Lição 04 - Aliança Abraâmica


"Portanto, é pela fé, para que seja segundo a graça, a fim de que a promessa seja firme a toda posteridade , não somente à que é da lei, mas também a que é da fé de Abraão, o qual é pai de todos nós" - Romanos 4.16

Texto Bíblico Básico: Gênesis 12.1-5,7,8; Gálatas 3.13,14


A ALIANÇA ABRAÂMICA



Participantes. Deus e Abraão estão envolvidos nesta aliança, na qual Abraão é o representante da futura nação judaica. Já vimos que as três primeiras alianças tratam da humanidade em  declínio e como um todo. A partir desta quarta aliança, Deus trata com um povo especial e começa a fase ascendente de seu plano para que a comunhão entre Ele e o homem fosse progressivamente restaurada. É a partir de Abraão que Deus começará a se relacionar com um povo, ou seja, seus descendentes; estes descendentes constituíram a igreja visível de Deus no Antigo Testamento. Quando os gentios nesta época queriam adorar a Deus, se tornavam prosélitos, eram circuncidados e guardavam a Lei de Deus. Este povo não seria somente os seus descendentes, mas todos aqueles que professassem fé no Deus de Abraão. 

Prosélito: Pessoa que abdicava de suas crenças para adotar a religião judaica. Religião. Indivíduo que se converteu ao judaísmo ou a qualquer outra religião, doutrina, seita etc. Adepto, partidário - pessoa que abraçou uma seita, uma doutrina, um partido.

Abraão morava em Ur dos Caldeus, seu pai se chamava Terá e era idolatra (Josué 24.2). Em Abraão, Deus começa um novo estágio do pacto da redenção, a Igreja Visível surge com Abraão. É com Abraão que Deus vai fazer um sinal visível de seu relacionamento: A Circuncisão. É com os descendentes de Abraão que Deus estabelecerá a Páscoa, é com os descendentes de Abraão que Deus ira ordenar a Lei, é dos descendentes de Abraão que Jesus nasceu. Deus justificou e chamou Abraão quando ele não era circuncidado, até porque a circuncisão é selo da fé, da aliança que Deus fez com Abraão. Por que cremos no Deus de Abraão somos chamados filhos de Abraão, no sentido de sermos identificados com Ele (Gálatas 3. 6-14). Deus chama Abraão e faz com ele um pacto, e todo aquele que professar fé em Deus, independente da nação, este que é verdadeiro filho de Abraão, este é o sentido que Paulo diz: "Ora, tendo a Escritura previsto que Deus justificaria pela fé os gentios, preanunciou o evangelho Abraão dizendo: Em ti, serão abençoados todos os povos". (Gálatas 3.8).

Cláusulas: Vemos um total de catorze cláusulas com promessas para Abraão, para a sua descendência (Israel)e para os gentios. O fato de que essas promessas foram feitas a Abraão e à sua descendência, mostra que algumas delas não tiveram ainda seu cumprimento pleno, mas aguardam pelo reino messiânico.

(1) Uma grande nação se formaria a partir de Abraão, a nação de Israel (Gn 12.2a; 13.16;  15.5; 17.2; 22.17)
(2) Promessa de uma terra- a terra de Canaã (12.4-7)
(3) O próprio Abraão seria grandemente abençoado (12.2b)
(4) O nome de Abraão seria grande (12.2c). Isto é verdade hoje entre judeus, muçulmanos e cristãos 
(5) Abraão seria uma bênção para outros (12.2d).
(6) Aqueles que abençoassem Abraão e seus descendentes seriam abençoados (12.3a)
(7) Aqueles que amaldiçoassem Abraão e seus descendentes seriam amaldiçoados (12.3b)
(8) Em Abraão, todas as nações da terra seriam abençoadas (12.3c; 22.17,18
(9) Abraão teria um filho de sua esposa Sara (15.1-4; 17.16-21)
(10) Seus descendentes seriam escravos no Egito (15.13-14)
(11) Outras nações, além de Israel, nasceriam de Abraão. Os estados árabes são algumas dessas nações. Muitos de seus descendentes de tornariam reis, judeus e não judeus (14.4-6)
(12) Seu nome é trocado de Abrão "pai exaltado", para Abraão "pai de muitas nações 17.5)
(13) O nome de sua esposa é trocado de Sarai "minha princesa", para Sara, "a princesa" (17.5)
(14) O sinal da aliança: circuncisão (17.9-14). A circuncisão indicava que esta era uma aliança de sangue e enfatizava assim a sua solenidade. Outros povos do Oriente próximo já praticavam por ocasião do nascimento ou puberdade. No entanto, havia uma particularidade na circuncisão da aliança abraâmica: Era um símbolo externo ou visível de estar em aliança com Deus. Paulo explica o significado do circuncisão para a Novo Aliança em Rm 2.28,29 e Cl 2.11,12. Hoje a circuncisão é feita pelo Espírito Santo, no interior, e envolve o despojamento das obras da carne. Significa morrer e ressuscitar com Cristo, o que é simbolizado pelo batismo.

As Promessas de Deus a Abraão

Deus chama Abrão de sua terra em Gênesis 12. Sara sua mulher era estéril e pelos costumes da época seu servo Eliezer poderia ser “adotado” ficando com todos os seus bens, Mas Deus tinha outros planos para Abraão. Ele disse que Sara teria um filho. Imaginem a alegria que o patriarca deve ter sentido. Talvez tivesse pensado no fato de ser velho, mas mesmo assim o Texto Sagrado nos diz que Ele creu em Deus e isto lhe foi imputado para justiça Gn. 15.6.

1- Qual é o significado deste pacto? O pacto foi feito entre Deus e Abraão e tem um significado muito profundo, Abraão pega os animais (novilha, cabra, cordeiro, rola e um pombo) e os parte ao meio com exceção das aves Gn 15.10. Qual a razão disto? A razão era a seguinte: Estava sendo estabelecido um pacto, este pacto não era diferente quanto à essência do anterior feito com Adão e Noé, o pacto era ministração de graça. Lembremos que até o momento não existia uma povo especifico separado para Deus, do patriarca Abraão, Deus iria levantar este povo, e para mostrar a imutabilidade de seu propósito Deus entra em aliança com Abraão.

2- O que aconteceu neste pacto? O verso 12 do cap. 15 descreve que caiu profundo sono em Abraão e grande pavor e cerradas trevas o acometeram. O Senhor lhe fala que sua descendência seria peregrina em terra alheia e reduzida a escravidão e seria afligida por 400 anos. Interessante observarmos a exatidão da narrativa, antes de Israel se tornar escravo, ele foi peregrino em terra alheia, só é olharmos a historia de Isaque, Jacó. Aqui nós temos o decreto da escravidão de Israel, na história de José temos todo o desenrolar da providência para que os filhos de Jacó fossem ao Egito e ficassem lá, para que o decreto que Deus tinha anunciado a Abraão se cumprisse. Deus disse também que iria julgar aquela gente, como de fato fez, na história da travessia do mar vermelho. 

3- E para prova isto algo extraordinário aconteceu. O verso 17 descreve que: "Posto o sol, houve densas trevas; E eis um fogareiro fumegante e uma tocha de fogo que passou entre aqueles pedaços" (verso 17) Por que Deus fez isto? Esta atitude tinha um significado espantoso, a ideia era de que a parte que quebrasse o acordo seria morta e cortada ao meio da mesma forma como aqueles animais foram. Deus estava mostrando a Abraão o quanto levava sério a aliança. Deus cumpriu a aliança estabelecida com Abraão, tudo que tinha dito se cumpriu.



ISAQUE, UM TIPO DE CRISTO

No capítulo 22, muitos detalhes do sacrifício de Isaque espelham eventos da morte e ressurreição de Jesus (Hb 11.17-19). O Senhor disse a Abraão: "Toma Isaque, teu único filho, a quem amas, e vai -te à terra de Moriá; oferece-o ali em holocausto sobre um dos montes que eu te mostrarei (v.2). Este versículo oferece um paralelo com a entrega que Deus, o Pai, fez de Seu Filho Unigênito. Acredita-se quo o monte na terra de Moriá seja a mesma colina em Jerusalém em que o Templo veio a ser construído e onde Israel oferecia seus sacrifícios. O sacrifício de Isaque foi voluntário (v.3-5), tal qual o de Jesus (Jo 10.17,18). A disposição de Abraão em sacrificar Isaque e a provisão de um cordeiro (v 6-14), retratam o sacrifício que Jesus fez definitivamente por nossos pecados (Jo 1.29; Hb 10-.12). 

ABRAÃO E A NOVA ALIANÇA


A aliança com Abraão prefigurava a Nova Aliança. Em Gênesis 15.5,6, Abraão é justificado por sua fé. Aproximadamente dois mil anos antes da Nova Aliança, Abraão viveu o  princípio mais central da graça de Deus: a justificação pela fé. A frase "ele creu no Senhor", no hebraico, significa literalmente "ele se apoiou sobre Jeová". Era mais que aceitar intelectualmente a promessa - refere-se a confiar incondicionalmente na pessoa de Deus e em Sua promessa. Abração colocou sua pessoa e seu futuro nas mãos de Deus.
A frase que é traduzida por fazer aliança, no original significa “cortar uma aliança” que é justamente fazendo menção ao caráter da aliança, caso não cumpra, as partes contratantes precisam ser cortadas como os animais. Essa ideia de cortar a aliança, aparece em outras alianças no Antigo Testamento Jz 2.2; I Sm 11. 1-2, Is 28.15, Jr. 11.10, Ez 17.13; Os 2.18. Qual é a significação desta divisão de animais no momento de estabelecimento de aliança? Tanto a evidência bíblica quanto a extra bíblica combinam no sentido de: confirmar significação especifica para este ritual. A divisão do animal simboliza um “penhor de morte”, no momento do compromisso da aliança. Os animais desmembrados representam a maldição que o autor do pacto invoca sobre si mesmo caso viole o compromisso que fez. A aliança tem uma característica que é o derramamento de Sangue. 

A Circuncisão do Coração

Antes de Abraão, Deus se relacionou com famílias, vemos, por exemplo, o caso de Noé e família. Eles não receberam um sinal visível deste relacionamento. Foi com Abraão que Deus estabeleceu um estagio da aliança da redenção que teve como “uma” característica bem diferenciada das anteriores é neste estagio que Ele dá um sinal, que todos aqueles que faziam parte da Igreja visível no Antigo Testamento deveriam ter: A circuncisão. O que significa a Circuncisão no contexto da aliança que Deus fez com Abraão? É importante entendermos isto. A circuncisão indicava necessidade de purificação. O ato higiênico da remoção do prepúcio simbolizava a purificação necessária para o estabelecimento de uma relação de aliança entre um Deus santo e um povo profano. A aplicação da circuncisão ao primeiro pai da linha familiar da promessa indicava que apenas a descendência física “não era suficiente para fazer verdadeiros israelitas”. A impureza e a inabilitação da natureza humana deviam ser eliminadas. 

 Circuncisão era a cerimônia onde era cortada a pele que cobre a cabeça do órgão genital masculino, também chamada de prepúcio. Algo bem parecido com a cirurgia de fimose realizada em nossos tempos. Era realizada nos meninos ao oitavo dia de vida.“Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós e a tua descendência: todo macho entre vós será circuncidado. Circuncidareis a carne do vosso prepúcio; será isso por sinal de aliança entre mim e vós. O que tem oito dias será circuncidado entre vós” (Gn 17. 10-12). Seu significado era bem mais profundo do que um corte visível feito na carne. A circuncisão mostrava que aquela criança fazia parte da aliança de Deus feita com o povo de Israel. A circuncisão também era realizada nos escravos que não tinham o sangue Israelita, mas que faziam parte do povo. “todo macho nas vossas gerações, tanto o escravo nascido em casa como o comprado a qualquer estrangeiro, que não for da tua estirpe. Com efeito, será circuncidado o nascido em tua casa e o comprado por teu dinheiro; a minha aliança estará na vossa carne e será aliança perpétua.” (Gn 17. 12-13).
No Novo Testamento, a palavra circuncisão era usada para apontar para aqueles que eram Israelitas (judeus). O termo, porém, ganha um significado mais profundo nas cartas de Paulo, onde ele introduz o conceito de “circuncisão do coração”, que significa uma conversão genuína, baseada na fé e na obediência a Jesus Cristo. Deus não requer mais de nós um sinal feito na carne, mas sim um sinal feito no coração de homens e mulheres. “Pelo contrário, o verdadeiro judeu é aquele que é judeu por dentro, aquele que tem o coração circuncidado; e isso é uma coisa que o Espírito de Deus faz e que a lei escrita não pode fazer…” (Rm 2. 29 – NTLH)



FONTES DE PESQUISA


http://ipcbpaulista.blogspot.com.br/2010/01/alianca-abraamica-enquanto-que-na.html
http://estudos.gospelmais.com.br/o-que-significa-circuncisao.html
https://pt.scribd.com/doc/84159699/ALIANCAS-DE-DEUS-NA-BIBLIA

Comentários

  1. Amei o estudo dessa semana.uito esclarecedor. Sou fã do seu blog. Deus te abençoe. Rosangela

    ResponderExcluir
  2. Amei o comentário. Vai ser muito útil na aula que vou ministrar domingo. Deus abençoe você.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta