ao mesmo tempo, porém habita no céu (Dt 26.15).

Deus é Onipotente (Jó 42.2). Significa que Ele  é Todo Poderoso. Para Ele nada é impossível ou difícil de realizar (Lc 1.37). Ele detém a autoridade suprema sobre todas as criaturas, Seu poder é ilimitado.

OS ATRIBUTOS MORAIS DE DEUS

Deus é santo. A santidade de Deus significa a sua absoluta pureza moral; Ele não pode pecar nem tolerar o pecado (Êx 15.11; Lv 11.44,45).

Deus é Justo. (Dt 32.4). A justiça é uma obediência a uma norma reta em relação a outrem. Deus manifesta este atributo quando livra o inocente, condena o ímpio e exige que se faça justiça. Deus julga não como fazem os juízes humanos, que baseiam seus julgamentos sobre evidências ou argumentos apresentados perante eles por outrem; Deus não precisa disso; Ele conhece as evidências.

Deus é Fiel. Ele é digno de toda confiança. As Suas Palavras e promessas jamais falharão. Seu povo pode descansar em Suas promessas (Nm 23.19; I Co 1.9).

Deus é Amor. (I Jo 4.8). O amor é atributo de Deus em razão do qual ele deseja relacionamento pessoal com aqueles que possuem Sua imagem e mui especialmente com aqueles que foram santificados em caráter, feitos semelhantes a Ele (I Jo 3.1; Jo 3.16).

Deus é imutável. Deus não pode atuar em oposição à Sua própria natureza. É impossível que Ele minta ou mude (I Sm 15.29; Ml 3.6). Deus só trabalha com a verdade.

Deus é misericordioso. A misericórdia de Deus é a divina bondade em ação. Bondade essa que se comove a favor dos homens, provendo alívio, e no caso dos pecadores impenitentes demonstra paciência longânima (Lm 3.22).

Deus é bom. (Sl 25.8; 106.1). Tudo quanto Deus criou era bom. Era isso uma extensão da sua própria natureza (Gn 1.4,10,12,18,25,31). Ele continua sendo bom para a Sua criação ao sustentá-la, para o bem de todas as suas criaturas (Sl 104.10-28). Ele é tão bom, que cuida até dos ímpios (Mt 5.45; At 14.167). Se Deus é bom para com os ímpios, imaginemos como Ele é bom para com aqueles que o servem! 145.18-20). 

Deus é compassivo. (Sl 86.15). Ser compassivo significa sentir compaixão ou sentir dor ao ver o sofrimento alheio, com desejo de ajudar e socorrer. Jesus demonstrou esse sentimento pelas multidões ao vê-las perdidas.


FONTES DE PESQUISA

Livro do Curso de Discipulado e Aperfeiçoamento Doutrinário - Pr. Wilson Valentim dos Santos, pgs 11,12,13.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta