Lição 02 - As Cosmovisões Anticristãs


"Os céus e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar" - Mateus 24.35

Texto Bíblico Básico: João 17.11-21


COSMOVISÕES ANTICRISTÃS PRESENTES NO SÉCULO 21


O principal campo de batalha de Satanás hoje é o ideológico. Isso porque o objetivo principal dentro da estratégia de Satanás em nossa época é confundir, negar, distorcer, corromper a verdade, e isso significa que a batalha é muito mais grave do que imaginamos. Com isso, ser capaz de distinguir entre a sã doutrina e o erro deve ser uma das maiores prioridades de cada cristão e da igreja evangélica contemporânea.

Pluralismo

O pluralismo é o conceito de convivência de ideias diferentes e até contraditórias. Na política, valorizamos um sistema que permite debate e divergências. Uma política boa em um lugar ou momento histórico pode não ser tão boa em outro. Quando se trata de artes visuais, literárias ou musicais, até incentivamos gostos diversos. Não entendemos que um estilo artístico seja o verdadeiro e exclusivamente correto.

Em outras áreas, porém, o pluralismo não funciona. Contamos com certezas da matemática, física e química todos os dias. Ninguém confiaria no sistema bancário se fosse pluralista. Quando você deposita R$50,00 na sua conta, você não aceitaria se o banco creditasse apenas R$20,00! 50 não é igual a 20. Aceitamos algumas verdades como fixas, certas e até absolutas.

No nosso mundo ecumênico, o pluralismo religioso é visto por muitos como uma atitude louvável. No sentido mais amplo, o pluralismo nega qualquer verdade absoluta e defende a noção de que todas as religiões sejam igualmente válidas. Conforme essa perspectiva, não importa se a pessoa seguir o cristianismo, o judaísmo, o budismo, o islamismo ou qualquer outro sistema religioso. Todos são caminhos, dizem os pluralistas, ao mesmo Deus e à mesma felicidade.

Ecumenismo é a busca da unidade entre todas as igrejas cristãs. É um processo de entendimento que reconhece e respeita a diversidade entre as igrejas. A ideia de ecumenismo é exatamente reunir o mundo cristão. Na prática, porém, o movimento compreende diversas religiões inclusive aquela não cristã.

O Cristão e o pluralismo

O cristianismo é, porém, fundamentalmente incompatível com o pluralismo religioso. Observamos esse fato em três etapas, conforme os ensinamentos das Escrituras:

Primeiro, Deus é único e incomparável. De vários textos bíblicos que afirmam a distinção entre o Deus da Bíblia e os outros objetos de adoração, Isaías 40 é um dos mais desafiadores. Isaías pergunta: “Com quem comparareis a Deus? Ou que coisa semelhante confrontareis com ele?” (40:18). No mesmo capítulo, o próprio Senhor lança o mesmo desafio: “A quem, pois, me comparareis para que eu lhe seja igual? — diz o Santo” (40:25). Não são apenas perguntas, porém. Esse capítulo está cheio de afirmações e evidências da natureza incomparável de Deus. Ele é superior à criação física, que ele mesmo fez. Para frisar a grandeza de Deus, Isaías afirma que ele mede a imensidão do mar e do espaço com suas mãos (40:12). Deus recolhe como pouca coisa toda a terra, os montes e as ilhas (40:12,15). A existência do universo oferece evidência do seu poder (40:21-22,26). Ele é superior às suas criaturas em conhecimento e sabedoria e, por esse motivo, não recebe instrução de ninguém (40:13-14). O Senhor é superior às nações e aos seus governantes (40:15,17,23,24). Toda a madeira de uma grande floresta não seria suficiente para queimar um sacrifício para Deus, e todos os animais da mesma floresta não seriam o bastante para lhe oferecer (40:16). Em contraste com a grandeza do Deus Criador, ele comenta sobre a ideia absurda de um homem fabricar seu próprio deus (40:19-20). Ídolos são feitos por homens que foram feitos por Deus. Quem adora tais imagens é uma abominação para Deus (41:24).

Segundo, Jesus Cristo é o único caminho que leva ao Pai. É impossível crer em Jesus e ainda adotar uma atitude pluralista, porque a linguagem dele é exclusiva:“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14:6). Os apóstolos entenderam a natureza limitada da mensagem sobre Jesus. Pedro falou aos judeus em Jerusalém sobre o Cristo: “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (Atos 4:12). Paulo ensinou a mesma mensagem exclusiva aos gregos (Atos 17:31).

Terceiro, o evangelho de Jesus é a única mensagem salvadora. Paulo defendeu uma única mensagem para todos: “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego” (Romanos 1:16). Ele afirmou que Deus “deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem” (1 Timóteo 2:4-5).
Por que rejeitar o pluralismo religioso? Para aceitar a vida eterna que Deus nos oferece!


Humanismo

Eu não poderia dar uma definição melhor do que a que está expressa nestas palavras de Isaías: "Ai dos que são sábios a seus próprios olhos e inteligentes na sua própria opinião!" Humanismo é a crença na humanidade. E o interesse apenas nos homens e mulheres, sem levar Deus em consideração. Ele exclui Deus porque crê que os seres humanos são suficientes em si mesmos. Esta é a verdadeira essência do Humanismo. O homem é o centro do universo, e não há nada maior nem mais grandioso. 

Qual é, então, a atitude da Bíblia com relação ao Humanismo? E que, conquanto esteja tudo certo com a mente, o entendimento e a razão, o erro das pessoas está em colocarem sua confiança na mente. Elas têm tanto orgulho dela que começam a adorá-la. Pensam que é suficiente em si mesma, e nada além é necessário. O problema tem início quando começam a se gabar da razão e a acreditar que, com sua mente, podem envolver o cosmos inteiro. Esta afirmativa de Isaías define perfeitamente essa questão - "Ai dos que são sábios aos seus próprios olhos." Eles se colocaram num pedestal. "Olhe para mim" - dizem -, "não sou mesmo maravilhoso?" "Sábios a seus próprios olhos, e inteligentes na sua própria opinião." Não há nada errado em ser sábio, mas, se você for sábio a seus próprios olhos, estará em uma situação muito perigosa. É excelente ser inteligente, mas, se você for inteligente na sua própria opinião, estará sob a condenação proferida pelo profeta.

O cristão e o humanismo

O primeiro compromisso do cristão é levar o homem a compreender a sua posição diante de Deus para que deste ponto, este mesmo homem, desenvolva a base de relação consigo mesmo, com o próximo e com a natureza. O homem, na visão cristã, precisa urgentemente de Deus e sem Ele não pode desenvolver-se plenamente. O ponto de partida para uma visão sadia a respeito do homem é enxergar o grande papel que o Criador lhe confiou. A queda da humanidade começou com a negação de Adão a este papel, porém, o caminho de volta foi feito por Cristo, dando-nos o exemplo do que é ser homem plenamente!
Relativismo
Você já deve ter ouvido a expressão "tudo é relativo". O Relativismo moral é um tipo de subjetivismo que sustenta que as verdades morais são preferências muito parecidas com os nossos gostos em relação a sorvete, por exemplo. O relativismo moral ensina que quando se trata de moral, do que é eticamente certo ou errado, as pessoas podem e devem fazer o que quer que sintam ser o certo para elas. Verdades éticas dependem de indivíduos, grupos e culturas que as sustentam. O relativismo não exige um determinado padrão de comportamento para todas as pessoas em situações morais semelhantes. Quando confrontadas com exatamente a mesma situação ética, uma pessoa pode escolher uma resposta, enquanto outra pode escolher o oposto. Não há regras universais de conduta que se apliquem a todos.
O livro de Juízes nos adverte sobre o relativismo moral, ou seja, o comportamento baseado nas opiniões humanas. A Bíblia nos ensina que os padrões para o comportamento humano são dados por Deus. Sozinhos, os seres humanos vão sempre falhar em viver dentro desses padrões. Mas com a ajuda de Deus e a sua graça podemos descobrir qual é a sua vontade para que andemos de forma reta (Sl 1.1,2). Ao contrário da Bíblia, a cultura moderna com frequência estabelece os padrões sociais para o comportamento tomando por base a opinião da maioria. O certo e o errado são determinados por aquilo que a maioria considera certo ou errado. Mas tal moralidade é instável.
O Poderoso Império Romano, por exemplo, rejeitava implacavelmente o monoteísmo cristão. A simples menção de um Deus, absolutamente superior a qualquer um de seus vários deuses, inclusive ao próprio imperador – também divinizado – era, simplesmente, insuportável. Os romanos, normalmente tolerantes em matéria de religião, revelaram súbita e visceral intolerância diante da insistente reivindicação cristã acerca de seu (único) Redentor.
O cristão e o relativismo
Evidentemente, rejeitamos o relativismo, porque há verdades que são permanentes. As verdades da fé e da moral cristã são perenes, porque foram dadas por Deus. Cristo afirmou solenemente: ““Eu sou a Verdade”” (Jo 14,6); “”a verdade vos libertará”” (Jo 8,32); “e disse a Pilatos que veio ao mundo exatamente ‘para dar testemunho da verdade'” ”(Jo 18,37). São Paulo relatou que “”Deus quer que todos se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade”” (1Tm 2,4). Os padrões morais de Deus nunca se alteram, Apesar das culturas humanas inevitavelmente se desenvolverem, os requisitos de Deus para a retidão e santidade não mudam. Cada geração de cristãos deve cuidadosamente repensar qual é a aplicação especifica desses requisitos. Mas está claro que Deus estabeleceu e revelou um padrão absoluto de santidade que os cristãos devem respeitar mais que ao relativismo humano.
FONTES DE PESQUISA
https://bibliaefilosofia.wordpress.com/2015/07/01/a-visao-do-homem-no-cristianismo-e-o-humanismo-socialista/
http://www.estudosdabiblia.net/jbd295.htm
http://ministeriobbereia.blogspot.com.br/2010/09/que-significa-humanismo.html
http://formacao.cancaonova.com/atualidade/sociedade/o-relativismo-no-ambiente-da-fe/
https://afeexplicada.wordpress.com/category/relativismo/

Comentários

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário!

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta