Galera de Cristo 04 - Desculpe, Foi Mal


"Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores"
Mateus 6.12


PAPO SÉRIO
PERDOAR É UMA ESCOLHA
Desentendimentos, brigas, separações e mágoas acontecem todos os dias pela falta de perdão. O perdão só existe porque todos nós podemos cometer erros, e sem ele, seria impossível mantermos relacionamentos saudáveis com as pessoas.
No entanto, apesar de ser tão importante, perdoar não é nada fácil, principalmente para quem não segue o que a Palavra de Deus diz. Por isso, eu resolvi escrever cinco verdades bíblicas sobre o perdão. Em um primeiro momento, elas podem nos confrontar, mas, depois, vão nos direcionar para fazer a coisa certa:
Deixar de perdoar não é uma "opção". É comum escolhermos o que vamos perdoar, baseados naquilo que acreditamos ser "perdoável" ou não. Algumas pessoas acreditam, por exemplo, que quando alguém comete o mesmo erro conosco mais de uma vez, não merece ser perdoada. Então elas criam uma espécie de "escala de perdão".  Mas a Bíblia nos mostra que perdoar não é uma opção, mas uma ordem de Deus. Veja o que Jesus disse: "Tomem cuidado. Se o seu irmão pecar, repreenda-o e, se ele se arrepender, perdoe-lhe. Se pecar contra você sete vezes no dia, e sete vezes voltar a você e disser: ‘Estou arrependido’, perdoe-lhe" (Lucas 17:3-4).
Perdão não é um sentimento. Sentir vontade de perdoar é muito bom. Mas a verdade é que quase nunca isso acontece, não é mesmo? Se analisarmos os nossos sentimentos, encontraremos raiva, mágoa e desejo de vingança em nosso coração. Por isso a Bíblia nos mostra que o perdão não deve ser fruto da emoção, e sim da razão.
É claro que o sentimento pode estar envolvido no ato de perdoar, mas, se não estiver, a razão tem que prevalecer. Quando Pedro perguntou a Jesus sobre o quanto devemos perdoar, Ele deu uma resposta impactante: "Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: ‘Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até sete vezes?’. Jesus respondeu: ‘Eu lhe digo: não até sete, mas até setenta vezes sete’" (Mateus 18:21,22).
Só conseguiremos cumprir esse mandamento se tivermos uma vontade racional de perdoar e de agradar a Deus. Se formos levados pela emoção, não conseguiremos perdoar nem uma vez, quanto menos setenta vezes sete!
Perdão Fingido não é perdão. Fingir o perdão é algo que muitas pessoas fazem, pois torna as coisas mais "fáceis". Eu mesmo já fingi ter perdoado uma pessoa só porque precisava continuar convivendo com ela. Mas depois de um tempo, Deus me mostrou que eu ainda não tinha perdoado, porque não era algo verdadeiro, vindo do meu coração. Então, eu chamei a pessoa e liberei o meu perdão com sinceridade. (Se você está sempre criticando e apontando os defeitos do outro, este é um sinal de que você ainda não perdoou esta pessoa).
Perdoar não é esquecer.  Conheço muitas pessoas que não liberam o perdão por acharem que, por elas se lembrarem do que ocorreu, significa que não houve o perdão. Mas, se nos basearmos nesse modo de pensar, nunca conseguiremos perdoar ninguém! Quando somos agredidos ou ofendidos de alguma forma, o nosso cérebro guarda aquelas informações tão intensamente, que dificilmente nos esqueceremos um dia.
Então, quando você perdoa, não significa que você esqueceu o que o outro fez com você, mas sim de que você não leva mais em conta. Quem perdoa, se lembra do que aconteceu, mas também se lembra que decidiu liberar perdão e isso traz paz ao coração. Veja o que Deus disse para o povo de Israel: "Eu lhes perdoarei a maldade e não me lembrarei mais dos seus pecados" (Jeremias 31:34). Essa passagem diz que Deus não se lembrará mais dos pecados daquele povo, mas eu te pergunto: Será que o Deus Todo Poderoso pode se esquecer de alguma coisa? É claro que não! Ele sabe de tudo! Com isso, o texto mostra que Deus não os culpa mais pelos pecados confessados, pois Ele já os perdoou. Ou seja: Ele não leva mais em conta o que fizeram de errado.
Deus não aprova a falta de perdão. Mesmo diante de todas essas verdades citadas aqui, existem muitas pessoas que ainda não estão dispostas a perdoar. O problema é que essa decisão coloca essas pessoas diante do julgamento de Deus. Jesus disse: "Se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará. Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas" (Mateus 6:14-15).
Pode parecer terrível, mas Deus não perdoa aqueles que não querem perdoar, pois Ele demonstrou o maior ato de perdão, ao enviar Seu Filho para sofrer e morrer na cruz por nós, mesmo nós sendo tão pecadores! Por isso, a falta de perdão pode trazer muitas coisas ruins. Ela nos leva para longe da presença do Senhor e abre brechas para que o inimigo atue em nossas vidas. Em Isaías 59:2 está escrito: "As suas maldades separaram vocês do seu Deus; os seus pecados esconderam de vocês o rosto dele, e por isso ele não os ouvirá".
Essa é uma das razões porque tantas pessoas sofrem com doenças físicas e emocionais... A falta de perdão e o distanciamento de Deus geram uma ferida espiritual muito grande na pessoa, que tende a aumentar com o passar do tempo.
Diante dessas cinco verdades sobre o perdão, não resta dúvidas de que perdoar é preciso. É o melhor caminho a seguir, por mais que seja difícil e que fira o nosso orgulho. Muitas vezes, não perdoamos porque achamos que somos melhores que os outros, mas devemos nos lembrar que nós também temos defeitos e pecamos, e mesmo assim Deus sempre nos dá uma nova chance. Quando perdoamos, nós nos aproximamos do Senhor e isso nos traz paz, saúde física, mental e espiritual. Por isso, se você foi ferido ou magoado por alguém e ainda não perdoou, tome coragem e a procure essa pessoa o quanto antes (se for preciso). Deus se agradará de você e te trará para mais perto Dele!
O PERDÃO DE DEUS
A Bíblia diz que Deus perdoa os nossos pecados e deles não mais se lembra. Diz ainda, que devemos perdoar assim como Deus em Cristo nos perdoou. O que significa perdoar e não mais se lembrar? Significa, porventura, amnésia? Absolutamente não! Deus não tem amnésia. Deus sabe tudo e jamais fato algum é apagado da sua memória. Mas, então, o que a Bíblia quer dizer que Deus perdoa e esquece? Significa que Deus nunca mais cobra outra vez aquilo que ele perdoou. Deus nunca mais lança em nosso rosto aquilo que confessamos e abandonamos. Assim, também, quando a Bíblia diz que devemos perdoar como Deus e esquecer, não significa que os fatos que nos machucaram serão apagados da nossa memória. Isso é impossível e nem mesmo depende de nós. As coisas vêm à nossa memória querendo nós ou não. Perdoar e esquecer significa lembrar sem sentir dor; significa nunca mais cobrar da pessoa perdoada a mesma dívida.
O perdão é uma necessidade fundamental da vida. É impossível ter uma vida saudável emocional, física e espiritualmente sem o exercício do perdão. Quem não  perdoa não pode orar. Quem não perdoa não pode trazer sua oferta ao altar. Quem não perdoa não pode ser perdoado. Quem não perdoa adoece fisicamente. Quem não perdoa é entregue aos verdugos e flageladores da consciência. O perdão é até  mesmo uma questão de bom senso. Quando guardamos mágoa de alguém, acabamos  nos tornando prisioneiros dessa pessoa. Ela nos escraviza e nos mantém em cativeiro. Quando nutrimos mágoa de alguém, esse alguém nos perturba continuamente. Se vamos nos assentar para tomar uma refeição, essa pessoa tira o nosso apetite. Se vamos sair de férias, essa pessoa pega carona conosco. Perdoar é a única maneira de quebrar essas correntes e ficarmos livres.
O perdão deve ser ilimitado. Jesus nos ensina a perdoar até setenta vezes sete. Essa cifra não é literal. Ela aponta setenta vezes o número sete, o número da perfeição. O perdão é ilimitado, pois é dessa forma que Deus nos perdoa. Jesus deixou esse fato claro na sua parábola do credor incompassivo. Aquele servo que recebeu um perdão de dez mil talentos não perdoou seu conservo de uma pequena dívida de cem denários. Dez mil talentos é seiscentas mil vezes mais que cem denários. Aquele que havia recebido um perdão seiscentas mil vezes maior negou-se a perdoar alguém que lhe devia uma dívida seiscentas mil vezes menor. O rei, então, lhe entregou aos verdugos até que ele “pagasse” a dívida impagável. Um homem precisaria trabalhar cento e cinquenta mil anos para adquirir dez mil talentos recebendo o salário de um denário por dia. A nossa dívida com Deus é impagável. Por isso, o perdão de Deus é ilimitado. E Jesus foi enfático em afirmar que se não perdoarmos, não seremos perdoados: “Assim também meu Pai celeste vos fará, se do íntimo não perdoardes cada um a seu irmão” (Mt 18.35).
O perdão é o caminho da cura das feridas. É a ponte de reconciliação das relações quebradas. O perdão é o remédio divino para os relacionamentos enfermos. O perdão é o bálsamo do céu para aqueles que andam machucados e feridos pela mágoa. Hoje é tempo de perdoar. Hoje, é tempo de pedir perdão. Hoje, é tempo de restaurar relacionamentos dentro da nossa casa e da igreja, a fim de vivermos uma vida plena, maiúscula e abundante.

SAIBA MAIS:

Já falamos aqui sobre o perdão!! Confira:

http://ebdbelasartes.blogspot.com.br/2015/02/licao-09-perdao-liberdade-para-alma.html
FONTES DE PESQUISA
http://www.lagoinha.com/ibl-vida-crista/perdoar-e-lembrar-sem-sentir-dor/
https://www.pastorantoniojunior.com.br/esbocos-de-pregacoes/perdao-cinco-verdades-sobre-o-perdao

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta