Lição 08 - Qualidades de Quem Serve a Deus

"E tudo que pedires na oração, crendo, o recebereis"- Mateus 21.22

Texto Bíblico Básico: Daniel 2.17-24

A INTEGRIDADE DE DANIEL

Daniel era jovem quando chegou à Babilônia. O rei Nabucodonosor invadiu Jerusalém e aprisionou alguns judeus, entre eles Daniel e seus amigos, que foram levados como escravos para o exílio. Ver sua família destruída, seus amigos e parentes massacrados pelos seus inimigos, os sonhos se desfazerem como pó diante de seus olhos, ser levado para uma terra que ele nunca conhecera para servir a ímpios e viver no meio de um povo idólatra, não fazia parte dos planos de Daniel, mas fazia parte dos planos de Deus.

Nessas circunstâncias era difícil não se abater e perder a esperança. Mas, Daniel decidiu confiar na soberania de Deus e fazer desse tempo de sua vida, um novo começo. Daniel se destacou pela sua conduta irrepreensível e seu testemunho de fidelidade a Deus. Não é a toa que Deus tenha Se agradado dele e o tenha colocado na posição mais alta do reino. Não apenas isso, ele foi considerado o mais sábio de todos os sábios da sua época. 

Tudo que Deus concede a homens é para engrandecer o Seu nome. Embora a glória de Israel tivesse acabado, Deus levantou um jovem para glorificar o Seu nome no maior império da época, a Babilônia. Ele serviu a quatro reis, sucessivamente (Dn 6.3). Não por ser o único que tivesse, mas por ser o único que Deus fez questão de ressaltar. Por isso mesmo, ele é um exemplo de excelência para nós.

A expressão “espírito excelente” significa “extraordinário ou aquilo que excede!”. O que era afinal esse espírito excelente que distinguiu Daniel dos demais? Para respondê-la, vamos identificar três aspectos na vida de Daniel, explícitos na Bíblia, no livro que leva o seu nome. São características essenciais para aqueles que querem ter esse mesmo espírito e alcançarem posições altas como homens e mulheres de Deus.

O CARÁTER DE DANIEL

Daniel é um dos poucos homens dos quais a Bíblia não menciona erros e pecados. Pelo contrário, ele é descrito de uma maneira extraordinária, como um homem reto. A Bíblia diz que ele se distinguiu! Mas, por que? Creio que foi por causa do seu caráter. Todo filho de Deus deve ser alguém que se destaca dando bom testemunho, seja na sua liderança, na sua casa ou como bom profissional. Mas, o que é caráter? É aquilo que define quem você é. Caráter é aquilo que você é quando ninguém o está olhando.

Existem muitas pessoas que têm um bom caráter, mas que não conhecem a Deus. Isso faz toda diferença, pois Deus não está interessado apenas em pessoas de caráter, mas em expressar o Seu caráter santo através de homens tementes a Ele. O que deve ser visto não é um homem de caráter, mas o caráter de Deus no homem: é Deus sendo expresso através de seus atos.

Cada árvore tem o tamanho proporcional às suas raízes. Mas, quando as raízes estão crescendo, ninguém vê, contudo, todos desfrutam dos frutos quando eles aparecem. O mesmo acontece na sua vida. Seu crescimento espiritual não é visivelmente percebido. Mas, com certeza, será percebido mais tarde, quando os frutos forem gerados. Vejamos algumas características do caráter de Daniel.

a) O caráter nobre (Dn 1.3) 
Daniel era realmente de uma linhagem real, o que, com certeza, lhe proporcionou uma educação acima da média. Mas, fazer parte da nobreza, não significa “agir como nobre”. O caráter nobre de Daniel não se devia ao fato de ter sido ele nascido em uma família nobre simplesmente, mas ao fato de ele ter se comportado como um filho de Deus. Sua nobreza era a expressão do caráter de Deus na sua vida. Para ser um líder espiritual precisamos desenvolver um caráter nobre. As pessoas no mundo podem ser educadas, mas o filho de Deus tem que ser nobre! É muito mais do que ter educação. É ter um comportamento que glorifique a Deus.

b) O caráter consagrado (Dn 1.8) 
Consagração e santidade são coisas diferentes. Santidade está relacionada com a conduta; consagração com uma dedicação a um propósito. Alguém consagrado é alguém entregue a um propósito. A consagração de Daniel não foi uma emoção momentânea ou algo parecido. Ele se decidiu! Foi uma decisão consciente e pessoal.

c) O caráter fiel (Dn 6.4) 
Alguém fiel é alguém confiável. Um espírito excelente se traduz por um coração fiel. Fidelidade nos fala de exatidão. Ser fiel é ser exato. Por isso, a Bíblia diz que Jesus é a exata expressão de Deus. O homem não é uma cópia de Deus, mas foi criado para expressá-lo. Somos considerados fiéis a Deus, quando expressamos o Seu caráter. Deus não apenas guardou a Daniel, mas também o fez próspero. Você não precisa buscar prosperidade, precisa apenas ser encontrado fiel, pois essa é a fidelidade de Deus para com aqueles que são fiéis a Ele.

d) O caráter reto (Dn 5.17) 
Certa vez Daniel foi chamado diante do rei Belsazar, que estava dando um banquete e no meio da festa, a mão de Deus aparece escrevendo na parede uma sentença contra o rei. Apenas Daniel pode interpretar o que estava escrito. Maravilhado com a sabedoria dele, o rei quis presenteá-lo. Mas, Daniel recusou, porque o rei estava usando os utensílios do templo para profanação e orgias. Aceitar as oferendas do rei naquelas circunstâncias era ser cúmplice do que ele estava fazendo. Retidão é andar em linha com a vontade de Deus, nos fala de sermos coerentes com a Palavra. Um caráter reto fala de manter-se íntegro diante de coisas que possam comprometer o seu testemunho.

2- A competência de Daniel 
Entenda uma coisa, sua utilidade para Deus depende do seu caráter. Mas, se além do caráter, você tiver a competência, certamente você será muito mais útil nas mãos de Deus. Daniel tinha os dois, o caráter e a competência. Competência é uma aptidão, uma condição que caracteriza o trabalho de uma pessoa. Daniel se distinguiu por ser mais que competente, por ser excelência. São duas coisas distintas. Podemos ter muitas pessoas competentes num assunto, mas alguns se sobressaem por causa da sua excelência. A diferença de uma boa liderança e excelente é que, a liderança natural faz apenas aquilo que precisa ser feito e a liderança excelente faz além. Saiba que você também pode ter. Vejamos como a Bíblia descreve a competência de Daniel.

a) Instrução (Dn 1.4) 
Uns têm mais condições de investir nos estudos que outros. Mas, independente do grau de instrução que uma pessoa, para ter competência é preciso se preparar. A falta de instrução é dos fatores que mais agrava a incompetência. Instrução está associada a estudo e também a disciplina. Ninguém adquire instrução da noite para o dia, é necessário investir tempo, dinheiro, disposição e tudo isso exige disciplina.
 
Outras pessoas pensam que basta confiar em Deus, pois assim como Ele deu sabedoria a Daniel, Ele dará a elas. Isso é verdade, mas também não é toda a verdade. Daniel estudou, se instruiu, não recebeu tudo pronto. Você pode ter tudo o que você sonhar em Deus, mas mesmo confiando em Deus, você tem que fazer a sua parte. Mude os seus hábitos, concentre-se em suas prioridades e invista no seu ponto forte.

b) Sabedoria (Dn 5.13,14) 
A Bíblia diz que Deus deu inteligência, conhecimento e sabedoria a Daniel. Conhecimento é o quanto uma pessoa conhece sobre um assunto. Inteligência é a capacidade de raciocínio de alguém e sabedoria está relacionada à capacidade de relacionar-se e de lidar com situações e com pessoas. Deus deu tudo isso a Daniel de uma forma abundante. Se você quer ser um líder bem-sucedido, precisa da sabedoria de Deus. A sabedoria capacita o líder e o torna competente na sua liderança.

c) Lealdade (Dn 5.10-13) 
Por que você acha que Daniel serviu a quatro reis? Apenas por causa da sua sabedoria? Não. Porque ele também era leal! Quando Daniel foi apresentado ao rei Beltessazar, suas referências vieram de alguém que o conhecia do reinado anterior de Nabucodonosor. Depois que todos os sábios do reino falharam em decifrar os escritos na parede, Daniel foi lembrado. Isso, por causa da sua lealdade ao rei anterior. As referências foram: ele foi leal ao seu pai e será leal a você, ele não o enganará ou o embromará, ele falará a verdade.

O espírito de Daniel 
Além do caráter irrepreensível e da competência, a Bíblia mostra claramente que o seu “espírito excelente” tinha de fato algo espiritual. Esse terceiro aspecto que usamos para definir o espírito excelente de Daniel está relacionado com uma vida cheia do espírito. Alguém cheio do espírito manifestará a “excelência do espírito”. Daniel faz parte do time de profetas do Velho Testamento. Ele foi usado por Deus durante o período do exílio para profetizar e interceder pelo povo de Israel. Decida exercer sua profissão como ministro de Deus. Certamente os resultados irão ser alterados e quem sabe Deus o colocará em posições altas, como fez com Daniel. Para que isso aconteça, identificaremos os pontos fortes da vida espiritual de Daniel.

a) Uma vida de oração (Dn 6.10)
Daniel orava três vezes ao dia. Como alguém com tanta responsabilidade no reino, competente, comprometido, responsável, conseguia fazer isso? Ele só era tudo isso por causa da sua vida de oração. A verdade é que quando você se deleita no Senhor, Ele realmente concede o desejo do seu coração! (Sl 37).

b) Conhecimento espiritual (Dn 9.2) 
Daniel compreendeu o sentido espiritual das revelações de Deus dadas ao profeta Jeremias. Daniel discerniu que o tempo do exílio já havia sido determinado por Deus: setenta anos. Antes do discernimento vem o conhecimento espiritual. O conhecimento é adquirido através da revelação da Palavra de Deus. Essa revelação acontece no espírito, mas ela vem através do conhecimento da Palavra de Deus. Tudo aquilo que Deus fala no nosso espírito deve ser respaldado pela Bíblia.

c) Sensível a Deus (Dn 9.4,5) 
Alguém sensível é alguém que percebe as coisas do coração. Não é fácil perceber o que se passa no coração de outra pessoa. Imagine perceber o que está no coração de Deus! Alguém sensível a Deus é alguém que ora. Esse tipo de sensibilidade só se adquire através da oração e colocando-se no lugar do outro.

d) Visão (Dn 9.23) 
Deus mostrou a Daniel uma visão do futuro, era uma revelação espiritual. Ninguém mais viu a visão, só Daniel. Isso nos fala que ser um líder de visão é enxergar aquilo que outros não enxergam. Ter visão é poder enxergar na dimensão de Deus. Isso não é meramente resultado de um desejo pessoal. Deus Se revela àqueles que O buscam.

e) Discernimento (Dn 9.23) 
Deus queria que Daniel discernisse a visão. Visão é ter a compreensão dos propósitos de Deus. Só podemos dizer que temos visão se tivermos também o discernimento dela. Deus é prático. Se Ele nos dá uma visão, certamente nos dará também as estratégias para cumpri-la. Mas, como todos os outros dons, é preciso buscá-lo. Precisamos liderar com competência e discernimento. Daniel foi um grande profeta e líder espiritual porque tinha discernimento das coisas espirituais.

As revelações de Daniel diante dos reis 
Podemos ainda perceber como a espiritualidade de Daniel refletia no seu trabalho. Além de um procedimento correto na sua profissão, o seu espírito afinado com Deus é que garantiu fluir no sobrenatural (Dn 19-23). A Bíblia revela como Daniel desvendou mistérios aos quatro reis que ele serviu e como esses reis exaltaram a Deus (Dn 2.25-28; 11.1,2; 10.1).

A confirmação de Deus 
No final do livro de Daniel vemos duas palavras liberadas por Deus que confirmam como ele O agradou: “Ele me disse: Daniel, homem muito amado! (Dn 10.11). Outra coisa que nos dá muita alegria além do amor de Deus por nós, é saber que agradamos a Ele e somos encontrados fiéis (Dn 12.13).
 
No final da vida de Daniel, Deus o lembra da sua herança. Tudo o que ele foi e realizou em Deus teve repercussão no céu. E lá estava a sua verdadeira herança. Esse é o resultado que devemos buscar. Há uma recompensa para aqueles que são chamados por Deus. Mas, por enquanto, concentre-se no caminho. Qual? Responda a Deus na sua liderança, com um caráter aprovado, liderando com competência e cheio do 

A DETERMINAÇÃO DE CONFIAR EM DEUS

Os anos passaram. A Babilônia caiu à Medo-Pérsia. Daniel ficou velho. Mas, ainda tinha lugar nos planos de Deus e no governo do novo império. Ele se destacou entre pessoas influentes e se tornou um dos homens mais poderosos na Medo-Pérsia. Homens invejosos procuraram meios para destruir Daniel. Perceberam que o único ponto vulnerável era a fé deste homem de Deus, e acharam uma maneira de usar a sua fé para derrubá-lo. Convenceram o rei a proibir que petições fossem feitas a qualquer homem ou deus, a não ser ao próprio rei, durante 30 dias. Dá para imaginar algumas pessoas – até supostos cristãos – achando uma maneira de aceitar o decreto do governo: “Deus vai compreender”; “Precisamos primeiro passar por esta crise e, depois, poderemos servir a Deus melhor”; “Nada diz que precisamos orar abertamente; podemos praticar a nossa fé em segredo”; etc.Daniel, agora provavelmente com uns 80 anos de idade, não estava preocupado com auto-proteção, pois vivia para exaltar o nome de Deus. Ele recusou negar a glória ao verdadeiro Rei dos reis. Continuou orando abertamente como antes. Os inimigos de Daniel aproveitaram o momento e obrigaram o rei a aplicar a lei. Daniel foi lançado numa cova cheia de leões famintos. Deus salvou este homem de fé, e o rei mandou matar os inimigos que tentaram derrubá-lo. A fé de Daniel na velhice foi o resultado natural de sua determinação de manter a sua pureza na juventude. Teria sido mais fácil se submeter às ordens do rei no começo da sua carreira e ceder ao decreto de outro rei 70 anos depois. Mas a mesma convicção que guiou os passos do jovem firmou os pés do velho servo do Senhor. Daniel não vacilou, porque acreditou no mesmo Deus que conduziria o apóstolo Paulo 600 anos depois, quando este discípulo encarava sua própria morte como mártir e disse: “porque sei em quem tenho crido e estou certo de que ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele Dia” (2 Timóteo 1:12).

FONTES DE PESQUISA

http://www.estudosdabiblia.net/d174.htm
http://www.pesformosos.org.br/?pg=ver_artigo&id=519&t=o-espirito-excelente-de-daniel

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta