Lição 08 - Livro dos Salmos Parte V (Sl 107 a 150)


"O Senhor reinará eternamente; o teu Deus ó Sião, é de geração em geração. Louvai ao Senhor" - Salmo 146.10

Texto Bíblico Básico: Salmo 145.8-10; Salmo 147.11,12; Salmo 148.1-4; Salmo 149.1,2; Salmo 150.1,2,6




LOUVOR A DEUS POR SUA GRANDEZA

O Salmo 139 traz palavras profundas de uma linda oração, mas, além disso, também fala um pouco sobre 3 atributos de Deus: o conhecimento, presença e poder. O prefixo ONI significa único ou total, de maneira que Deus é o único e totalmente Senhor. Fazemos algumas perguntas: Já parou para pensar como Deus sabe todas as coisas? Como o Senhor pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo? Sabia que o poder de Deus é infinito? O que Deus sabe?  Onde Deus está? O que Deus pode fazer? A resposta é simplesmente: TUDO! Vamos basear no Salmo 139 e refletir sobre três atributos principais de Deus:

1- Onisciência (Salmos 139.1-6 e 17,18) 
Deus é Onisciente!!! Ele sabe todas as coisas. O salmista diz que Deus sabe todas as coisas, desde as mais simples como se assentar, andar deitar e levantar, até as mais difíceis como os pensamentos e as palavras antes que sejam ditas. Deus nos conhece profundamente. Ele nos sonda e conhece. A sonda era uma espécie de corda com um peso na ponta que era usada para ‘sondar’ a profundidade de um rio, lago ou mar. Deste modo o salmista compara conosco dizendo que Deus sabe o que há no mais profundo de nosso ser. O Senhor sabe todas as coisas sobre nós, até o que ninguém, nem mesmo nós sabemos, Deus sabe. Por isso ele diz: “Que preciosos para mim, ó Deus, são os teus pensamentos! E como é grande a soma deles! Se os contasse, excedem os grãos de areia; contaria, contaria, sem jamais chegar ao fim.” (v.17,18). Somente Deus pode saber todas as coisas. Todos os mistérios e coisas ainda não descobertas Deus já sabe. O Senhor sabe tudo o que já aconteceu no passado e o que haverá no futuro. Somente Ele pode saber isso. Também sabe o que todas as pessoas pensam e ninguém mais pode saber isso, somente Deus. Qualquer pessoa que diga adivinhar o futuro ou passado está mentindo, por que este conhecimento é reservado somente para Deus (Isaías 44.25;Deuteronômio 18.10). Talvez você pense ‘mas se Deus sabe que vai acontecer o mal, por que não impede?’. Saiba que Ele quer impedir, mas respeita as decisões e conseqüências dos atos humanos, por que nos ama. O ser humano quer saber tudo. Estuda a história e faz previsões do tempo. Tudo isso por que Deus permite que use sua inteligência a seu favor. Contudo sempre haverá perguntas sem resposta. Há mistérios que pertencem somente a Deus, por que somente Ele é Onisciente.

2- Onipresença: Salmos 139.7-12. Deus é Onipresente!!! Ele está em todos os lugares. O salmista declara que Deus pode estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Para Deus não há distância. Mesmo que se esconda no mais profundo ou mais alto lugar, “ainda lá me haverá de guiar a tua mão, e a tua destra me susterá” (v.10). Pelo fato de estar presente em todo lugar ao mesmo tempo, Deus pode ver tudo. O salmista ainda diz que mesmo que se esconda no lugar mais escuro, Deus pode ver do mesmo jeito por que “até as próprias trevas não te serão escuras: as trevas e a luz são a mesma coisa” (v.12). Você pode se perguntar: ‘se Deus está em todo lugar, então estaria em locais onde está sendo cometido o pecado?’. Sim. Mas mesmo que Deus esteja presente, o que diferencia é como está presente. Certamente o Senhor está triste e não tem prazer naquele momento ali. Seria como quando você está em um lugar que não gostaria de estar, mas precisa ficar. Deus em todo tempo e lugar está bem acordado (Salmo 121.3,4). O ser humano busca onipresença. Cria máquinas ágeis para estar em mais de um lugar num mesmo dia, envia sua imagem através da tecnologia querendo estar presente através de sua voz em lugares longínquos. Isso tudo só é possível por que Deus permite ao ser humano como seu semelhante (mas nunca igual). Contudo a Onipresença pertence somente a Deus. Não há onde alguém possa fugir da presença de Deus, principalmente se você entregou sua vida pra Jesus, a mão de Deus te acompanhará onde estiver.

3- Onipotência: Salmos 139.13-16. Deus é Onipotente!!! Ele tem todo o poder. O salmista declara o poder infinito de Deus ao dizer que Deus pode dar a vida. O maior milagre de todos é a vida. Você pode plantar uma semente, mas não pode fazê-la nascer se não for a vontade de Deus. Um cientista pode fazer uma inseminação artificial, mas o dom da vida pertence a Deus. Quando paramos para pensar que Deus mesmo quando estávamos no ventre materno, lá ele já sabia tudo sobre nós (Onisciência), ali estava presente gerando a vida e formando nosso ser (Onipresença) e que o próprio Deus nos trouxe à existência (Onipotência), ficamos maravilhados com a grandeza deste Deus. Mais uma vez você pode questionar ‘se Deus pode tudo por que não acaba com o mal de uma vez?’. Deus tem lutado contra o mal o tempo todo e tudo que não é Dele será destruído quando“a morte e o inferno foram lançados para dentro do lago de fogo” (Apocalipse 20.14), mas até este momento final, Deus continuará lutando a favor da humanidade, à medida que esta reconheça o Seu poder. O inimigo, antes chamado Lúcifer, caiu por querer ter maior poder que Deus. O ser humano também se esquece que há um limite para sua existência e pensa que pode tudo, por isso há tantos problemas. O poder é a causa da luta entre as pessoas quando um quer exercer força sobre seu próximo. A luta pelo poder tem gerado guerras. Esta não é a vontade de Deus. Quando reconhecemos que todo poder pertence a Deus, tornamo-nos mais humildes e dependentes do Senhor com capacidade para amar o nosso próximo. Quando encontramos algo impossível, há uma oportunidade para conhecer o poder de Deus “Porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas” (Lucas 1.37) e “Os impossíveis dos homens são possíveis para Deus” (Lucas 18.27). Mesmo que o ser humano faça grandes descobertas e alcance muito poder, Deus sempre reservará algo, um limite, para que a humanidade dependa do Senhor.
.;
 Salmos 139.23,24. O ser humano quis pela ciência conhecer a terra, os mares e o ar (busca pela onisciência), também desejou andar por todo o planeta com seus veículos velozes, navegar como os peixes e voar como pássaros (busca pela onipresença), ou seja, quer dominar tudo exercendo poder sobre o mundo (busca pela onipotência). Mas somente Deus pode saber tudo, estar em todo lugar e tem todo o poder por que só Ele é Onisciente, Onipresente e Onipotente. O salmista ao reconhecer a grandeza dos atributos de Deus também demonstra indignação pelas mazelas do ser humano nos versículos 19 a 22 onde deseja que Deus em seu conhecimento, presença e poder infinitos faça justiça dizendo “Tomara, ó Deus, desses cabo do perverso” (v.19). Não compete a nós julgar por que Deus tem todo conhecimento, presença e poder e não resolve como e quando queremos os problemas do mundo. O que devemos fazer é permitir que a sonda de Deus penetre em nosso íntimo nos conhecendo, estando presente em nós e operando o impossível em nosso ser. Assim devemos também orar dizendo: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno”
Salmos 139.23,24

LOUVOR A DEUS PELA SUA PALAVRA

O Salmo 119 é geralmente lembrado por ser o capítulo mais longo da Bíblia e, também, por referir-se, quase que exclusivamente, à importância da Palavra de Deus para a vida do cristão. Confesso que, a exemplo de muitos irmãos, nunca havia me aventurado a meditar mais detidamente sobre o Salmo 119, já que as poucas vezes que o li, o fiz mais por obrigação do que por prazer. Entretanto, mergulhar no Salmo 119 é um ótimo e prazeroso exercício para o cristão, buscando entender melhor o que ele ensina. Embora, por si só, o Salmo 119 sirva para inspirar um livro inteiro em 2 ou 3 volumes, alguns versículos merecem ser brevemente destacados. A estrutura do Salmo 119 é bem conhecida. É um salmo composto de 22 estrofes, uma para cada letra do alfabeto hebraico, de “Álefe a Tau”, ao que corresponderia a “de A a Z” no nosso alfabeto ocidental, ou seja, é um poema em acróstico com as 22 letras do alfabeto hebraico compostas em estrofes. Cada estrofe é composta de 8 versículos, que, no original hebraico, começam com a mesma letra a que se refere a estrofe. Oito também são os sinônimos, em hebraico, para as palavras que se referem à Palavra de Deus, geralmente traduzidas em português por:
1) lei - תּורה - tôrâh ;
2) testemunhos - עדוּת - ‛êdûth;
3) preceitos - פּקּוּד - piqqûd ;
4) estatutos - חקּה - chûqqâh ;
5) mandamentos - מצוה - mitsvâh ;
6) juízos - משׁפּט - mishpât ;
7) palavra - דּבר - dâbâr ;
8) ordenanças - מנּי - minnêy.


A autoria do Salmo 119 é desconhecida e controversa, embora alguns estudiosos a atribuam a Esdras, enquanto a maioria prefere se manter afastada desta polêmica. Aqueles que atribuem a Esdras o Salmo 119 filiam-se à corrente de estudiosos que identifica indícios de sua composição após o exílio babilônico por um sacerdote ou levita . Esses indícios seriam as referências aos "poderosos" do v. 23, ao falar "diante de reis" do v. 46, de ter o Senhor como "herança" no v. 57, e de ser perseguido por "governantes" no v. 161. De fato, existe uma considerável probabilidade de que os eventos que se sucederam ao retorno do exílio babilônico tenham motivado Esdras, Neemias e os levitas a comporem o Salmo que prega exatamente a fidelidade à Lei de Deus e o arrependimento pelo fato do povo ter dela se desviado. Quando o capítulo 9 de Neemias narra a confissão coletiva do povo de Israel, termina com "um firme concerto e o escrevemos; e selaram-no os nossos príncipes, os nossos levitas e os nossos sacerdotes" (v. 38). O capítulo 10 enumera as famílias dos que firmaram este pacto, que, segundo o v. 29, "firmemente aderiram a seus irmãos, os mais nobres de entre eles, e convieram num anátema e num juramento, de que andariam na Lei de Deus, que foi dada pelo ministério de Moisés, servo de Deus; e de que guardariam e cumpririam todos os mandamentos do SENHOR, nosso Senhor, e os seus juízos e os seus estatutos", atitude corroborada pelo v. 106 do Salmo 119, em que o salmista proclama: "Jurei e cumprirei que hei de guardar os teus justos juízos". Repare que somente em Neemias 10:29 aparecem quatro termos diretamente associados à Palavra de Deus: "Lei", "mandamentos", "juízos" e "estatutos". Se já era típico do povo hebreu a repetição de termos para fixá-los ainda mais, este comportamento foi ainda reforçado após o retorno do exílio.

“Esconder a palavra no coração” foi sempre um recurso usado pelos cristãos em épocas de perseguição, do Império Romano à Era Comunista, mas quantos de nós realmente nos preocupamos em guardar a palavra no coração para não pecar contra Deus? É interessante que a própria raiz latina da palavra “decorar” (no sentido de “memorizar”) vem do coração (“de cuore”), ou seja, significa “guardar no coração”. Mais interessante ainda é que o próprio idioma inglês conserva este significado, já que “decorar” em inglês se diz “to learn by heart”. Como vimos anteriormente, a palavra hebraica aqui traduzida por "palavra" não significa exatamente "lei" ou "mandamento", mas "promessa". O que deve nos animar, portanto, a uma vida fiel para com Deus é a Sua promessa de companhia e salvação.

Orações contidas no Salmo 119

1 – O Salmista pede que seja ensinado. V.12 – Bendito és tu, ó Senhor! Ensina-me os teus estatutos. V.26 – Meus caminhos te descrevi, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos. V.33 – Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos teus estatutos, e guardá-lo-ei até o fim. V.64 – A terra, ó Senhor, está cheia da tua benignidade; ensina-me os teus estatutos. V.66 – Ensina-me bom juízo e ciência, pois cri nos teus mandamentos. V.68 – Tu és bom e abençoador; ensina-me os teus estatutos. V.108 – Aceita, Senhor, eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha boca; ensina-me os teus juízos. V.124 – Trata com o teu servo segundo a tua benignidade e ensina-me os teus estatutos. V.135 – Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo e ensina-me os teus estatutos.


2 – Pede Inteligência. V.34 – Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei e observá-la-ei de todo o coração. V.27 – Faze-me entender o caminho dos teus preceitos; assim, falarei das tuas maravilhas. V.73 – As tuas mãos me fizeram e me afeiçoaram; dá-me inteligência para que aprenda os teus mandamentos. V.125 – Sou teu servo; dá-me inteligência, para entender os teus testemunhos. V.144 – A justiça dos teus testemunhos é eterna; dá-me inteligência, e viverei. V.169 – Chegue a ti o meu clamor, ó Senhor; dá-me entendimento conforme a tua palavra.


3 – Pede que seja vivifcado. V.25A minha alma está pegada ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra. V.37 – Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade e vivifica-me no teu caminho.


V.40 – Eis que tenho desejado os teus preceitos; vivifica-me por tua justiça. V.88 – Vivifica-me segundo a tua benignidade; então, guardarei o testemunho da tua boca.

V.107 – Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua palavra. V.149 – Ouve a minha voz, segundo a tua benignidade; vivifica-me, ó Senhor, segundo o teu juízo. V.154 – Pleiteia a minha causa e livra-me; vivifica-me, segundo a tua palavra. V.156 – Muitas são, ó Senhor, as tuas misericórdias; vivifica-me, segundo os teus juízos. V.159 – Considera como amo os teus preceitos; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua benignidade.

4 – Pede a benevolência de Deus. V.8 – Observarei os teus estatutos; não me desampares totalmente. V.17 – Faze bem ao teu servo, para que viva e observe a tua palavra. V.41 – Venham também sobre mim as tuas misericórdias, ó Senhor, e a tua salvação, segundo a tua palavra. V.58 – Implorei deveras o teu favor de todo o meu coração; tem piedade de mim, segundo a tua palavra. V.77 – Venham sobre mim as tuas misericórdias, para que viva, pois a tua lei é a minha delícia. V.82 – Os meus olhos desfaleceram, esperando por tua promessa; entretanto, dizia: Quando me consolarás tu? V.132 – Olha para mim e tem piedade de mim, conforme usas com os que amam o teu nome.


5 – Pede sustento, socorro e livramento. V.28 – A minha alma consome-se de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra. V.94 – Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos. V.116 – Sustenta-me conforme a tua palavra, para que viva, e não me deixes envergonhado da minha esperança. V.117 – Sustenta-me, e serei salvo e de contínuo me alegrarei nos teus estatutos. V.134 – Livra-me da opressão do homem; assim, guardarei os teus preceitos. V.146 – A ti te invoquei; salva-me, e guardarei os teus testemunhos. V.173 – Venha a tua mão socorrer-me, pois escolhi os teus preceitos. V.170 – Chegue a minha súplica perante a tua face; livra-me segundo a tua palavra.


6 – Pede proteção contra maus caminhos e maus hábitos V.10 De todo o meu coração te busquei; não me deixes desviar dos teus mandamentos. V.22 – Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois guardei os teus testemunhos. V.29 – Desvia de mim o caminho da falsidade e concede-me piedosamente a tua lei. V.36 – Inclina o meu coração a teus testemunhos e não à cobiça. V.39 – Desvia de mim o opróbrio que temo, pois os teus juízos são bons. V.84 – Quantos serão os dias do teu servo? Quando me farás justiça contra os que me perseguem? V.121 – Fiz juízo e justiça; não me entregues aos meus opressores. V.122 – Fica por fiador do teu servo para o bem; não deixes que os soberbos me oprimam.


7 – Pede que seja guiado por Deus. V.35 – Faze-me andar na verdade dos teus mandamentos, porque nela tenho prazer. V.133 – Ordena os meus passos na tua palavra, e não se apodere de mim iniquidade alguma. V.176 – Desgarrei-me como a ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueci dos teus mandamentos.


8 – Pede comunhão plena. V.18 Desvenda os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei. V.19 – Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos. V.31 – Apego-me aos teus testemunhos; ó Senhor, não me confundas. V.38 – Confirma a tua promessa ao teu servo, que se inclina ao teu temor. V.43 – E de minha boca não tires nunca de todo a palavra de verdade, pois me atenho aos teus juízos. V.49 – Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar. V.145 – Clamei de todo o meu coração; escuta-me, Senhor, e guardarei os teus estatutos.


São necessárias a paciência e a perseverança na leitura e na meditação dos preceitos de Deus, exarados na Bíblia, para sermos bem-sucedidos na vida de servos de Deus. Jamais serão confundidos ou frustrados os que atenderem, de bom grado, aos mandamentos do Senhor. A oração é forte aliada dos amantes das Escrituras Sagradas. A repetição da meditação nos tópicos do estudo fará bem ao coração e solidificará o fiel na Rocha Eterna. O Senhor Jesus Cristo disse: “Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai e permaneço no seu amor.” Jo 15.10. ARC.


LOUVOR A DEUS PELOS SEUS FEITOS

As abordagens do louvor a Deus

1.Este Salmo é muito apropriado para ser o último salmo, pois é a conclusão da principal ênfase dos 150 salmos, o louvor a Deus e a alegria da música.

2.A expressão “louvai” se repete por doze vezes, talvez sugerindo que o louvor deve estar entre as doze tribos de Israel. Os levitas eram responsáveis pelos instrumentos de música, mas não só eles devem louvar ao Senhor, mas todos, e não apenas judeus, mas também os gentios.

3.Nós vamos estudar as abordagens do louvor a Deus. Abordar é chegar até a borda de uma embarcação. Não entendemos tudo sobre o louvor, mas podemos abordar, chegar até a beira do assunto.


4.O louvor a Deus pode ser abordado de algumas formas


O louvor a Deus é prestado em um lugar e com um motivo (v.1-2)

1. O crente pode louvar a Deus em qualquer lugar, mas Deus reservou o Templo de Israel como o lugar especial de adoração, assim como o céu é o lugar mais especial de sua habitação e louvor. O céu é referido aqui como o firmamento do Seu poder (v.1).

2.As obras do Senhor são o motivo do nosso louvor. Desde a Criação até hoje, Deus opera maravilhas neste mundo e em nossas vidas (v.2).

3.Nunca conseguiremos louvar a Deus conforme a grandeza Dele, pois o nosso louvor é muito imperfeito diante de Sua perfeição; é muito pequeno diante de Sua grandiosidade (v.2).

4.O louvor não é um show realizado em qualquer lugar e por qualquer motivo, mas a fonte é Deus e o alvo é o próprio Deus.

O louvor a Deus é prestado com música (v.2-5)

1.As expressões de louvor são: vozes, instrumentos e danças. As músicas em louvor a Deus devem se sujeitar exclusivamente ao louvor a Ele. As expressões de alegria com gestos eram comum entre o povo de Deus. Hoje, dificilmente conseguiríamos dançar sem associar a dança com sensualidade.

2.Os instrumentos mencionados no v.3 são os de sopro e os de corda. O saltério são os louvores cantados (v.3).

3.Os adufes são instrumentos de sopro da família da flauta. O órgão, evidentemente, não é o instrumento que conhecemos com esse nome, pois foi inventado muito depois disso (v.4).

4.O címbalo é o “tselatsal” ou literalmente “zumbido de locusta”. Hoje se conhece o címbalo como um instrumento que se toca com pequenas hastes batendo em laminas alinhadas de diversos tamanhos que se produzem sons distintos uns dos outros (v.5).

5.É maravilhoso que vários instrumentos produzam sons agradáveis para o louvor de Deus. Uma orquestra para o louvor de Deus. Alguns acham que à medida que os instrumentos eram mencionados eram tocados formando uma orquestração final.

O louvor a Deus é prestado por todos os seres (v.6)

1.Os que respiram devem louvar ao Senhor. Estão incluídos os animais, porém, eles não podem louvar a Deus com entendimento. A sua própria existência já serve de louvor ao Senhor.

2.Somente o homem pode louvar a Deus com entendimento e, ainda assim, somente os salvos. Portanto, a exigência para o louvor a Deus não é a afinação musical, mas a existência (v.6).

3.A música profissional exige qualificação. O louvor a Deus exige uma qualificação maior: um coração reto.


Só resta dizer: Louve ao Senhor!


FONTES DE PESQUISA


http://www.esbocosermao.com/2011/10/onisciente-onipresente-e-onipotente.html
http://www.midiagospel.com.br/estudobiblico/estudosbiblicos-as-oracoes-contidas-no-salmo-119
http://www.e-cristianismo.com.br/vida-crista/reflexoes-no-salmo-119.html
http://obomministro.blogspot.com.br/2011/07/salmo-150.html


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta