Lição 12 - O Homem Chamado Jesus

"Glória a Deus nas Alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens" Lucas 2.14

Texto Bíblico Básico: Lucas 1.26-33; Lucas 2.11,12

O PROMETIDO  DAS NAÇÕES

Jesus é o centro do cristianismo e de nossa fé. Mas também é uma pessoa que deixou marcas profundas na história do mundo. O ser humano já produziu muito nos campos da religião, arte e lite­ratura inspirados em Sua pessoa. Muitos são os entendimentos sobre Jesus e as definições sobre Sua pessoa, mas existiu apenas um Jesus. Uma música cristã que cantávamos antigamente dizia: “Muito embora um só Jesus exista, nem todos sabem vê-Lo como é…” 

A HUMANIDADE DE JESUS

Cremos que Jesus era homem e Deus ao mesmo tempo. Primeiro vamos estudar alguns elementos que podemos notar na pessoa de Cristo os quais provam que Ele era 100% humano. Nesse estudo, precisare­mos usar muitas referências bíblicas. Então, tome a sua Bíblia e mãos à obra.
 Ele teve um corpo humano
Nasceu como todo ser humano (Lc 2.7). O nascimento de Jesus foi natural, embora com diferencial milagroso. Sua concepção foi pelo Espírito Santo e Seu nascimento virginal. Jesus nasceu como humano e assim teve a natureza humana aliada à Sua divindade. Foi o nascimento virginal de Cristo que tornou-Lhe possível a existência da natureza hu­mana sem a herança do pecado. Jesus foi concebido pelo Espírito Santo e assim teve a herança do pecado de Adão quebrada ao nascer. Conforme Lucas 1.35, Deus declara que Seu filho nasceria Santo.
Ele teve desenvolvimento intelectual e físico (Lc 2.40,52)
Os versículos apontam para o crescimento de um menino nas áreas física, intelectual e espiritual.
Ele sentiu emoçőes humanas
Vamos ver alguns exemplos: compaixão (Mt 9.36), amor (Jo 11.36), pesar (Jo 11.35; Mt 26.38) e indignação (Mc 10.14).
Ele teve desejos humanos
– não sofrer (Mt 26.39);
– obedecer (Lc 9.51).
Ele teve necessidades humanas
Ele sentia fome (Mt 4.2), sede (Jo 19.28), sono (Mt 8.24) e cansaço (Jo 4.6).
Ele foi reconhecido como homem
Por Si mesmo (Lc 19.10) e também pelos outros (Mt 13.55; 1Tm 2.5).
 Ele foi chamado de “filho”
Essa palavra descreve não só descendência, mas também parentesco imediato. São três expressões diferentes no Novo Testamento: Filho de Maria (Mc 6.3), Filho de Davi (Mt 22.42-45) e Filho do Homem (Mt 9.6; Mc 2.10; Lc 5.24).
Você pode estar se perguntando: por que estudar a divindade de Cristo? Porque ela tem grandes implicações para a nossa fé. Millard Erickson nos dá algumas ideias que serão resumidas a seguir.
  • Ao ser enviado como membro da raça humana, Jesus qualificou-Se para ser o redentor, como representante da raça (Rm 5.12,18).
  • Ele experimentou tudo o que um ser humano experimenta: sentimentos, necessidades e limitações. Lemos em Hebreus 4.15 que por causa disso pode nos compreender me-lhor e demonstrar compaixão como nosso Sumo sacerdote, ou seja, alguém que é mediador do sacrifício para perdão dos nossos pecados.
  • Jesus mostrou o que era ser verdadeiramente humano. Algumas vezes resistimos à ideia da humanidade autêntica de Cristo porque sempre ligamos humanidade a erro e imperfeição. Mas Jesus, assim como Adão (antes da queda), era um exemplar perfeito da humanidade sem pecado.
  • Ele Se tornou nosso exemplo. Orou, dependeu de Deus e Se sujeitou à vontade do Pai, ainda quando isso incluiu sofrimento (1Pe 2.21).
  • Jesus Cristo, também chamado de Emanuel, foi Deus no meio de nós. Foi exemplo vivo da transcendência de Deus que veio viver no meio dos homens. Essa verdade nos dá confiança do interesse que Ele tem de ainda agir em nosso meio (Jo 1.14).

A DIVINDADE DE JESUS

Você precisa ter em mente que cremos que Jesus era 100% homem e também 100% Deus. Usando a Bíblia como nosso instrumento principal, vamos estudar referências sobre a divindade de Cristo.
  1. Ele possui atributos que só Deus tem. Nenhum humano comum possui: autoexistência (Jo 5.26), imutabilidade (Hb 13.8), eternidade (Hb 7.3); onipresença (Mt 28.20).
  2. Ele fez coisas que só Deus pode fazer: criar o mundo (Jo 1.3), perdoar pecados (Mt 9.1,2), executar julgamento final (Jo 5.22).
  3. Ele recebe adoração. Os apóstolos eram homens consagrados, mas nunca aceitaram adoração (At 14.8-18). Jesus foi adorado por anjos (Hb 1.6; Ap 5.12,13) e por homens (Jo 9.38; 20.28; Mt 2.11; 14.33; 28.9,17).
  4. Ele possui títulos que só Deus tem, por exemplo: Jeová, que no Novo Testamento é tra­duzido por “Senhor” (Lc 2.11; 5.8), e “Filho de Deus” (Lc 1.35, Jo 5.18).
  5. Ele mesmo declarou ser Deus (Jo 5.18; 8.24,28,58; 10.30-33).
  6. Outras referências bíblicas (Jo 1.1; Rm 9.5; 1Jo 5.20).
Temos que pensar também em quais são as implicações da divindade de Cristo para nossa fé. Novamente com base em Erickson vamos resumir algumas delas:
  • podemos ter conhecimento real de Deus. Jesus não só anunciava a salvação, mas era o Deus que trazia salvação aos homens. Ele mesmo disse “quem me vê a mim vê o Pai” (Jo 14.9);
  • a redenção está à nossa disposição. O sacrifício de Jesus foi suficiente para a salvação de todo o que crê (1Pe 2.24);
  • Deus e os homens tiveram um novo relacionamento. Não houve intermediários, nem anjos e nem profetas. O próprio Deus veio até nós (Hb 10.19-22);
  • Ele é Deus e deve ser adorado como tal. Um dia será adorado por todos (Fp 2.10-11).

A UNIÃO DAS DUAS NATUREZAS

Nossa doutrina afirma que Jesus era, e é, plenamente Deus e plenamente homem. Essas duas naturezas não transformam Jesus em duas pessoas e, sim, numa pessoa com duas naturezas.
Estudamos isoladamente passagens que provam tanto a humanidade quanto a divindade de Cristo. Agora precisamos estudar algumas passagens que nos dão indicação das duas natu­rezas atuando juntas em uma única pessoa.
A primeira passagem é João 17.21-22. Nesse texto, o homem Jesus declara ser um só com o Pai. A referência nada declara sobre a humanidade de Jesus, mas o fato Dele mesmo declarar Sua divindade mostra que tinha o entendimento de que, mesmo sendo homem, possuía uma natureza em comum com o Pai, ou seja, a natureza divina.
Outros dois textos são importantes para nosso estudo (Jo 3.13 e 1Tm 3.16). Em João temos o uso do termo Filho do Homem (humanidade de Cristo) com a referência sobre ter descido do céu (divindade). Em Timóteo encontramos uma referência a Cristo no céu antes de Sua encarnação (contemplado por anjos – divindade), Sua encarnação como homem (ma­nifestado na carne – humanidade) e depois na Sua ressurreição e ascensão aos céus (recebido na glória – divindade e humanidade). Os dois textos sugerem harmonia e plenitude das duas naturezas. Nem esses e nem outros textos bíblicos sugerem revezamento, contradição ou mes­mo luta entre elas.

Você pode saber tudo a respeito de uma pessoa famosa e mesmo assim não conhecer pessoalmente esta pessoa. Quando perguntamos ‘quem é você’, quase todo mundo responde o que faz e de onde veio ou de qual família faz parte. Contudo estas respostas estão erradas. Você não é a sua profissão, seu local de origem ou com quem está casado. Isso mostra que muitas vezes não sabemos o significado profundo desta pergunta. Jesus perguntou aos discípulos o que as pessoas falavam Dele e depois quis saber o que seus seguidores falariam a seu respeito. Hoje esta pergunta continua sendo feita pelo Mestre: Quem é Jesus pra você? Muitas pessoas falam sobre Jesus e às vezes não param para refletir quem realmente Ele é.

 O Cordeiro de DeusJoão 1.29

João Batista conhecia a Jesus porque era seu parente (Lucas 1.36), mas não lhe chamou de primo, vizinho, carpinteiro ou qualquer outra expressão, porque sabia quem realmente era o Senhor. Por isso, João estava batizando e quando Jesus passou apontou para Ele dizendo que era o Cordeiro de Deus. As pessoas que estavam em busca do perdão de seus pecados deveriam seguir a Jesus. Somente Jesus pode perdoar a apagar nossos pecados (I João 1.7-9). Ele nos perdoa e limpa completamente. Entregou-se como um Cordeiro para nos salvar (Isaías 53.7). Jesus é o Cordeiro de Deus!

A Água da VidaJoão 4.14

Uma mulher estava buscando água e Jesus lhe pediu que o servisse. Em troca prometeu que faria fluir água em seu interior. Aquela mulher sofria de um vazio existencial que procurava resolver em sua vida emocional, mas teve várias decepções amorosas (João 4.16-18).Jesus disse que é a água da vida porque sabe que não existe vida sem água. Assim também não existe vida sem Jesus.Muitas pessoas sofrem porque estão sedentas.  O ser humano tem uma sede dentro de si que somente Jesus pode saciar. Quando entregamos nossas vidas para Jesus passamos a ser saciados com a verdadeira água que nos satisfaz (João 7.37,38). Nenhum prazer ou qualquer outra coisa pode preencher sua vida não ser Jesus. Jesus é a água da vida!

O Pão da VidaJoão 6.35 

Jesus havia multiplicado os pães no deserto (João 6.1-15) e a multidão o seguiu em busca de mais pão (João 6.22-26). Queriam mais um sinal de Deus além de tudo que Jesus já tinha feito (João 6.30). Sugeriram que Jesus fizesse chover pão do céu como aconteceu com o povo no Êxodo (João 6.31). Jesus deixou claro que o verdadeiro Pão vem do céu para salvar o mundo não somente da fome, mas da perdição (João 6.33). Então, quando as pessoas pediram este Pão espiritual, Jesus se apresentou: “Eu sou o pão da vida” (João 6.48). A fome é triste. Quem está com fome não consegue nem pensar em outra coisa. O pão também é um alimento essencial. Do mesmo modo que ninguém pode viver sem pão, também não podemos viver sem Jesus. Jesus é o Pão da Vida!

A Luz do mundoJoão 8.12 

Outra coisa vital para a vida é a luz. Não existe vida sem luz. A primeira coisa que Deus criou foi a luz e a separou das trevas (Gênesis 1.3). A partir de então foram criadas água, plantas, animais e toda a natureza. Viver na escuridão é estar em dúvida e medo. Por isso Jesus diz que ilumina nossas vidas. Toda incerteza e temor são transformados em convicção e confiança quando estamos com Jesus que também nos faz ser “luz do mundo” (Mateus 5.14). Jesus é a Luz do mundo!

A Porta da VidaJoão 10.9  

A porta transmite segurança, mas também é símbolo de liberdade. Jesus falava sobre o rebanho que precisava estar num aprisco bem protegidos para descansar, mas também necessitam de espaço e liberdade para buscar pastagem. Jesus diz que é a Porta porque nos protege e também nos dá liberdade. Ao declarar que podemos entrar e sair, significa que somos livres em sua presença (II Coríntios 3.17). Quando precisamos de uma oportunidade e pedimos que Deus nos abra uma porta, então sabemos que Ele pode abrir e ninguém pode fechar (Apocalipse 3.8). Com Jesus você é livre. Jesus é a Porta da Vida!

O Bom PastorJoão 10.11

As pessoas na época sabiam a importância de ter um rebanho. Disso também dependia a subsistência de todas as famílias. Das ovelhas retiravam a lã para suas vestes, o leite e a carne para alimento e ainda comercializavam ajudando no sustendo familiar. Por isso, dedicavam boa parte de seu tempo cuidando do rebanho. Jesus mostra que assim como as pessoas cuidavam de suas ovelhas, assim também cuida de cada um de nós e nos conhece pessoalmente como um pastor sabe diferenciar cada ovelha (João 10.14,15). Ainda alerta que existem mercenários, pessoas que só fazem as coisas por interesse e não prosseguem diante das dificuldades (João 10.12,13). Jesus é o Bom Pastor não somente pelo cuidado, proteção e conhecimento de todos, mas principalmente porque é o único que dá a vida por nós (João 10.17,18). Ao contrário das ovelhas que dão sua vida pelos seus proprietários, Jesus é quem se entrega por nós. Jesus é o Bom Pastor!

A Ressurreição e a VidaJoão 11.25

Lázaro havia morrido e todos achavam que Jesus chegou tarde de mais, mas o Senhor lhes diz que Ele é a própria ressurreição e vida. Isso só foi compreendido mais tarde quando Jesus chamou Lázaro ainda mais quando o Jesus ressuscitou a si mesmo. Deus é o único que pode dar a vida. Jesus é o “Autor da vida” (Atos 3.15). Com isso mostra que não há limites para o seu poder e que venceu a própria morte (I Coríntios 15.54,55). Por isso podemos viver através de Jesus (Gálatas 2.20). Para Deus a morte não é o fim. Jesus é a Ressurreição e a Vida!

O Caminho, a Verdade e a VidaJoão 14.6

Quando Jesus estava orientando seus discípulos sobre a sua morte e ascensão, deixou claro que lhes prepararia o caminho por onde andasse e que nunca estariam sozinhos. Então Tomé lhe pediu que lhe mostrasse o caminho. Foi quando Jesus disse que Ele mesmo é o próprio caminho. Muitas religiões apontam caminhos diferentes. Jesus, entretanto deixou claro que só existe um caminho (I Timóteo 2.5). Somente através de Jesus podemos chegar até Deus. Também não aponta um caminho externo que a pessoa trilha sozinho, mas revela a si mesmo como a direção que devemos seguir. Se você não sabe para onde ir, Jesus é o Caminho. Se tiver dúvidas, Jesus é a verdade. Se você tem medo, Jesus é a vida. A direção certa é Jesus. Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida!

A Videira VerdadeiraJoão 15.5

A vide ou parreira de uvas era muito cultivada no tempo bíblico. Devido ao clima árido e a escassez de água, o suco de uva ou vinho era essencial. Poderiam armazenar o vinho e carregar em viagens pelo deserto como fonte de hidratação segura. O vinho também era símbolo de alegria e prazer. Jesus diz que é a videira verdadeira porque sem o tronco os ramos não podem produzir frutos cultivados por Deus que é o agricultor (João 15.1). Isso mostra a dependência que devemos ter do Senhor para tudo em nossas vidas. Ligados em Cristo teremos uma vida frutífera e abençoada (João 15.8). Jesus é a Videira Verdadeira!

O Grande EU SOUJoão 8.58

Quando Moisés perguntou a Deus qual seria seu nome, o Senhor lhe disse “EU SOU” (Êxodo 3.14), mostrando sua eternidade e poder absoluto. Jesus reivindicou ser o mesmo Deus que se revelou a Moisés1, por isso as pessoas quiseram apedrejá-lo (João 8.59). A Bíblia diz que o “...o Filho, Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus” (I João 5.20). Não há dúvidas sobre a Divindade de Cristo. Enquanto nós apenas existimos temporalmente, Deus é infinito, imutável e Todo Poderoso (Êxodo 6.2,3). O nome de Deus EU SOU muitas vezes está associado a atributos Divinos que revelam sua plenitude e capacidade de nos abençoar como JEOVÁ JIRÉDeus proverá, (Gênesis 22.8 e 14), JEOVÁ NISSISenhor nossa bandeira (Êxodo 17.15), JEOVÁ RAFÁEU SOU o Deus que te sara (Êxodo 15.26)JEOVÁ SHALOMO senhor é a nossa paz (Juízes 6.23 e 24), JEOVÁ TSDEKENUSenhor Justiça nossa (Jeremias 23.5,6). Lei mais a respeito no estudo OS NOMES DE DEUS.Ainda no Apocalipse Jesus se revela como o “Alfa e o ômega, o primeiro e o último, o princípio e o fim” (Apocalipse 1.8), mostrando sua eternidade e poder. Jesus disse que é o Grande EU SOU porque realmente Ele é tudo. Jesus é Jeová Rafá porque Ele cura. Jesus é Jeová Jiré porque Ele provê e sustenta. Jesus é o Jeová Shalom porque nos dá a paz. Jesus é Jeová Tsidekenu porque nos perdoa e nos justifica. Jesus também é Jeová Nissi porque é a nossa bandeira da vitória. Jesus é o Grande EU SOU!

VEJA MAIS SOBRE O ASSUNTO EM NOSSAS POSTAGENS ANTERIORES

FONTES DE PESQUISA

http://www.esbocosermao.com/2015/11/quem-e-jesus.html
http://ultimato.com.br/sites/estudos-biblicos/assunto/vida-crista/o-homem-deus-chamado-jesus/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta