Galera de Cristo 06 - O Espírito Santo na Salvação do Pecador

"Não por atos de justiça por vós praticados, mas devido à sua misericórdia,  ele nos salvou pelo lavar regenerador e renovador do Espírito Santo" 
 Tito 3.5

PAPO SÉRIO

CONVENCE O HOMEM DO PECADO

A conversão é o ato da transformação do homem natural no homem espiritual. É a mudança radical, não conquistada pelo esforço próprio, mas sim pela ação do Espírito de Deus em nós. Este ato é o convencimento pelo Espírito Santo do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8). O Espírito Santo é o continuador da obra de Jesus. Ele começa a atuar no homem antes de sua conversão testificando de Jesus (Jo 15.26). No início do processo de convencimento, nossa tendência natural é resistir ao Espírito. Passada esta resistência inicial somos conduzidos à conversão. Convencer o homem é confrontá-lo com a realidade do pecado conscientizando-o de que é um pecador e que nesta condição seu futuro é a morte e condenação eterna, e que se assim permanecer estará em oposição a Deus. Estará contra Deus. Sente-se pecador e reconhece sua condição de necessitado da misericórdia, da graça de Deus que é Jesus. O Espírito convence também da “justiça porque vou para meu Pai” (Jo 16.10). O convencer do Espírito Santo começa por criar no homem a fé em Jesus como o filho de Deus. Aquele que sem pecado, entregou a sua vida por nós no madeiro e ressuscitou ao terceiro dia, indo para a presença do Pai. O Espírito convence também do “juízo, porque o príncipe deste mundo está julgado” (Jo 16.11). É necessário que o homem também tenha a convicção de que se permanecer na situação pecaminosa da sua vida, está condenado a morte eterna, mas que ainda tem a oportunidade de se arrepender do caminho que está trilhando e voltar-se para Jesus, mudando sua condição de escravo para a de livre do pecado. Arrependido do pecado, e crendo em Jesus Cristo, por obra do Espírito Santo, o homem tem a salvação. 

O Que é a experiência de salvação pessoal? Para compreendermos a salvação, de acordo com o ensino bíblico, precisamos voltar a criação do homem que foi feita por Deus para sua própria glorificação. Por interferência de Satanás, e desobediência de Adão e Eva, como conseqüência, a morte entrou na natureza do homem, tanto física como espiritual (Rm 3.23). O destino do homem passou a ser o inferno preparado para o Diabo e seus anjos (Mt 25.41). Deus, pelo seu amor, resolveu dar uma nova oportunidade ao homem para que voltasse a sua presença, no céu. A salvação do pecador é, portanto, o ato praticado pela misericórdia e poder de Deus, para resgatá-lo da dominação de Satanás, da morte, da perdição, e levá-lo para o reino de Deus (Cl 1.13). Para que haja a salvação é indispensável que tenha havido a conversão. A conversão é operada pelo Espírito Santo e a salvação por Jesus Cristo (At 16.31). A salvação é imediata pois Jesus disse: “Aquele que vier após mim de maneira nenhuma o lançarei fora” (Mt 6.37), não impondo Jesus, nenhuma condição adicional para salvação além do arrependimento dos pecados e fé nele como filho de Deus salvador. A partir deste momento da experiência de salvação, o Espírito Santo passa a habitar no coração do crente (Rm 8.9 e 1Jo 3.24). 

O Que representa para o crente  a presença do Espírito Santo? A presença do Espírito Santo na vida do crente tem muitas significações. Paulo escrevendo aos Efésios, mostra que fomos selados pelo Espírito Santo e por isto ganhamos direitos e assumimos deveres. Em Efésios 1.13, destaca que por termos crido na palavra do evangelho, ganhamos a salvação e fomos selados no Espírito Santo da promessa. Assim temos o direito a todas a promessas feitas por Deus ao seu povo, incluindo sermos considerados filhos de Deus por adoção (Jo 1.12). Ainda em Efésios 4.30, somos chamados ao dever de não entristecê-lo, havendo o destaque da nossa condição de marcados pelo selo do Espírito para o dia da redenção. O Espírito Santo é o selo que nos protege e nos garante a vitória final no dia da volta do Senhor (Rm 8.23, Ef 1.14). Nenhum poder poderá nos separar do amor de Cristo, nem da garantia da nossa redenção, na segunda vinda de Jesus Cristo. Ele é a garantia que temos de não perdermos a salvação. A busca constante pela presença maior dEle é outra conseqüência da presença do Espírito Santo em nossa vida. Após a salvação somos consagrados por Deus para o seu serviço. Inicia-se aqui a santificação. Este é um processo que só se finda quando a nossa vida chega ao final. Ser santo é uma determinação divina (1Pe 1.16). Só ocorre na medida da dedicação do crente e se manifesta através de um caráter marcado pela presença e pelo fruto do Espírito, bem como por uma vida de testemunho fiel e serviço consagrado a Deus e ao próximo (Rm 12.1-2, 2Co 7.1, Gl 5.22). 

Ajuda também na oração. O ensino bíblico é claro: “Do mesmo modo também o Espírito nos ajuda na fraqueza; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que esquadrinha os corações sabe qual é a intenção do Espírito: que ele, segundo a vontade de Deus, intercede pelos santos”. (Rm 8.26-27). O homem como nova criatura, transformado pelo poder de Deus, experimenta uma completa mudança. A comunhão com Ele passa a ser o nosso objetivo maior. Assim há a busca da convivência com os crentes cuja representação é a igreja. O prazer da companhia de outros salvos é inigualável. A alegria agora é conseguida pelo louvor e adoração a Deus. A preocupação agora é usar o tempo para aprender mais do Mestre pela leitura de sua palavra. O alimento principal não é mais o vinho mas sim o Espírito para o espírito. A boca fala do que está cheio o coração. Assim, o crente cheio do Espírito estará cantando e salmodiando ao Senhor. Para o crente não tem mais tempo ruim pois sempre dará graças por tudo a Deus em nome de Jesus Cristo. (Ef 5.15-21) Queridos ouvintes, hoje falamos da conversão que leva o homem a Jesus Cristo como o ponto inicial do processo da regeneração e nos torna uma nova criatura (2Co 5.17). Deus nos concedeu a oportunidade da salvação. Convidou nos para sermos santos. Jesus nos concedeu o Espírito Santo para nos ajudar, consolar, dirigir, capacitar, e ensinar a orar. Mostremos disposição para a obra pois, certamente, em Jesus somos mais do que vencedores (Rm 8.37).

FONTES DE PESQUISA

http://www.acoluna.org.br/pibrj/estudos/05ebd4t02.pdf

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta