Galera de Cristo 13 - A Família e a Internet

"Mas você Daniel, feche um selo as palavras deste livro até o tempo do fim. Muitos irão por outro lado em busca do conhecimento" - Daniel 12.4

PAPO SÉRIO

A INTERNET E SUA INFLUÊNCIA

 Imagine-se na maior biblioteca do mundo — cercado de livros, jornais, catálogos, fotos e gravações de todo tipo, sobre praticamente qualquer assunto. Todas as últimas informações e grande parte da literatura dos séculos passados estão à sua disposição. Bem, a Internet pode tornar isso possível. Basta sentar-se diante do computador para trocar informações com outros computadores e usuários em qualquer lugar do mundo. E há também a facilidade de vender produtos, fazer compras e transações bancárias, conversar, ouvir os últimos lançamentos musicais — tudo isso na privacidade de sua própria casa. Assim, não é de admirar que alguns peritos afirmem que, ao findar o ano, mais de 320 milhões de pessoas estarão conectadas na rede mundial. De forma que o uso da Internet está se popularizando em muitas partes do mundo. Com as escolas e as bibliotecas promovendo agressivamente o seu uso, milhões de jovens têm acesso a ela. Nos Estados Unidos, quase 65% dos jovens entre 12 e 19 anos já usaram ou assinaram serviços on-line. Usada da maneira correta, a Internet pode ser uma fonte de informações úteis sobre o tempo, viagens e outros assuntos. Você pode também acessá-la para adquirir livros, peças de carro, e assim por diante. Muitos a usam para fazer trabalhos escolares. Embora a Internet possa ser útil, ela pode ser comparada a uma biblioteca sem bibliotecários e observadores. A pessoa pode navegar à vontade nessa biblioteca virtual sem ter a sensação de estar sendo observado. Mas este é um dos maiores perigos da Internet. Por quê? Acontece que inúmeros sites contêm matéria moralmente corrupta e espiritualmente destrutiva. Assim, a Internet pode expor os jovens cristãos a tentações. Afinal de contas, os humanos são curiosos por natureza — trata-se de uma tendência que Satanás, o Diabo, vem explorando há muito tempo. Não há dúvida de que ele explorou a curiosidade de Eva e a ‘seduziu com a sua astúcia’. — 2 Coríntios 11:3. De forma similar, um jovem cristão poderá ser facilmente seduzido por matérias impróprias se não tiver a determinação de proteger a sua espiritualidade. Um artigo na revista Better Homes and Gardens explicou: “A Internet é uma fronteira fascinante, onde pioneiros brilhantes garimpam as últimas informações. Mas no ciberespaço também rondam pedófilos, trapaceiros, fanáticos e outros tipos indesejáveis.” Um jovem chamado Javier diz: “Alguns sites são chocantes. E podem aparecer sem mais nem menos.” E acrescenta: “Eles tentam enlaçar você. Querem seduzi-lo — para tirar o seu dinheiro.” Um jovem cristão chamado João admite: “Uma vez que você começa a ver matéria imprópria, é difícil parar — é uma coisa que vicia mesmo.” Alguns jovens cristãos frequentaram sites impróprios e isso os levaram a problemas mais sérios. Alguns até mesmo prejudicaram sua comunhão com Deus. Como evitar que isso aconteça?

O que é imprestável na internet?

As vezes o próprio endereço do site indica que ele contém matéria objetável. Provérbios 22:3 alerta: “Argucioso é aquele que tem visto a calamidade e passa a esconder-se, mas os inexperientes passaram adiante e terão de sofrer a penalidade.” Mas o problema é que a pessoa geralmente se depara com um site objetável por mero acaso. O home Page pode conter imagens de impacto, cuidadosamente projetadas para fazer com que você explore o site — e que volte a ele repetidas vezes! Kevin diz o que ocorreu com um de seus amigos: “Ele tinha tempo de sobra e era curioso. Logo se acostumou a ver pornografia.” Felizmente, esse jovem cristão procurou um ancião e foi ajudado. Você já decidiu o que fazer caso se depare com um site desse tipo? Não deve haver dúvidas sobre o que o cristão deve fazer: sair do site imediatamente — ou mesmo fechar o navegador. Seja como o salmista, que orou: “Faze meus olhos passar adiante de ver o que é fútil.” (Salmo 119:37; note Jó 31:1.) Lembre-se de que mesmo que nenhum outro humano esteja nos observando, não está sozinho. A Bíblia nos lembra de que todas as coisas estão “abertamente expostas aos olhos daquele com quem temos uma prestação de contas”. — Hebreus 4:13. Falar sobre o assunto com seus pais ou com outros cristãos maduros pode fortalecer sua determinação de não voltar a sites impróprios. Afinal, se você pisasse em areia movediça, esperaria ficar atolado até o pescoço para pedir ajuda?
Os perigos das salas de bate papo!

As salas de bate-papo permitem que usuários do mundo todo se comuniquem instantaneamente. O comércio faz uso deles para realizar conferências on-line e para fornecer serviços ao consumidor. Há salas de bate-papo que permite que os usuários compartilhem informações sobre assuntos técnicos, como conserto de carro ou programação de computador. Elas também podem ser estabelecidas para comunicar-se privativamente com amigos e com familiares sem incorrer na despesa dos telefonemas interurbanos. Embora haja muitos usos legítimos para as salas de bate-papo, será que existem alguns perigos? É preciso muita cautela quando se trata de bate-papos onde todos participam, pois há certos perigos. A escritora Leah Rozen observou: “Os adolescentes infomaníacos passam horas conversando on-line com estranhos anônimos de todo o país ou mesmo do mundo inteiro. Lamentavelmente, alguns desses estranhos com quem os adolescentes podem estar conversando são adultos pervertidos, interessados em marcar encontros sexuais com crianças e adolescentes.” Um artigo na revista Popular Mechanics alertou que “é preciso ser extremamente cauteloso” ao participar de bate-papos onde todos têm acesso. Fornecer o seu nome ou endereço a estranhos pode ser um convite para graves problemas! Por que se sujeitar a tal perigo? Um perigo mais sutil, porém, é envolver-se com estranhos que não respeitam os princípios bíblicos. Segundo os pesquisadores, grande parte da conversa entre os jovens nos bate-papos se concentra em assuntos sobre sexo. Portanto, o conselho da Bíblia em 1 Coríntios 15:33 é apropriado: “Não sejais desencaminhados. Más associações estragam hábitos úteis.” As más companhias via computador são perigosas. Será que um jovem que teme a Deus deve expor-se a tais riscos?

OS PERIGOS DA INTERNET
Imagine-se na maior biblioteca do mundo — cercado de livros, jornais, catálogos, fotos e gravações de todo tipo, sobre praticamente qualquer assunto. Todas as últimas informações e grande parte da literatura dos séculos passados estão à sua disposição. Bem, a Internet pode tornar isso possível. Basta sentar-se diante do computador para trocar informações com outros computadores e usuários em qualquer lugar do mundo. E há também a facilidade de vender produtos, fazer compras e transações bancárias, conversar, ouvir os últimos lançamentos musicais — tudo isso na privacidade de sua própria casa. Assim, não é de admirar que alguns peritos afirmem que, ao findar o ano, mais de 320 milhões de pessoas estarão conectadas na rede mundial. De forma que o uso da Internet está se popularizando em muitas partes do mundo. Com as escolas e as bibliotecas promovendo agressivamente o seu uso, milhões de jovens têm acesso a ela. Nos Estados Unidos, quase 65% dos jovens entre 12 e 19 anos já usaram ou assinaram serviços on-line. Usada da maneira correta, a Internet pode ser uma fonte de informações úteis sobre o tempo, viagens e outros assuntos. Você pode também acessá-la para adquirir livros, peças de carro, e assim por diante. Muitos a usam para fazer trabalhos escolares. Embora a Internet possa ser útil, ela pode ser comparada a uma biblioteca sem bibliotecários e observadores. A pessoa pode navegar à vontade nessa biblioteca virtual sem ter a sensação de estar sendo observado. Mas este é um dos maiores perigos da Internet. Por quê? Acontece que inúmeros sites contêm matéria moralmente corrupta e espiritualmente destrutiva. Assim, a Internet pode expor os jovens cristãos a tentações. Afinal de contas, os humanos são curiosos por natureza — trata-se de uma tendência que Satanás, o Diabo, vem explorando há muito tempo. Não há dúvida de que ele explorou a curiosidade de Eva e a ‘seduziu com a sua astúcia’. — 2 Coríntios 11:3. De forma similar, um jovem cristão poderá ser facilmente seduzido por matérias impróprias se não tiver a determinação de proteger a sua espiritualidade. Um artigo na revista Better Homes and Gardens explicou: “A Internet é uma fronteira fascinante, onde pioneiros brilhantes garimpam as últimas informações. Mas no ciberespaço também rondam pedófilos, trapaceiros, fanáticos e outros tipos indesejáveis.” Um jovem chamado Javier diz: “Alguns sites são chocantes. E podem aparecer sem mais nem menos.” E acrescenta: “Eles tentam enlaçar você. Querem seduzi-lo — para tirar o seu dinheiro.” Um jovem cristão chamado João admite: “Uma vez que você começa a ver matéria imprópria, é difícil parar — é uma coisa que vicia mesmo.” Alguns jovens cristãos frequentaram sites impróprios e isso os levaram a problemas mais sérios. Alguns até mesmo prejudicaram sua comunhão com Deus. Como evitar que isso aconteça?
Se proteja do mau uso da internet!

Diante dos perigos apresentados pela Internet, convém ser cauteloso e se proteger do mau uso. Por exemplo, há famílias que instalam o computador numa área da casa em que há bastante movimento, como a sala de estar. Talvez também determinem que a Internet só possa ser usada quando outros estão em casa. Se seus pais estabelecerem tais restrições, coopere. (Provérbios 1:8) Diretrizes claras são uma evidência da preocupação amorosa deles. Se você precisar da Internet para fazer trabalhos escolares, por que não controlar o tempo gasto diante do monitor? Procure estabelecer de antemão quanto tempo vai gastar, usando um despertador para avisá-lo quando o tempo estiver esgotado. Certo jovem sugere: “Planeje com antecedência, saiba exatamente o que procurar e apegue-se a isso — não importa quão interessantes outras coisas possam parecer.” Também é preciso ter cautela quanto ao uso do e-mail. Os jovens cristãos devem cuidar de não ficar envolvidos demais em ler vastas quantidades de mensagens eletrônicas, especialmente quando grande parte das informações é frívola ou infundada. O uso excessivo do e-mail pode roubar tempo valioso que poderia ser empregado em lições de casa e em atividades espirituais. O Rei Salomão disse: “De se fazer muitos livros não há fim, e muita devoção a eles é fadiga para a carne.” (Eclesiastes 12:12) Estas palavras podem muito bem aplicar-se à Internet. Não fique tão envolvido em procurar fatos e dados a ponto de negligenciar o estudo pessoal da Bíblia e a participação no ministério cristão. (Mateus 24:14; João 17:3; Efésios 5:15, 16) Lembre-se também de que, embora a comunicação por computador tenha o seu lugar, nada substitui o contato face a face com os nossos irmãos cristãos. Assim, se você realmente precisa usar a Internet, tome a firme decisão de fazer isto com prudência. Evite sites perigosos, e não gaste muito tempo conectado à Internet. ‘Resguarde o seu coração’ e nunca se torne um escravo da Internet. — Provérbios 4:23.
Ter a relação com os pais enfraquecida é um grande risco para a vida da criança ou do jovem. De acordo com a mais recente Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (Pense), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), dentre outras razões, a falta de diálogo entre as famílias favoreceu com que 70% dos brasileiros não supervisionem os deveres de casa das crianças, mais de 40% não saibam o que elas fazem no tempo livre e 25% desconheça que o filho tenha faltado às aulas. Essa falta de interação sobre a rotina dos filhos ainda é brecha para grandes malefícios; quando restritas às atividades on-line, os mais novos não desenvolvem suas habilidades de relacionamento interpessoal e ficam expostos a crimes virtuais, como a pedofilia, e aos perigos ocultos da internetPor isso, a terapeuta familiar alerta: “Se de um lado a internet permite uma ampliação da construção do seu ‘eu’ [pelo rico conhecimento que fornece], você precisa do contato presencial para ter uma boa evolução. Existe uma linguagem visual, existe uma linguagem da afetividade e tudo isso é muito importante para a saúde mental". Na ocasião, a especialista ainda falou sobre a importância de conviver pessoalmente com quem está ao nosso redor: "Uma família sem diálogo, onde não há comunicação apesar de estarem juntos, é uma situação extrema de solidão no grupo familiar. (...) Muitos têm compulsão pela internet. A pessoa não vive sem ela e se isola do mundo presencial, acabando até em quadro depressivo”.
SAIBA MAIS


FONTES DE PESQUISA

http://www.boavontade.com/pt/tecnologia/relacionamento-familiar-internet-aproxima-ou-distancia-pessoas-que-estao-na-nossa-casa

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 03 - Os Dois Ícones da Igreja Primitiva

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta