Galera de Cristo 08 - A Justiça de Deus


"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça" - I João 1.9
Hora da Verdade: Romanos 6.1-14
PAPO SÉRIO
A BÍBLIA E A JUSTIFICAÇÃO
O verdadeiro evangelho proclama a realidade da justificação. O apóstolo Paulo, escrevendo aos Romanos diz: “visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito:o justo viverá por fé”. (Romanos 1.17). O evangelho proclama que somos justos. Não fizemos nada para alcançar esta justiça. Ela é dom de Deus e a recebemos pela fé. Não há obra que nos torne mais dignos, mais justos, mais merecedores… Tudo o que somos agora foi por causa do que Jesus fez. A obra perfeita já foi realizada por Ele. O evangelho proclama que todo aquele que recebeu a abundância da graça e o dom da justiça reina em vida através de Cristo Jesus. Essa é a nossa realidade!
Veja o que diz Romanos 5.17: Se pela ofensa de um e por meio de um só, reinou a morte, muito mais os que recebem a abundância da graça e o dom da justiça reinarão em vida por meio de um só, a saber, Jesus Cristo.”
Precisamos ter a consciência de que “um presente não se compra”. Justiça é um presente, é um dom e também não se vende, nem se compra. Quando fazemos algo para Deus, qualquer “obra”, não fazemos para “comprar” justiça. Fazemos porque já somos justos!
Muitas pessoas pensam que podem crescer em justiça. Mas, a única coisa que podemos fazer é crescer no entendimento do que ser justiça de Deus significa. O sangue de Cristo já nos libertou. Acredite: o sangue perfeito já funcionou! Ele nos justificou.
Foi para isso que nós nascemos de novo: para ter uma nova natureza. Se nascemos de novo, nascemos com outra natureza e não com a antiga! Por isso, é um novo nascimento! Agora temos a natureza de Deus, estamos reconciliados com Ele e temos paz. (Romanos 5.1)
Vamos considerar o que significa não ter mais culpa. Fomos declarados: – Inocentes! Jesus pagou a nossa dívida e isto é maravilhoso demais! O verdadeiro amor lançou fora todo o medo. Agora podemos nos achegar com confiança diante do trono da graça porque não somos mais pecadores. O pecado não é mais a nossa natureza. Vamos celebrar a nova vida, somos justos, herdeiros com Cristo, filhos de Deus, Sua família!
 Aquele que não conheceu pecado, Ele o fez pecado por nós; para que n’Ele, fôssemos feitos justiça de Deus” (II Coríntios 5.21)
O QUE É JUSTIFICAÇÃO
Para colocar de forma simples, justificar significa declarar justo; fazer alguém justo diante de Deus. Justificação é quando Deus declara justo todo aquele que recebe a Cristo, baseado na justiça de Cristo sendo debitada às contas daqueles que O recebem. Apesar de que podemos achar justificação como um princípio por todas as Escrituras, a passagem principal que descreve justificação em relação aos crentes é Romanos 3:21-26: 

Biblicamente, a justificação é um conceito jurídico ou forense, e tem o significado de “declarar justo”. É o ato de Deus mediante o qual ele, em sua graça, declara justo o pecador, isentando-o de qualquer condenação.

"Mas agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus testemunhada pela lei e pelos profetas; justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos {e sobre todos} os que crêem; porque não há distinção, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus."

Somos justificados (declarados justos) no momento de nossa salvação. Justificação não nos faz justos, mas declara nossa justiça. Nossa justiça vem de colocarmos nossa fé no trabalho completo de Jesus Cristo. Seu sacrifício tira o nosso pecado, permitindo com que Deus nos veja como perfeitos e sem qualquer mancha. Por causa do fato de que como crentes estamos em Cristo, Deus vê a justiça de Cristo quando Ele olha para nós. Isso alcança as exigências de Deus para perfeição; portanto, Ele nos declara justos – Ele nos justifica. 

Romanos 5:18-19 resume esse conceito muito bem: "Pois assim como, por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também, por um só ato de justiça, veio a graça sobre todos os homens para a justificação que dá vida. Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos." Por que esse pronunciamento de justiça é tão importante? "Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo" (Romanos 5:1). É por causa da justificação que a paz de Deus pode governar em nossas vidas. É por causa do fato de justificação que crentes podem ter a garantia de salvação. É o fato de justificação que deixa Deus começar o processo de santificação – o processo pelo qual Deus torna realidade em nossas vidas a posição que já ocupamos em Cristo.

 Justificação não é: 

o acusado ser:
   (1) absolvido merecidamente (ter sua inocência reconhecida), por realmente não ter nenhum pecado, por ser perfeito na qualidade de ser bom.
   (2) absolvido imerecidamente (declarado como inocente, sem o ser) devido à esperteza de advogado e fraqueza do juiz Rom 3:19.
   (3) perdoado, anistiado, receber indulto e uma 2a. chance, por juiz que não é perfeita justiça.
   (4) libertado sob palavra, tornar-se livre com certas restrições.

Justificação é: 

ato (instantâneo, completo e definitivo) judicial  de Deus ao declarar que o pecador (que se arrependeu e creu em Cristo, e à conta da penalidade sobre Este como seu substituto): 1) não mais será punido; 2) será considerado como sendo justo; e 3) está  restaurado ao Seu favor.

Estão envolvidos na justificação:
a) Remissão (perdão) dos pecados (reler, detalhadamente, "Remissão dos pecados");

b) Restauração ao favor de Deus .
- O pecado não apenas trouxe o merecimento de penalidade como também afastou o favor de Deus (João 3:36; Rom 1:18; ler depois: Rom 5:9; Gál 2:16-17);
- Justificação não é mera absolvição, ou indulto, ou liberdade condicional, pois o justificado passa a ser considerado:
Amigo de Deus 2Cro 20:7; Tia 2:23;
. Herdeiro de Deus e CO-herdeiro com Cristo Rom 8:16-17; ler depois: Gál 3:26; Heb 2:11.


RESULTADOS DA JUSTIFICAÇÃO


a. Remissão (perdão) da culpa do pecado Ato 13:38-39; Rom 4:7 (= Sal 32:1-2, acima); 2Cor 5:19,21; Efé 1:7; ler depois: Rom 6:23; 8:1,33-34; Efé 4:32; Col 2:13. (Ver "Remissão (Perdão)"). A condenação foi definitivamente afastada Rom 8:33-34; a paz com Deus foi definitivamente estabelecida Rom 5:1; ler depois: Efé 2:14-17. 

b. Restauração ao favor divino Rom 5:1-11; 4:6 (= Sal 32:1-2, acima); ler depois: 1Cor 1:30; 2Cor 5:21. (Ver "Reconciliação")

c. Imputação da justiça de Cristo Rom 4:5; 1Cor 1:30; 2Cor 5:21; ler depois: Mat 22:11 (as vestes de núpcias garantiam e eram necessárias para aceitação); Luc 15:22-24 (as vestes no filho pródigo); Rom 4:11. (Ver "Imputação da Justiça de Cristo"). O crente está agora vestido na justiça de Cristo e aceito na comunhão com Deus.

d. Herança Tit 3:7; ler depois: 1Pe 1:3-4; Rom 8:17; (ver "Adoção").

e. Viver transformado, em justiça Fp 1:11; ler depois: 1Joã 3:7.
Tia 2:14-16 enfatiza a necessidade de um fé viva, i.é a indispensabilidade da fé ser verdadeira (fé que transforma e produz obras) em oposição à fé falsa ("pseudo-fé", estéril).

f. Confiança de que está definitivamente salvo da vindoura ira de Deus Rom 5:9; 1Te 1:10.

g. Definitiva confiança de que será glorificado Mat 13:43; Rom 8:30; Gál 5:5.

Concluindo: o homem justifica somente o inocente, mas Deus somente o culpado. O homem se justifica na base do auto-merecimento, mas Deus na base do mérito do Salvador.Demos toda a glória à Trindade, exclusivamente a ela! Exultemos! Adoremos!


FONTES DE PESQUISA

http://verbodavida.org.br/mensagens-gerais/a-justica-de-deus-se-revela-no-evangelho
http://www.gotquestions.org/Portugues/justificacao.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 03 - Os Dois Ícones da Igreja Primitiva

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta