Lição 13 - Qual é o Seu Legado?

"E tu, meu filho Salomão, conhece o Deus de teu pai e serve-o com um coração perfeito e com uma alma voluntária; (...) se o buscares, será achado de ti; porém se o deixardes, rejeitar-te-á para sempre" - I Crônicas 28.9
Texto Bíblico Básico: I Samuel 12.2-5, 20-23
SAMUEL, UM HOMEM DE DEUS
Samuel teve importância singular na história de Israel. Ele foi o último dos juízes a exercer autoridade civil sobre o povo. Embora não pertencesse à linhagem de Arão, oficiava os rituais como principal sacerdote. Foi também reconhecido como profeta e criou escolas de profetas que influenciaram as futuras gerações dos reis de Israel.
Seu nascimento é fruto de uma promessa feita por sua mãe, Ana, que fez um voto com Deus, prometendo que seu filho seria um Nazireu¹ e o serviria no templo. Samuel, ainda jovem, foi entregue ao sacerdócio e ministrava perante o SENHOR, servindo sob a direção de Eli (I Sm 2.11;18). Era conhecido como correto, ao contrário do que se dizia dos filhos de Eli. Estes não apenas roubavam de Deus ao exigir as porções sacerdotais antes que o sacrifício fosse entregue, mas também se portavam de tal maneira, que as pessoas passaram a evitar ir a Siló² para sacrificar ao Senhor. Por causa disso o pecado desses jovens era muito grande, conforme narra a Bíblia em I Sm 2.17.
Mas para o bem de Israel, Samuel, mesmo estando sujeito ao mal e à influência dos filhos de Eli, reagiu contra as atitudes ímpias e tornou-se consciente do chamado de Deus desde a juventude. Enquanto ele crescia o Senhor era com ele, e fazia com que todas as suas palavras se cumprissem (I Sm 3.19). Todo o Israel reconhecia que Samuel estava confirmado como profeta do Senhor.
Ele suscitou uma grande reforma nacional, renovando a aliança e trazendo o povo de volta à adoração ao Senhor Deus. Samuel extinguiu os rituais de adoração cananéia das fileiras de Israel e estabeleceu um circuito entre as cidades de Mispa, Ramá, Gilgal, Belém, Betel e Berseba, para realizar suas tarefas sacerdotais e desenvolver um ministério de ensino eficiente. Com a ajuda de Deus subjugou os filisteus em Mispa, e ali ergueu uma pedra; e deu-lhe o nome “Ebenézer”, dizendo: “Até aqui nos ajudou o Senhor (I Sm 7.12).
Samuel continuou como juiz de Israel todos os dias da sua vida (I Sm 7.15). Já na sua velhice, por não haver liderança em Israel, pois seus filhos Joel e Abias não andaram em seus caminhos, deu ouvidos ao povo e consentiu, mesmo relutante, que se fosse escolhido um rei para Israel. Saul foi escolhido por Deus para ser o primeiro rei de Israel, porém, por ter se apossado indevidamente da responsabilidade sacerdotal, foi rejeitado posteriormente. Samuel o advertiu e previu que o seu reinado não permaneceria (I Sm 2.13). Seguindo a ordem de Deus, Samuel ungiu Davi como rei no lugar de Saul.
Andou com retidão todos os dias da sua vida (I Sm 12.5), e ao final, entregou ao povo a advertência de que a prosperidade da nação dependia de sua obediência a Saul, bem como da sua sujeição à lei de Moisés. Morreu com aproximadamente 52 anos,  e todo o povo de Israel se reuniu e pranteou; e o sepultaram onde tinha vivido , em Ramá. (I Sm 25.1)
Samuel é um exemplo para a nossa geração, que também vive em um mundo que precisa ser restaurado. Ele foi levado quando criança para um ambiente religioso corrupto, e viveu em um período onde a nação de Israel servia outros deuses. Mesmo assim, consciente da sua responsabilidade, não se deixou corromper e lutou pela restauração e libertação de Israel. Que possamos aprender com Samuel e desejar que Deus seja coroado e cheio de glória e honra. Que o seu reino avance e a sua justiça se propague por toda parte. Levando o povo ao arrependimento dizendo: “Se vocês querem voltar-se para o Senhor de todo o coração, livrem-se então dos deuses estrangeiros e dos postes sagrados, consagrem-se ao Senhor e prestem culto somente a ele” (I Sm 7.3a).
Era um verdadeiro líder espiritual – Podemos aprender que Samuel era mais que um profeta,um sacerdote ou juiz. Samuel era um líder espiritual a ser seguido e imitado. Seus relacionamento com Deus fez com que ele se tornasse referência a povo santo. Por ter sido fiel a Deus, o Senhor o fez juiz,sacerdote, profeta, conselheiro e intercessor de Deus e dos homens. Um homem de Deus que desempenhava bem os papéis atribuídos a Ele. Um homem que em nada tinha de dolo (I Sm 12:4).
O Senhor deseja que sejamos servos como Samuel e também líderes em várias áreas de nossa vida. As características de um líder não são apenas as que lhe são atribuídas, mas são aquelas que desenvolvemos em nossa caminhada de vida. Nossa dedicação poderá nos surpreender no futuro. Samuel foi o último e um dos maiores juízes que Israel já teve, sendo pois um dos líderes mais marcantes e dedicados. Sia obediência e dedicação a Deus foi um exemplo. Samuel não era um profeta que pregava “aquilo que o povo quer ouvir”, mas aquilo que o povo precisava ouvir, aquilo que necessitavam, pois ouvia a Deus. Samuel não profetizava “só vitória” como muitos hoje, mas aquilo que ouvia de Deus falava, O verdadeiro líder intercede a Deus pelos homens, mas não oculta a verdade dos fatos. Samuel é um testemunho para todos aquele que servem a Deus ou que querem servir, pois não tomava o nome de Deus em vão, com muitos hoje.(Ex 20:7). O verdadeiro profeta não fala com soberba e vaidade, mas fala em espírito e verdade. Fala aquilo que o Senhor ordena (Dt 18:18).
O LEGADO DOS SERVOS DE DEUS
Se não houver essa preocupação, em formar pessoas melhores para o amanhã, em deixar um legado para a seguinte geração – os prejuízos poderão ser assombrosos. Deixar um legado não é apenas escrever uma lista de princípios e exibi-la na sala de nossas casas, também não basta com esforçar-se para levar os filhos para a Escola Dominical e jogá-los ao professor, enquanto nós, pais, líderes e educadores – não fazermos a nossa parte.
Para deixar um legado é necessário viver uma vida de santidade, adquirir autoridade espiritual, viver em comunhão com o Pai, em submissão ao Filho, caminhando baixo a unção do Espírito Santo sobre nossas vidas. Não adianta viver ou apenas vestir-nos como igreja, é necessário ser a “igreja”, participar da vida ativa de um organismo vivo (não somente uma organização) onde Cristo é a cabeça. Não adianta vivermos como anões na fé, e esperar que nossos filhos (naturais e filhos na fé) se transformem em gigantes espirituais.
Quando pensamos em herança, imaginamos uma família agitada, reunida em frente à mesa de um advogado, ansiosa para ouvir que o tio deixou propriedades, dinheiro e um broche que pertencia à vovó. De fato, “herança” e “desejo” passam de mão em mão. Se você tem convicção de que seus bens são distribuídos de acordo com seus desejos, certamente você tem vontade própria. Mas há um legado a ser deixado, mais importante e duradouro que posses e bens materiais. Na verdade, você não precisa ter morrido para que isso se torne valioso para eles.


Seu legado. O que será deixado para seus filhos é o legado espiritual, a verdade de Deus. É a nossa identidade em Cristo Jesus.  Aquela verdade que não apenas faz crescer e alimenta suas vidas, mas que se torna um legado para as gerações vindouras. É o alicerce, a base bíblica e o fundamento para as decisões de seus filhos.


Como deixar esse legado de presente. A fim de deixar um legado que transmita nossa identidade em Cristo Jesus, devemos compartilhar com nossas crianças, adolescentes e jovens. Do contrário, não será possível ter um relacionamento saudável. Como pais, devemos:

- Orientar.
- Aconselhar com coração, mente e Bíblia abertas.
- Mentorear, usando nossas vidas como exemplo.
- Ser amigo para toda a vida.

Quando feito de maneira correta, os filhos crescem em Cristo, como bônus tornam-se eternos amigos de seus pais. Jesus disse aos discípulos que já não os considerava servos, mas amigos. Que alegria é ter os filhos como amigos, confidentes, que não compartilham apenas idéias e opiniões, mas com quem nos relacionamos de coração para coração.

Legado é ensino. É mais eficaz orientar e preparar os filhos, que dizer a eles quais decisões tomar sobre a vocação, amigos, educação, finanças, etc. Os treinadores não jogam para seus times, eles treinam e oferecem ajuda para que seus jogadores descubram seus erros, compensem as fraquezas, analisem seus pontos fortes, ganhem habilidades para melhorar o jogo e saírem vencedores. É isso o que queremos para os nossos filhos. Quando eles são mais jovens, podemos orientá-los através de experiências e pela Palavra, de forma que eles busquem a vontade de Deus para suas vidas.  Nas Escrituras, Deus instituiu o trabalho como provisão para nossas famílias e uma maneira de aplicarmos nossos talentos, capacidades criativas, intelectuais e emocionais. Nos esportes, treinadores reconhecem talentos e dons em cada membro da equipe, assim trabalham para aperfeiçoá-los. Eles não colocam os jogadores em posições para as quais não tenham aptidão. Os pais exercem o papel de treinadores dos filhos. Observamos os dons e talentos de nossos filhos e instruímos para que sejam aperfeiçoados. Não forçamos nossos filhos a entrarem na fase adulta com base em nossos desejos ou sonhos não realizados. Quando desejamos o melhor de Deus para nossos filhos, fazemos o nosso melhor para ajudá-los a cumprir o plano de Deus.


As Decisões. Os jovens enfrentam uma série de escolhas. Aqui estão decisões em que devemos participar:

- Como e onde eles congregarão.
- Escolher amigos e buscar a vontade de Deus para um companheiro(a).
- Reconhecer o chamado de Deus.
- Estruturação para o início de uma família

Queremos ver nossos filhos bem-sucedidos em seus relacionamentos e vocações, cumprindo os planos de Deus para suas vidas. Os filhos precisam da orientação dos pais para definir prioridades. Assim como os treinadores, os pais instruem e oferecem suporte, a fim de que seus jogadores tornem-se hábeis e confiantes o suficiente para vencer.
As prioridades são: Deus em primeiro lugar, família, trabalho, igreja, lazer e outros. Como pais somos modelos, instruímos nossos filhos “Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas.” (Provérbios 3:6).


Legado é Conselho. As escrituras afirma que a segurança pode ser encontrada na multidão de conselheiros (Provérbios 11:14). Encontramos exemplos de aconselhamento na pessoa do Espírito Santo. Como nosso conselheiro, Ele glorifica a Jesus, revela a verdade, nos dá orientações para o futuro e conforta-nos (João 14:16). O Espírito de Deus incentiva, corrige e orienta. Como conselheiros para o amadurecimento dos filhos, nós pais, ouvimos e direcionamos em amor, apontamos seus talentos e potenciais, confortamos quando fazem escolhas erradas e os colocamos na direção correta. O incentivo é essencial no relacionamento pais e filhos, à medida que os filhos crescem tornam-se amigos para toda vida de seus pais. Os pais precisam dizer um ao outro e aos filhos: nosso dever é encorajar e instruir com a verdade, contra ela nada podemos. (2 Coríntios 13:8).Encorajar é depositar coragem, bravura, força e capacidade de acertar. Nosso propósito deve ser ajudá-los a permanecer firmes no Senhor, superando obstáculos e desafios da fase adulta.


Legado é Mentorear. Pais são inestimáveis conselheiros para seus filhos crescerem em seus relacionamentos de amizade, namoro, casamento e também como futuros pais. Quando pais e filhos são amigos para toda a vida, quando adultos, os filhos recorrem a eles em busca de ajuda, apoio, orientação para seu crescimento como esposos, esposas, pais e mães. 
Paulo afirma, “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.” (1 Coríntios 11:1). Os pais são exemplos e através de experiências da vida instruem seus filhos.
Assim como quando eram mais jovens, os filhos adultos continuam observando seus pais e seguindo o exemplo. Eles observam de perto a maneira como lidamos com a profissão, dinheiro e negócios, mudanças (emprego ou casa), amizades (fazer e manter), como superamos conflitos e dificuldades, questões éticas, a síndrome do “ninho vazio”, preparação e propósitos para a terceira idade, e principalmente o nosso compromisso com Cristo.
O mentor diz aos filhos...
“Eu estou aqui para você.”
“Vou encorajá-lo em todas as circunstâncias da vida.”
“Eu nunca vou desistir de você.”
“Eu sempre vou orar por você.”
“Confio na promessa de Deus para sua vida.”
“Estarei sempre pronto a perdoar e continuarei ao seu lado.”
“Estou envelhecendo com dignidade, de modo que você saberá que o que digo é real e eficaz para toda vida.”

Como pais, constantemente devemos fazer um checklist, meus filhos sabem:
- Lidar com o dinheiro, cartões de crédito e parcelas?
- Comprar e vender imóveis e propriedades?
- Desenvolver e manter um casamento de aliança?
- Instruir seus filhos nos caminhos do Senhor?
- Trabalhar de forma produtiva e responsável?
- Ser servo e adorador?
- Utilizar seus dons e talentos para edificação do reino?
- Tomar sábias decisões e aprender com as erradas?
- Escolher amigos de maneira a agradar a Deus?
- Viver de forma pura, sempre buscando santidade?
- Prosperar em todas as áreas?


Legado como amigos para a vida toda. Alguns pais pensam que quando seus filhos têm idade para certas coisas, eles podem se aposentar da responsabilidade de pais, isso não é correto! Somos Pais Para Toda a Vida e consequentemente, amigos para toda a vida.
Manter uma amizade exige atenção e esforço. Através de avanços tecnológicos, a comunicação com nossos filhos tem se tornado mais fácil não importa o quão longe estão, e-mail, telefone, redes sociais e conversas on-line, permitem que continuemos conectados, mesmo que a quilômetros de distância.
Combine horários para ligar e conversarr com eles construa um relacionamento amoroso com seus netos. Permaneça conectado física e espiritualmente, ore sem cessar por seus filhos e família.


A HERANÇA QUE DEIXAMOS PARA NOSSOS FILHOS


Deixe um legado para seus filhos e os filhos dos seus filhos. A bondade de Deus é nossa maior herança. “O homem de bem deixa uma herança aos filhos de seus filhos, mas a riqueza do pecador é depositada para o justo.” (Provérbios 13:22). Assim como o Senhor nos dá boas coisas, queremos dar o melhor aos nossos filhos. Passe a planejar a herança e o legado que deixará, o plano envolve uma boa Herança bem como o ensino das verdades do nosso Deus. Nosso legado vai muito além de posses e boas lembranças, nosso legado se baseia nas verdades eternas que são passadas de geração a geração. Filhos e netos podem se beneficiar de uma herança financeira, mas se beneficiarão muito mais das bênçãos espirituais. A nossa responsabilidade é semear, semear amor, alegria, paz, bondade, misericórdia, paciência e domínio próprio.

Qual o legado a ser deixado para seus filhos e netos? Trabalhem para ser os pais dos quais seus filhos possam dizer: “Levantam-se seus filhos e chamam-na bem-aventurada; seu marido também, e ele a louva.” (Provérbios 31:28), “O justo anda na sua sinceridade; bem-aventurados serão os seus filhos depois dele.” (Provérbios 20:7).

FONTES DE PESQUISA


http://www.icnvfreguesia.org.br/Juventude/2011/04/profeta-sacerdote-e-juiz/
https://estudos.gospelmais.com.br/fala-porque-o-teu-servo-ouve.html
http://2igual1.com.br/estudo/205

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lição 02 - Aliança Edênica e Aliança Adâmica

Lição 08 - Culpa, a Prisão da Mente

Lição 12 - Ciúme, o Cabo da Tormenta