Lição 05 - Ser Segundo o Coração de Deus

"Nós o amamos porque Ele nos amou primeiro" - I João 4.19

Texto Bíblico Básico: I Samuel 13.14; 16.1,7,10-12

QUEM ERA DAVI

O nome Davi significa amado. Segundo rei do reino unido de Israel, sendo o substituto do fracassado rei Saul. Hábil guerreiro, político, poeta e instrumentista. Recomendado para tocar harpa perante o rei Saul, foi escritor da maioria dos Salmos. Viveu em data aproximada de 1016 a 976 a.C. Ele foi uma das figuras mais proeminentes da história do mundo e certamente também entre os personagens da Bíblia. É o mais famoso antepassado de Jesus Cristo. Jesus não é chamado filho de Abraão, ou filho de Jacó, mas filho de Davi.

Davi quando jovem viveu em Belém, era o mais novo dos oito filhos de Jessé. Por ser mais novo Davi guardava os rebanhos de seu pai. Nessa função demonstrou coragem, matando um leão e um urso que haviam atacado as ovelhas. 
Sua vida foi uma mescla do bem e do mal. Esteve repleta de feitos nobres, altas aspirações, e grandes conquistas; no entanto esteve manchada por pecados graves. Nenhum personagem da Bíblia ilustra mais plenamente a escala moral da natureza humana. É difícil conceber que o homem que escreveu o Salmo 23, poderia fazer o que Davi fez com Urias. Mas o espírito da época em que ele viveu deve ser considerado, e também as tentações relacionadas com um poder quase ilimitado. Nos primeiros dias de sua vida ele é mencionado como um homem "segundo o coração de Deus" (1Sm 13:14). Isto era verdade, quando guardava os mandamentos divinos. Pode ser dito a seu favor que nunca se converteu em um idólatra, e que foi leal ao Senhor em seu testemunho e em sua adoração.

Davi morreu aos 71 anos de idade, tendo reinado em Israel 40 anos e meio,  7 anos e meio em Hebrom e 33 em Jerusalém. Durante seu reinado Israel experimentou vários êxitos políticos e militares. Na política exterior Davi acabou com o poder dos filisteus (2 Sm 5), realizou várias conquistas na Transjordânia (2 Sm 8), anexou a Israel cidades dos cananeus ainda independentes que se tornaram províncias no império de Salomão (1 Rs 4). Assim Israel se transformou em Estado territorial. O fato de que a maior parte de sua vida foi espiritual, apesar de nem sempre consistente, juntamente com sua genialidade, explica o lugar tão elevado que ocupa na Escritura.

"Davi" é o nome mais citado em toda a Bíblia, aparece cerca de 1.105 vezes. 

UM HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO DE DEUS
Davi era um homem segundo o coração de Deus. Ficamos a imaginar o que significa essa descrição. Como se poderia chamar um adúltero e assassino, que praticou grande crueldade, de homem segundo o coração de Deus? A Bíblia, sem rodeios, apresenta os pecados de Davi. Mas foi tirando-o desses fracassos que Deus o usou para seus propósitos em Israel. Davi superou suas falhas com êxito porque aprendeu a bondade graciosa de Deus e foi um dos mais agradecidos homens da história.
Davi foi um homem segundo o coração de Deus porque tinha abundância de ação de graças. Os salmos contêm mistura tal de confissão e gratidão que ele foi considerado, até pelo próprio Deus, como um homem segundo o seu coração. Somente o sentido de indignidade pode brotar em profunda ação de graças. A vida de Davi nos desafia, mostrando que o importante não é nossa perfeição, mas nossa dependência agradecida. Podemos identificar-nos com a humanidade falível de Davi e ver o que Deus pode fazer com uma pessoa que confessa seus pecados e agradece a Deus o seu perdão.
Davi, antes de se tornar um homem completamente segundo o coração de Deus, havia sido contra o coração de Deus. A Bíblia pinta a história negra de suas transgressões e pecados. Deus esperou pacientemente que ele se arrependesse. Depois do adultério de Davi com Bate-Seba e do cruel envio do marido desta para morrer na batalha, Deus enviou o profeta Natã para julgar o pecado do rei. O profeta contou uma parábola profunda e penetrante e, a seguir, lançou o desafio: “Tu és o homem”. Davi sabia. Seu arrependimento encontra-se no Salmo 51. E Deus aceitou a palavra dele. A infinita misericórdia de Deus o levantou e o usou nos propósitos que ainda tinha para Israel.
A história de Davi nos mostra que os critérios de Deus são totalmente diferentes dos critérios dos homens. A escolha de Deus não é feita de acordo com os critérios das pessoas. Desde a mais tenra idade, o primogênito do rei era preparado para ocupar o lugar do pai, quando esse viesse a morrer. Ele era educado pelos homens mais sábios, recebia aulas de espada, aprendia a usar o arco e a flecha, tinha aulas de montaria, acompanhava o pai nas visitas administrativas, visitava diplomaticamente as cidades, era comandante do exército, aprendia algumas noções de administração e era ensinado a viver na corte. De acordo com esse critério, o próximo rei de Israel deveria ser Jônatas, o primogênito de Saul. O próprio Saul testificou esse entendimento em I Samuel 20.31: “Pois, enquanto o filho de Jessé viver sobre a terra, nem tu estarás seguro, nem seguro o teu reino; pelo que mandas buscá-lo agora, porque deve morrer.” Aos olhos das pessoas, Jônatas se encaixava em todos os critérios estabelecidos. Entretanto, Deus não age segundo os pensamentos das pessoas. Para Deus, não importa se as pessoas estabeleceram que o líder deve ser descendente do último, ter um curso superior, ser inteligente, bonito, rico, bem sucedido nos negócios ou conhecido da população. Está registrado em Isaías 55.8,9: “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o Senhor, porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos.”

Cinco marcas de um homem segundo o coração de Deus
                                                                                                    
Davi foi um homem que saiu da humilde condição de pastor de ovelhas a rei de Israel passando por um longo período como líder de um bando de excluídos e escondendo-se em cavernas. Apesar de tudo o que vivenciou; Davi sempre buscou um relacionamento íntimo com Deus, alcançando uma liberdade de se derramar diante do Senhor abrindo-lhe completamente o mais profundo de seus sentimentos. Poucas pessoas na bíblia demonstraram haver tanta intimidade e liberdade com o Senhor. Davi, porém se derramava completamente diante de seu Senhor com uma consciência incrível do quanto era profundo o conhecimento que Deus tinha dele.

Ao estudarmos a vida de Davi, vemos muitas marcas positivas, porém eu gostaria de destacar apenas cinco, que julgo ser muito importantes e dignas de serem imitadas.

1.   Cuidadoso – Quando Davi foi ungido pelo profeta Samuel como Rei de Israel, ele apascentava ovelhas do rebanho de seu pai. Ele era um pastor, e pastor tem que desenvolver duas atividades ao menos: cuidar e orientar. Um homem cuidadoso não é um homem medroso, mas é um homem que sabe medir os prós e contras de uma situação, sempre agindo com cuidado e certificando-se de não correr riscos desnecessários.

2.   Humilde – Fugindo de Saul, Davi entrega seus pais ao Rei Amalequita reconhecendo que não sabia ainda o que Deus faria com ele. Isto é demonstração de humildade. Infelizmente hoje, vemos muitos líderes que não são humildes o suficiente para reconhecer que dependem de seus liderados ou que não sabem o que fazer em uma situação. Sentem-se obrigados a demonstrar uma segurança que, nem sempre possuem.

3.   Líder – Davi conquistou muitos povos, venceu muitas batalhas, porém reconhecia que não poderia ter feito nada sozinho. Liderava um grande exército de homens dispostos a morrer por ele, mas era humilde o suficiente para se humilhar diante de Deus em cada desafio. Por diversas vezes ele declarou sua dependência de Deus. “Sou pobre e necessitado, mas o Senhor cuida de mim”, declarou certa vez.

4.   Zeloso – Quando Davi viu o gigante Golias afrontando os israelitas ele soube discernir que, na verdade ele estava afrontando a Deus e não ao povo israelita. Em muitos salmos também podemos identificar o quanto Davi era zeloso com a palavra de Deus chegando a declarar: “escondi a Tua palavra no meu coração para eu não pecar contra ti”.

5.   Sincero – Diante de seu pecado, Davi não se afastou de Deus porque pecou. Reconheceu o erro, buscou o perdão de Deus, pediu ao Senhor que o devolvesse a alegria da salvação. Também podemos ver nos salmos 77 e 88 grandes demonstrações de sinceridade de Davi diante de Deus. 


PORQUE JESUS ERA CHAMADO "FILHO DE DAVI?"

Jesus era chamado filho de Davi porque era descendente de Davi e herdeiro da promessa de Davi. Jesus era filho de Deus mas ele se tornou homem. Como homem, ele era descendente do rei Davi (Rm 1:3-4).
Davi viveu cerca de mil anos antes de Jesus. Quando as pessoas chamavam Jesus de “filho de Davi”, era com o sentido de “descendente”. José, o pai de Jesus, também foi chamado filho de Davi, com esse mesmo significado (Mt 1:20).
Enquanto estava na terra, Jesus era considerado filho de José. Como José era descendente direto do rei Davi, Jesus também tinha o direito de ser reconhecido como descendente de Davi. Até o anjo Gabriel reconheceu que, em termos humanos, Jesus era descendente de Davi (Lc 1:30-33).
FONTES DE PESQUISA
http://novotempo.com/amiltonmenezes/audios/segundo-o-coracao-de-deus/
https://www.respostas.com.br/por-que-deus-escolheu-davi/
http://www.restaurandoveredas.com/blog-pt/cinco-marcas-de-um-homem-segundo-o-coracao-de-deus

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 03 - Os Dois Ícones da Igreja Primitiva

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta