Lição 01 - A Igreja na Pós-Modernidade



Texto Áureo: "Mas nós temos a mente de Cristo" - I Coríntios 2.16b

Texto Bíblico Básico: Colossenses 2.4-11; Mateus 28.19,20



CARACTERÍSTICAS DA PÓS MODERNIDADE

Nossa geração enfrenta uma crise que tem afetado toda a vida, seja nas áreas da psicologia, antropologia, sociologia, filosofia ou teologia, questões que no passado eram definidas, retornam nesta era como grandes desafios para sociedade. As questões que envolvem a homossexualidade, aborto, eutanásia, racismo, pobreza, religiosidade entre outras, voltaram para um estado de indefinição. No entanto, é bom ressaltar que estas questões perturbam não apenas a da igreja, mas toda a sociedade. Este estado de indefinição não é uma questão que afeta apenas a igreja, mas toda a sociedade, porém vivemos um momento em que de um lado está a sociedade que acredita que suas dúvidas são legítimas e para as quais não existem resposta. A sociedade não quer resposta, quer apenas permanecer neste estado de intermitente desafiando toda sorte de absolutos com perguntas para as quais nem ela mesmo não possui respostas. Já do outro lado está a igreja, que acredita possuir todas as respostas e sem nenhuma piedade, humanismo, conhecimento de causa e sabedoria bíblica, se diz pronta para responder qualquer pergunta, inclusive aquelas que ninguém fez. Com isto não quero insinuar que a Bíblia não possua as respostas para o drama humano, mas sim, que a igreja abandonou a Bíblia e tenta responder à sociedade com sofismas. A era pós-moderna conduziu-nos, sociedade e igreja a um estado de indefinição quanto à questões elementares da vida. A crise de valores não é um problema exclusivo da religião, em especial do cristianismo, é uma crise da humanidade. Esta indefinição ideológica é com certeza uma das marcas do pós-modernismo. E o que é a pós-modernidade? A pós-modernidade é determinada pelo fim da verdade absoluta, nem a filosofia e religião, nem mesmo a ciência podem ser consideradas fontes de verdade absoluta. O pós-modernismo rejeita toda forma de verdade absoluta, criando um mundo relativo, onde a verdade é individual, sendo que o que é verdade para um, pode não ser para outro, e vice-e-versa. O filósofo francês Gilles Lipovetsky prefere usar o termo "hipermodernidade", e alega que alguns dos efeitos da mesma na sociedade são individualismo, consumismo, problemas éticos e o hedonismo. Os efeitos da pós-modernidade também podem ser sentidos na igreja. E aqui não estamos falando de igrejas liberais e espiritualmente adormecidas, mesmo nos redutos conservadores seus efeitos podem ser sentidos. É importante ressaltar também que o pensamento pós-moderno não está institucionalizado, como se fosse apenas uma norma de conduta das instituições governamentais e privadas, mas é acima de tudo o pensamento do indivíduo, que em busca de liberdade, faz a opção por privatizar a verdade para usá-la conforme lhe for mais conveniente. Um dos efeitos mais catastróficos da pós-modernidade na igreja está relacionado com a autoridade das Escrituras Sagradas. Nos movimentos neo-pentecostais, e em boa parte dos pentecostais, a autoridade do líder tem a mesma ou até mais autoridade que a Bíblia. Evidentemente que é tudo muito subjetivo, eles não dizem que é assim, mas ao serem questionados sobre certas doutrinas e ensinamentos, dizem, por exemplo, que se trata de uma revelação espiritual. Associado ao problema na negativa da autoridade da Bíblia, acham-se no direito de interpretarem as Escrituras Sagradas segundo os seus padrões, esquecendo que a Escritura interpreta-se a si mesma. E com isto re-interpretam posições teológicas e e assumem um behaviorismo, segundo os seus critérios. É por isso que hoje quando um pastor divorciado é questionado sobre o divórcio, ele terá sua própria interpretação que justifica a sua situação. E assim se repete com todos os outros casos, tais como homossexualidade, aborto, eutanásia, racismo, pobreza, religiosidade e outros. Quando confrontados com a palavra, sempre apresentarão suas razões recheadas de erros teológicos e de uma espiritualidade vazia. Sobre a qual o apostolo Paulo disse a Timóteo: "Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade [...]" (2 Tm 2:4). Por mais que a pós-modernidade tenha afetado todo o sistema de crença do homem, ainda não conseguiu responder de forma satisfatória quatro questões fundamentais da vida. São questões que assombram a espécie humana e que de uma forma ou de outra, todos nós, em algum momento da vida teremos de lidar. Em uma das conferências do Desiring God, de John Piper, foi esclarecido que "alguns as enfrentam na juventude, outros na velhice, alguns em momentos de saúde e outros no leito de morte
A IGREJA E A PÓS - MODERNIDADE

Vivemos numa época em que, resumidamente, resume-se em três palavras: rapidez, mudança e competitividade. E se nós, cristãos, quisermos acompanhar esse novo tempo, sem perder as bases de nova fé e prática cristã, precisamos atender a recomendação da Palavra de Deus, que nos diz: “E digo isto a vós outros que conheceis o tempo; já é hora de vos despertardes do sono...” (Rm 13: 11). Que sono é esse? Certamente diz respeito à sonolência espiritual da acomodação negligência, pois é certo que há muitos cristãos dormindo no ponto, parados no tempo, desapercebidos do fato de que enquanto “dormem” as coisas mudam. Tudo muda... todos mudam... menos aqueles que andam na verdade.

Caros irmãos, vejo esse tempo como a grande oportunidade de fazermos história e até mudá-la. Precisamos aprender a ver as oportunidades desse novo tempo, mas não permitir que as “idéias modernas” destruam as antigas (e eternas) verdades que foram plantadas em nosso coração (cf. Rm 12:2).

Entendendo a pós-modernidade. Por muitos séculos, a perspectiva que se tinha do mundo, da vida, de Deus, do homem, dos valores eram quase sempre vistos pelas “lentes das Escrituras”. Mas, em tempos modernos nossa cultura tem sido invadida por conceitos materialistas e existencialistas, fazendo com que nossa maneira de ver as coisas mude completamente.

Essa nova geração passou a questionarcontestar e rejeitar quase todos os valores e os conceitos que antes eram tidos e aceitos como verdadeiros. Hoje, nada mais é “verdade absoluta”; tudo é relativo. O que é verdade para uns, não precisa, necessariamente, ser verdade para outros. Ninguém detém a verdade; cada um faz a sua verdade (cf. Jz 21:25 – 1300 a.C.).

Os desafios da pós modernidade. Nesse tempo de constantes mudanças, temos alguns desafios a enfrentarmos todos os dias. São eles:

(a) Secularização. Esse termo pode ser definido como um processo por meio do qual o espiritual deixa de ter valor para as pessoas e Deus é retirado do centro da existência humana. Portanto, é preciso entender que estar secularizado é o mesmo que dizer que você, na linguagem bíblica, está conformado com o mundo. A secularização, através de suas filosofias, cauteriza a mente humana e a faz conformar-se com o mundo das seguintes maneiras: alienação, insensibilidade, busca do prazer acima de qualquer coisa, relacionamentos rápidos e superficiais.

(b) Geração Novidade. Falamos aqui da busca insaciável por novidades – novos produtos, novos negócios, novos lugares, novidades no mercado, novas tecnologias, novos líderes, novas idéias, novas propostas, etc. tudo com o objetivo de alcançar o paraíso terreno. Essa busca por novidades têm influenciado à Igreja. As pessoas têm buscado sentir novas experiências, conhecer novas técnicas para alcançar mais espiritualidade, aprender métodos que diante das provações ou dificuldades dêem resultados positivos e rápidos.

(c) Indiferença Religiosa. É triste ver que não falamos mais de nossa fé aos nossos amigos.

(d) Agressividade da Mídia. A mídia é hoje o principal agende formador de opinião que temos em nosso mundo. Sua influência na vida das pessoas é inegável. Esse termo é usado para todo meio de comunicação pelo qual se divulga uma notícia. Há pesquisas que mostram que o jovem fica, em média, 5 horas por dia em frente a televisão, ou navegando na internet. Há jovens que ficam a madrugada toda desta maneira. A mídia influencia através da alienação, manipulação e conformismo.

(e) Sexualidade Desenfreada. Nunca se viveu um período de tamanha devassidão, quanto em nossos dias. Homem só é macho se tiver mais de uma mulher; namoro com três meses, já deve ter a sua primeira relação sexual; casados traem com facilidade e normalidade; as autoridades aceitando e apoiando a união matrimonial de pessoas do mesmo sexo.

COMO A IGREJA DEVE AGIR EM UM MUNDO PÓS MODERNO

Nós, cristãos, cuja tarefa é ser “sal da terra”, devemos dar sabor e preservar os valores que restauram a vida. Eis o nosso desafio: “recuperar os valores perdidos”. São eles:


(a) A Verdade. O pensamento pós-modernista procura desacreditar a verdade e muitos cristãos descuidados já se deixaram enganar por esse esquema – são aqueles que dão pouco valor ao estudo bíblico, que é a Palavra da Verdade, e muito valor às experiências sobrenaturais (Jo 8: 32).

(b) Coragem de andar na verdade. Esse não é um caminho fácil de ser percorrido, devido às pressões que sofremos. Porém, para que Deus seja honrado e Seus valores propagados, nosso testemunho precisa ser autêntico. João ficou feliz porque seus filhos na fé “andam na verdade” (3 Jo 4). Paulo exortou: “mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Ef 4:15).

(c) Bases da nossa Fé. A pós-modernidade não é um avanço cultural; é um retrocesso; uma volta ao tempo em que não havia leis, nem parâmetros a seguir. É hora de retornarmos às bases de nossa fé... de redescobrirmos a nossa história... de reencontrarmos os valores que garantem uma verdadeira espiritualidade. “Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo” (1 Co 3:11).

Você pode ser um cristão moderno; alguém que sabe aproveitar as oportunidades, estando sempre atualizado, preparado para viver este novo tempo, com eficácia e satisfação. Todavia, nunca, de maneira alguma, permita que os estranhos conceitos daqueles que não têm nada haver com Deus determinem o seu modo de agir e de pensar.

FONTES DE PESQUISA

http://www.gostodeler.com.br/materia/6396/qual_deve_ser_a_postura_da_igreja_na_pos-modernidade.html

http://www.cbn.org.br/artigos-e-devocionais/103-o-desafio-da-pos-modernidade.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 03 - Os Dois Ícones da Igreja Primitiva

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta