Lição 07 - Ansiedade, a Tolice dos Homens


Texto Áureo: "Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós" -  I Pedro 5.7

Texto Bíblico Básico: Salmo 127.1,2; Mateus 6.31-34; Filipenses 4.6-8

Os males da vida moderna têm levado muita gente a alimentar constantemente um sentimento de ansiedade. As horas perdidas no tráfego intenso de veículos nas grandes cidades, o excesso de trabalho, além da violência urbana, têm deixado muitos com a mente “pré-ocupada”, antes mesmo do surgimento dos problemas.Apesar de hoje em dia essa sensação ser bastante perceptível em muitas pessoas, não se trata de algo relativamente novo. A própria Bíblia Sagrada já alertava para o fato em passagens no Antigo Testamento. “A ansiedade no coração do homem o abate”, diz um trecho do livro de Provérbios 12.25. Em outra referência sobre o assunto, já no Novo Testamento, as Escrituras fazem um alerta para esse tipo de comportamento: “Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir.” Mateus 6.25. A mensagem prossegue fazendo ainda a ressalva de que, por mais ansiosa que a pessoa possa ser, ela não consegue acrescentar um só centímetro à sua estatura.
“Não vos inquieteis com o dia de amanhã, porque o dia de amanhã trará a própria inquietude. Basta a cada dia o próprio mal.” Mateus 6:34
Razão x Sentimentos
A ansiedade também impede as pessoas de usarem a razão, ao serem levadas por sentimentos incontroláveis que não as deixam aproveitar aquilo que realmente importa. Um exemplo disso ocorreu em uma ocasião na qual o Senhor Jesus foi até a casa de duas irmãs para visitá-las. Uma delas, Maria, procurou dar atenção ao convidado, ficando à disposição dEle, sendo criticada pela outra, Marta, que estava ansiosa e preocupada com os afazeres domésticos. Observando tal comportamento agitado, o Senhor Jesus ressaltou: “Marta, Marta, estás preocupada e agoniada com muitas coisas. Mas somente uma coisa é necessária; e Maria escolheu a parte boa, a qual não lhe será tirada.” Lucas 10:41. A palavra de Deus é bem clara com relação a esse tipo de sentimento, orientando os cristãos a não andar ansiosos por coisa alguma. Em vez disso, o melhor a fazer é direcionar os nossos anseios e preocupações ao Criador, em oração.
"Ansiedade não é algo que Deus tira, mas algo que a gente entrega, porque Ele tem cuidado de nós (I Pe 5.7)" - Pra. Helena Tannure
COMO COMBATER A ANSIEDADE

A palavra ansiedade, na língua grega, significa estrangulamento. A ansiedade nos tira o oxigênio, corta o nosso fôlego e nos asfixia. Ela rouba nossas forças, embaça nossos olhos e tira de nós a perspectiva do futuro. A ansiedade é um mal que atinge a todos, pobres e ricos, doutores e analfabetos, homens e mulheres, adultos e crianças. A pressão da vida moderna, a falta de comunicação no lar, o isolamento das pessoas e a ausência da comunhão com Deus abrem a porta para a ansiedade.
Jesus nos alerta a não vivermos ansiosos com respeito ao dia de amanhã, quanto ao que havemos de comer, beber ou vestir (Mt 6.25). Não administramos o futuro, por isso não podemos sofrer por alguma coisa que ainda está para acontecer. A ansiedade é inútil, pois além de não nos ajudar a resolver o problema amanhã, ela nos enfraquece hoje. A ansiedade é incoerente, pois muitas vezes sofremos hoje por algo que jamais vai acontecer. E se tivermos de enfrentar um problema, a ansiedade nos leva a sofrer duas vezes, pois sofremos antes e quando o problema chega, vamos ter que encará-lo novamente. A ansiedade é um ato de incredulidade. Ficamos ansiosos porque duvidamos que Deus é poderoso e suficiente para cuidar da nossa vida. Onde a ansiedade se instala, a fé não tem mais espaço.
Jesus nos ensina que a criação de Deus é um antídoto contra a ansiedade. Os pássaros não semeiam, não colhem nem ajuntam em celeiros, mas Deus os alimenta. Os lírios do campo se vestem garbosamente e eles não trabalham nem fiam, no entanto nem Salomão em toda a sua glória se vestiu como eles (Mt 6.28,29). O apóstolo Paulo diz que não devemos ficar ansiosos por coisa alguma, antes devemos apresentar a Deus em oração nossas necessidades (Fp 4.6). O apóstolo Pedro diz que devemos lançar sobre o Senhor toda a nossa ansiedade porque ele tem cuidado de nós (1 Pe 5.7).
Davi nos ensina a receita para a cura da ansiedade. Ele diz que devemos nos agradar de Deus, sabendo que ele é poderoso para satisfazer os desejos do nosso coração (Sl 37.4). Temos que ter a coragem de entregar nosso caminho ao Senhor, confiar e descansar nele, sabendo que ele tudo fará por nós (Sl 37.5,7). O mesmo Deus que está na sala de comando do universo também dirige a nossa vida. Nossas crises não o apanham de surpresa. Ele conhece nossas necessidades antes mesmo que as apresentemos a ele. Nós valemos mais que as aves do céu e os lírios do campo. Ele jamais vai desistir de completar sua obra em nós. Se ele nos permite passar por situações difíceis isso não significa ausência de amor nem falta de cuidado, mas ação pedagógica para esculpir em nós o caráter de Cristo. Deus está trabalhando em nós e nos transformando de glória em glória para refletirmos a imagem do seu Filho. Todas as coisas que se nos vêm são trabalhadas pela providência divina para o nosso bem último e maior (Rm 8.28).
Não deixe seu coração ficar prisioneiro da ansiedade. A Bíblia diz que “a ansiedade no coração do homem o abate” (Pv 12.25), mas “o ânimo sereno é a vida do corpo” (Pv 14.30). Diz a Escritura: “O coração alegre é bom remédio, mas o espírito abatido faz secar os ossos” (Pv 17.22). Descanse em Deus. Tire os seus olhos das circunstâncias e ponha-os naquele que está acima e no controle das circunstâncias. Não entre na caverna da depressão, mas diga à sua própria alma: “Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu” (Sl 42.11).
APRENDA A CONFIAR

A confiança de que Deus realiza as coisas no tempo correto, no tempo dele, não é uma questão trivial ou periférica à fé cristã. A humildade requer plena confiança no Deus zeloso. A ansiedade se instala quando as dúvidas que temos não são corretamente respondidas. Afinal, como posso confiar em alguém se não estou certo de que ele se importa? E se ele se importa, como poderei confiar em quem não sei se tem poder para cuidar de mim? Perguntas como essas são relevantes, se quisermos dar um basta na ansiedade. O apóstolo Pedro colocou a base dessa confiança no cuidado amoroso que Deus nos tem mostrado repetidamente. Sua poderosa mão atesta o seu poder e, ao dizer que Deus “tem cuidado de vós”, o apóstolo responde que quem tem poder se importa, e já o tem feito o que nos é necessário ao nosso bem.
Sobre essa base, Pedro nos diz como devemos lidar apropriadamente com a ansiedade: “lançando…”. A palavra traduzida por “lançar” era usada para indicar que se atirava alguma coisa sobre outra, assim como uma manta sobre um animal de carga (leia Lc 19.35). O que Deus nos está ordenando, por intermédio de Pedro, é que reunamos toda nossa ansiedade, todo descontentamento, desânimo, desespero, dúvida, dor e sofrimento, e lancemos tudo isso sobre Deus.
A – Um exemplo encorajador 
Quando lutamos contra a ansiedade, precisamos nos lembrar de que Deus realmente cuida de nós. O exemplo de Ana será de grande ajuda para que nos lembremos do cuidado de Deus. Sua história está registrada nos primeiros capítulos de 1Samuel.

Ana era uma mulher hebreia que não tinha filhos. Isso era motivo de sofrimento significativo para uma mulher naquele tempo, dentro da comunidade da aliança. No primeiro capítulo da profecia de Samuel, encontramos Ana orando no templo. Lá ela derramava o sofrimento de sua alma, que era tão grande que o profeta Eli a tomou por embriagada (1Sm 1.14). Lamentavelmente, não é raro encontrar quem, vendo-nos carregar nossos fardos, nos trate sem nenhuma sensibilidade, muitas vezes amontoando mais peso sobre nós.
Quando o profeta Eli falou novamente, agora usado por Deus, para tranquilizar aquela serva, diz a Escritura que ela mudou completamente (1Sm1.10-18). O que aconteceu com ela? Por que ela não estava mais triste?
Sua situação continuava a mesma, mas ela mudou quando lançou sua aflição sobre o Senhor. Pela benevolência do Senhor, sua situação seria mudada (ela teria um filho), mas o alívio veio antes disso. O que é importante lembrar é que o alvo de Deus nem sempre é alterar a situação.Tudo que passamos nesta vida tem o objetivo de nos alterar! Ana é a prova: quando você se humilha sob a poderosa mão de Deus, lançando toda a sua ansiedade sobre seu amoroso cuidado, ele o exaltará no devido tempo.
B. Exaltação no tempo oportuno
Pedro diz que quando nos humilhamos diante de Deus, ele, em tempo oportuno, nos exalta (1Pe 5.6). Em Filipenses, Paulo nos diz que essa foi a ação de Deus em relação a seu filho, a quem “exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome” (Cf. Fp 2.9). Não obstante, o próprio Senhor Jesus havia ensinado que “Quem a si mesmo se exaltar será humilhado” (Mt 23.12). Essa é uma promessa, e Deus, cujas promessas ele sempre cumpriu, não fará diferente.

A ansiedade começa, entretanto, quando nossa dificuldade em esperar pelo “tempo oportuno” é maior do que a fé na promessa da futura “exaltação”. Mas qual seria o tempo oportuno? Quando será? Não podemos nos esquecer de que tudo o que acontece em nossa vida não foi apenas permitido mas também projetado por Deus, que soberanamente desenhou esses acontecimentos com o objetivo de imprimir em nós a imagem de seu filho, Cristo Jesus.
Não se esqueça de que Deus está trabalhando em você, e ele não desistirá até ver sua obra concluída (Fp 1.6). Portanto, o tempo oportuno é quando ele tiver cumprido em nós o seu propósito. Embora essa pareça ser uma resposta vaga, lembre-se de que Deus sempre age no momento certo, com um objetivo claro para cada acontecimento, e o objetivo é nos fazer cada vez mais parecidos com Cristo.
A luta contra a ansiedade é uma luta diária pela humildade. Nosso coração rebelde tem dificuldades em se submeter ao bom querer do soberano Deus; e o que se colhe com essa atitude é a ansiedade. Quando aprendemos a descansar na providência amorosa do Criador soberano e zeloso, aprendemos o  verdadeiro segredo das pessoas felizes, que vivem sem ansiedade, confiadas no cuidado que Deus tem por nós. 

FONTES DE PESQUISA

http://ultimato.com.br/sites/estudos-biblicos/assunto/vida-crista/lancando-nossa-ansiedade-sobre-deus/
https://estudos.gospelmais.com.br/o-grande-mal-da-ansiedade.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta