Lição 12 - Semeiem Vida e Paz

"E digo isto:  Que o que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia em abundância em abundância também ceifará" - II Coríntios 9.6
Texto Bíblico Básico: Gálatas 6.1-10
A LEI DA SEMEADURA
“Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá.” (Gálatas 6.7)
Estamos cercados por leis sendo impossível viver sem observá-las ou obedecê-las. As leis naturais, civis e espirituais são as principais que regem as nossas vidas. Há uma, porém, embora sendo natural, nos traz lições importantíssimas: A lei da semeadura.
Deus estabeleceu na Criação esta lei natural: Então disse Deus: “Cubra-se a terra de vegetação: plantas que dêem sementes e árvores cujos frutos produzam sementes de acordo com as suas espécies”. E assim foi.” – Gênesis 1.11, e reafirmou-a após o dilúvio: “…Enquanto durar a terra, plantio e colheita, frio e calor, verão e inverno, dia e noite jamais cessarão.” – Gênesis  8.22. Semear é espalhar a semente e nós colhemos somente o que semeamos. E isto é uma determinação natural, uma lei.
Quando a semente é lançada, adormece no solo aguardando o momento certo para brotar. Mas uma coisa é certa, quando vêm as condições naturais, surge uma nova planta.Semear é uma oportunidade grandiosa que Deus nos dá. Pela Sua palavra podemos perceber o quanto Ele está preocupado com o que semeamos e nos exorta realizar:
A semeadura do Bem: “Esta é a história da família de Noé: Noé era homem justo, íntegro entre o povo da sua época; ele andava com Deus.” –  Gálatas 6.9.
A semeadura nos relacionamentos, principalmente no ambiente familiar: “Se alguém não cuida de seus parentes, e especialmente dos de sua própria família, negou a fé e é pior que um descrente.” – I Timóteo 5.8.
A semeadura na oração: “E eu vos digo a vós: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á; porque qualquer que pede recebe; e quem busca acha; e a quem bate abrir-se-lhe-á.” – Lucas 11.9,10.
A semeadura das boas palavras: “A palavra proferida no tempo certo é como frutas de ouro incrustadas numa escultura de prata.” – Provérbios 25.11.
A semeadura no serviço a Deus: ” Quem me serve precisa seguir-me; e, onde estou, o meu servo também estará. Aquele que me serve, meu Pai o honrará.” – João 12.26.
A semeadura do amor incondicional: “Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios.” – Romanos 12.10.
A semeadura financeira no reino de Deus: “Aquele que supre a semente ao que semeia e o pão ao que come, também lhes suprirá e aumentará a semente e fará crescer os frutos da sua justiça. Vocês serão enriquecidos de todas as formas, para que possam ser generosos em qualquer ocasião e, por nosso intermédio, a sua generosidade resulte em ação de graças a Deus.” – 2 Coríntios 9.10, 11.
A Bíblia também alerta para não semearmos problemas em nenhuma esfera das nossas vidas, pois se semearmos ventos, colheremos tempestades, a semelhança do povo de Deus no Velho Testamento – Oséias 8.7.
Deus é claro e sério, Ele não se deixa escarnecer, não permite que alguém zombe dEle. Tudo o que semearmos e não apenas uma parte da semeadura, voltará como colheita.
REGRAS PARA SOLUÇÃO DE CONFLITOS CONJUGAIS
Diz o Dr. Clayde Narramore: "Não deve se surpreender que não exista um único casal que possa cruzar os mares do casamento sem passar por qualquer tempestade." Ele sugere que talvez a razão para este fato é que "ninguém está emocionalmente saudável em todos os momentos."

Embora os conflitos pareçam ser naturais em casamento, devemos reconhecer que existem diferenças ou graus de conflitos, que muitas vezes são compostas de complexidade ou em extensão por não saber como lidar com eles. Os princípios de solução de conflitos estão intimamente ligados com os princípios da "comunicação eficaz". Uma boa comunicação pode evitar ou diminuir o conflito. Por outro lado, a má comunicação pode criar ou complicar os já existentes.

1. Tente atacar a causa do conflito, não a pessoa

É comum que, no meio de uma discussão alguma das partes esquecer o assunto do ataque (mesmo com temas antigos) a outra pessoa. Além disso, é possível que os termos usados ​​faz a pessoa se sentir ofendida, ao invés de resolver a questão que lhes diz respeito. Sentindo-se atacada, uma pessoa normalmente retorna a agressão com mais agressão (Leia: Provérbios 15: 1; 25:15; Efésios 4: 26-3 l).

2. Não acumule desconforto ou rancor

O problema não resolvido vai piorar ao longo do tempo. O ressentimento, irritação ou desconforto pode levá-lo a dizer ou fazer coisas que se arrepender mais tarde. Você deve resolver "cada dia o seu mal", caso contrário, não saberá por que briga.  (Provérbios 17:14; 20: 3; Romanos 13:13).

3. Saber perdoar e esquecer

Obviamente, você não pode esquecer completamente, nem tampouco deve mencionar tudo o que se lembra. Usando dados antigos confunde a discussão. Um conflito pode se tornar crônico pela incapacidade de alguém perdoar. Não só é preciso saber perdoar, mas também saber se perdoar (Tiago 5:16, Colossenses 3:13; Provérbios 17: 9; 1 Pedro 4: 8).

4. Saber escolher a hora e o local da discussão

Embora na maioria das vezes reagimos impulsivamente, devemos manter a cabeça fria para arrumar o problema com calma, com menos raiva. Isto irá permitir-nos ser mais objetivo ao conflito. Isso também inclui evitar o problema cheguem as  testemunhas causando vergonha para uma das partes. Adiar a discussão não significa fugir do problema. (Provérbios 15: 23,28; Tiago 1:19; Provérbios 18:21).

5. Seja honesto sobre o que é o problema em si

Não lute com problemas imaginários ou inexistentes. Procure o problema real, as raízes e não desculpas. Não supõe que o seu cônjuge ler sua mente. Diga-lhe honestamente como você interpreta o conflito. Diga a verdade com amor, mas cuidado. (Efésios 4:15).

6. Confronte que realmente é o problema

Não transmita sua frustração com as crianças porque elas não têm maturidade de falar com o seu cônjuge sobre o conflito. Não transmita ao marido (a) seu sentimento de frustação de seu trabalho. Evite a transferência a terceiros (1 Pedro 3:10).

7. Não lutar por coisas pequenas

Antes de falar, ter um momento para avaliar se a falta merece gastar tempo e atenção. Muitas vezes as lutas são sobre questões que não valem a pena, mas apenas pelo desejo oculto de dominar ou controlar o outro (Provérbios 19:13).

8. Escolha as armas certas

Não deixe que um pequeno problema exploda até que se torne uma questão de vida ou morte. Não há necessidade de levar a discussão a uma situação sem limite ou nenhum retorno. Saber lidar com pressão, persuasão, argumentação ou o silêncio é extremamente importante para o amadurecimento do amor e as relações permanentes.

9. Aceite que ninguém tem sempre razão

Alguns simplesmente não conseguem parar de dizer a última palavra sobre o outro. Maturidade é caracterizada pela capacidade de respeitar a opinião que difere da sua. Agir como se fosse o único sábio com todas as respostas, é repulsivo para todos, incluindo sua própria família.

10. Se os seus filhos têm testemunhado uma discussão, eles devem testemunhar também a reconciliação.

As crianças devem saber que o mundo não é cor de rosa, mas deve desenvolver os conhecimentos necessários para resolver os problemas que inevitavelmente surgem em suas próprias vidas. O melhor lugar para esta aprendizagem está em casa, seguindo o exemplo de seus pais.

11. Orem juntos sobre o seu conflito

Normalmente, quem entra em conflito tem a tendência de parar de orar. Na verdade, é o momento mais oportuno para reconhecer as falhas e se dirigir a Deus juntos e transformar o tempo. É maravilhoso o que acontece quando uma pessoa com raiva vai até Deus. Muitas coisas mudam depois de orar juntos.

12. Não tenha medo nem vergonha de procurar ajuda de outros

Às vezes, o casal não consegue uma boa comunicação e necessita ter contato com alguém. Em muitas ocasiões, é necessário que alguém objetivamente ajude a entender o que acontece. Procurar ajuda e aceitar o conselho não coloca em duvida a masculinidade ou a capacidade de ninguém, muitas vezes ajuda a reconstruir o relacionamento.

Papais e mamães! Assistam!! Semeiem vida nos seus filhos!!!


FONTES DE PESQUISA

http://www.soudapromessa.com.br/a-lei-da-semeadura/
https://wesleyliraa.blogspot.com.br/2016/10/principios-para-solucao-de-conflitos.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta